O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID) E A “PERFORMANCE” ESCOLAR

Marcio Issler, Adrian Alvarez Estrada, Ieda Maria Kleinert Casagrande

Resumo


O artigo em questão objetiva analisar os desdobramentos do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) para a formação inicial de professores. Os dados coletados versam sobre publicações nacionais e produções internacionais acerca da “performatividade” na área educacional. A abordagem compreende o desempenho dos sujeitos ou organizações que servem de parâmetros de produtividade ou demonstrações de “qualidade”, como cultura ou forma de regulação, comparações e incentivos, pautados em recompensas e sanções materiais e simbólicas. Corrobora a abordagem o PIBID, quando refere à função de “elevar a “qualidade” da formação inicial de professores nos cursos de licenciatura, promovendo a integração entre educação superior e educação básica”. A “performance” voltada à formação de professores no caso do PIBID se caracteriza como tema central para elevar a “qualidade” com o intuito de compreender de qual “qualidade” se fala, pois, na educação, produtividade e rendimento acabam sendo traduzidos na forma de desempenho, ou seja, em performance.

Palavras-chave


Formação de Professores;Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência; Performatividade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22410/issn.1983-0882.v14i3a2017.1696

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Marcio Issler, Adrian Alvarez Estrada, Ieda Maria Kleinert Casagrande

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Tradução automática: