OS DIREITOS HUMANOS COMO COMPETÊNCIA DE AVALIAÇÃO NAS REDAÇÕES DO ENEM

Francisco Morilhe Leonardo

Resumo


O objetivo do presente estudo é refletir acerca da necessidade dos jovens egressos do Ensino Médio de terem algum embasamento teórico-jurídico em relação aos Direitos Humanos a fim de desenvolverem os temas das redações do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Ademais, é clara a omissão do Estado na oferta deste conteúdo, uma vez que, uma das competências deste exame visa à resolução de uma situação-problema cujo tema deverá envolver diferentes textos que tratem de assuntos atuais, pois a proposta de intervenção deve ser dialógica com o texto e em consonância com os Direitos Humanos, na qual, se a mesma estiver em dissonância com estes direitos, haverá a perda de pontos do texto avaliado. Nesse viés, desde o surgimento deste exame vislumbrou-se o compromisso de que os assuntos tratem de questões de ordem política, social, cultural ou científica, porém, torna-se um obstáculo para o avaliado, uma vez que tais noções jurídicas não são adquiridas durante o período na escola regular, em que assiste ao governo a função de prover a educação de forma integral, pois esta é a chave mestra para o sucesso de uma nação.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22410/issn.1983-0378.v41i1a2020.2519

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Francisco Morilhe Leonardo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Tradução automática: