MANIPULAÇÃO DO RECÉM-NASCIDO INTERNADO EM UTI: ALERTA À ENFERMAGEM

Caroline Alves Gomes, Giselda Veronice Hahn

Resumo


A pesquisa Manipulação do recém-nascido internado em UTI: alerta à enfermagem teve por objetivo verificar como a equipe de enfermagem percebe o estresse causado pelo manejo à criança internada na UTI. Trata-se de uma pesquisa descritiva exploratória, de campo, com análise qualitativa dos dados. A amostra constituiu-se de sete técnicos de enfermagem e três enfermeiras que atuam em UTI pediátrica e neonatal de um hospital no interior do Rio Grande do Sul. A coleta dos dados foi realizada por meio de entrevista semiestruturada. Os resultados demonstram que a equipe identifica as necessidades de cuidado à criança, está qualificada para atendê-las; relaciona como fonte estressora o manuseio realizado durante a assistência de enfermagem. Procura minimizar o risco de estresse usando manta sobre a incubadora para diminuir a luminosidade e os ruídos, abrindo e fechando as portinholas da incubadora com cuidado, controlando a temperatura corporal, trocando o decúbito, manuseando minimamente o RN, realizando a lavagem das mãos e organizando o ambiente e trabalho. Neste ambiente é difícil deixar o RN em completo repouso, porém uma equipe capacitada sabe de suas responsabilidades para com a recuperação da criança e deve buscar continuamente seu aperfeiçoamento.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Caroline Alves Gomes, Giselda Veronice Hahn

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Tradução automática: