Use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10737/1102
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorGiasson, Moara Menta-
dc.date.accessioned2016-09-29T18:32:10Z-
dc.date.available2016-09-29T18:32:10Z-
dc.date.issued2016-09-
dc.date.submitted2015-12-
dc.identifier.citationGIASSON, Moara Menta. "A compensação ambiental e os instrumentos da Política Nacional de Meio Ambiente". 2015. Dissertação (Mestrado) – Curso de Ambiente e Desenvolvimento, Universidade do Vale do Taquari - Univates, Lajeado, dez. 2015. Disponível em: <http://hdl.handle.net/10737/1102>. pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10737/1102-
dc.description.abstractAs preocupações com a degradação ambiental cada vez mais visível em meados do século XX mobilizaram as Conferências da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre meio ambiente em Estocolmo (1972) e no Rio de Janeiro (1992). Esse movimento deu origem às políticas ambientais no Brasil, marcadas pelas concepções de meio ambiente da época. A Política Nacional do Meio Ambiente, de 1981, cria instrumentos para compatibilizar o desenvolvimento econômico-social com a preservação da qualidade ambiental e do equilíbrio ecológico. O controle de empreendimentos poluidores é feito por meio do licenciamento e da avaliação de impactos ambientais. Já a criação de espaços territoriais especialmente protegidos é uma ferramenta da Política para a conservação da biodiversidade. No Brasil, estes instrumentos embasam a compensação ambiental, a qual garante recursos de empreendimentos licenciados para criação e manutenção de unidades de conservação. Internacionalmente, o objetivo da compensação é alcançar a equivalência entre perdas e ganhos em termos de biodiversidade, de forma mensurável. Nesta dissertação é investigada a possibilidade da compensação ambiental no Brasil ser considerada um mecanismo gerador de ganho ambiental ou que garanta, minimamente, não haver perda de biodiversidade na implantação de projetos licenciados. Os estudos de caso evidenciaram que o procedimento de licenciamento não aponta claramente a conexão entre os impactos identificados nos estudos ambientais, e as medidas de mitigação e compensação executadas. As compensações, no entanto, revelaram que há equivalência ecológica entre a área impactada e as unidades de conservação beneficiadas. Conclui-se que a ferramenta de compensação ambiental brasileira apresenta potencial de contribuição para a perda zero de biodiversidade nos empreendimentos licenciados, sendo necessária a adequação no procedimento de licenciamento para a utilização da hierarquia de mitigação, e a exigência de medidas compensatórias que sejam mensuráveis e que garantam a equivalência ecológica entre as áreas impactadas e protegidas.pt_BR
dc.description.abstractWorries about the ever more visible environmental degradation in the mid-twentieth century ignited the United Nations’ (UN) Conferences on the Environment in Stockholm (1972) and in Rio de Janeiro (1992). This movement originated environmental policies in Brazil, marked by the period’s understanding of environment. The 1981 National Environmental Policy creates instruments to reconcile social-economic development and preserving environmental quality and ecologic balance. Polluting enterprises are controlled through licensing and the environmental impact assessment. The creation of protected areas is tool in the policy for biodiversity conservation. In Brazil, these instruments are the foundation of environmental compensation (offset), which guarantees resources from licensed enterprises to create and maintain conservation units. Internationally, the goal of offset is to reach the equivalency between gains and losses in terms of biodiversity in a measurable way. In this dissertation, the possibility of environmental compensation in Brazil being considered a mechanism to generate environmental gain and to guarantee, at a minimum, no loss of biodiversity in the establishment of licensed projects is investigated. Case studies show that the licensing procedure has no clear connection between impacts identified by environmental studies and executed mitigation and compensation measures. Compensations, nevertheless, reveal that there is ecologic equivalency between the impacted area and the benefited conservation units. In conclusion, Brazil’s environmental compensation tool presents the potential to contribute to zero net loss of biodiversity in licensed enterprises. However, it is necessary to adjust the licensing procedure in order to use mitigation hierarchy, and the requirement of measurable compensatory ecologic equivalency measures.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsopenAccesspt_BR
dc.subjectOffsetpt_BR
dc.subjectAvaliação de impactopt_BR
dc.subjectLicenciamentopt_BR
dc.subjectBiodiversidadept_BR
dc.subjectUnidade de conservaçãopt_BR
dc.subjectDesenvolvimento sustentávelpt_BR
dc.titleA compensação ambiental e os instrumentos da Política Nacional de Meio Ambientept_BR
dc.typemasterThesispt_BR
mtd2-br.advisor.instituationUniversidade do Vale do Taquari UNIVATESpt_BR
mtd2-br.advisor.latteshttp://lattes.cnpq.br/7464592177469870pt_BR
mtd2-br.author.latteshttp://lattes.cnpq.br/2512339258383257pt_BR
mtd2-br.program.namePPGAD;Ambiente e Desenvolvimentopt_BR
mtd2-br.advisor.nameMejia, Margarita Rosa Gaviria-
mtd2-br.co-advisor.namePérico, Eduardo-
bdu.cnpq.areaCBpt_BR
bdu.contributor.evaluatorMejia, Margarita Rosa Gaviria-
bdu.contributor.evaluatorPérico, Eduardo-
bdu.contributor.evaluatorFreitas, Eliséte Maria de-
bdu.contributor.evaluatorKonrad, Odorico-
bdu.contributor.evaluatorMontaño, Marcelo-
Appears in Collections:Ambiente e Desenvolvimento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2015MoaraMentaGiasson.pdf1,02 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons