Use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10737/2469
Title: Sesmarias, fazendas, desenvolvimento e desdobramentos socioambientais em territórios da bacia hidrográfica do Rio Taquari de meados do século XVIII a meados do século XIX
Authors: Vedoy, Moisés Ilair Blum  Lattes
Keywords: Sesmarias e Fazendas;Frente de expansão e pioneira;socioambiental;Bacia Hidrográfica do Rio Taquari;Sesmarias and Farms;Expansion front and pioneer;socio-environmental;Taquari River Basin
Date of Defense: 21-Dec-2018
Issue Date: 2-Apr-2019
Citation: VEDOY, Moisés Ilair Blum. "Sesmarias, fazendas, desenvolvimento e desdobramentos socioambientais em territórios da bacia hidrográfica do Rio Taquari de meados do século XVIII a meados do século XIX". 2018. Dissertação (Mestrado) – Curso de Ambiente e Desenvolvimento, Universidade do Vale do Taquari - Univates, Lajeado, 21 dez. 2018. Disponível em: <http://hdl.handle.net/10737/2469>.
Abstract: A Bacia Hidrográfica do Rio Taquari, localizada na região centro leste do estado Rio Grande do Sul, tem a sua ocupação humana registrada a pelo menos mil anos, até meados do século XVII a ocupação das áreas nos entornos do rio se fazia através da lógica espacial, predominantemente indígena. A partir da segunda metade do século XVII com a chegada do elemento europeu, tais como jesuítas e bandeirantes, essa estrutura ocupacional indígena passou por transformações. Entretanto, é na segunda metade do século XVIII que estas modificações se aceleram principalmente através do estabelecimento de sesmarias e fazendas nos entorno da Bacia do Rio Taquari que se voltam para atividades econômicas, as quais se estendem no decorrer da primeira metade do século XIX e acarretam transformações no ambiente. Frente ao exposto, o estudo teve por objetivo, compreender e analisar os desdobramentos provocados pelo estabelecimento das sesmarias e fazendas na segunda metade do século XVIII e primeira metade do século XIX, relacionados principalmente aos conflitos ocorridos entre membros das sesmarias, das fazendas e indígenas Kaingang nos entornos da Bacia Hidrográfica do Rio Taquari, a implantação de atividades produtivas a partir de uma economia caracterizada pela agricultura, extração de recursos naturais e da possessão de terras. A metodologia foi qualitativa e os procedimentos metodológicos consistiram no levantamento e análise de fontes bibliográficas e documentais, pesquisadas no Arquivo Histórico e Arquivo Público do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre. Como resultados, tendo como base para análise aportes teóricos da História Ambiental e História Agrária, evidenciou-se que, a intensificação do avanço da frente de expansão e pioneira lusa nos entornos do Rio Taquari na segunda metade do século XVIII e primeira metade do XIX, por meio do estabelecimento de sesmarias e fixação de fazenda, trouxe transformações econômicas através da agricultura e extração dos recursos naturais nos entornos do rio, principalmente da madeira. Também, novos elementos étnicos como sesmeiros/estancieiros, casais açorianos, caboclos ervateiros, pobres lavradores e escravizados negros, que trouxeram consigo um novo aparato material como moinhos d ́agua, ferramentas e construções, e possivelmente natural como animais e elementos florísticos inseridos através da atividade agrícola. Estes processos e práticas representaram uma ruptura no manejo dos espaços territoriais da Bacia Hidrográfica do Rio Taquari, principalmente em relação à privatização da terra, visto que, antes da chegada da frente lusa e do estabelecimento de sesmarias, fazendas e demarcação destas áreas, o manejo destes espaços seguia a lógica indígena, portanto representou uma primeira etapa econômica do projeto colonizatório para a região, inserindo estas áreas na economia da Província de São Pedro do Rio Grande do Sul.
The Taquari River Basin, located in the eastern central region of the state of Rio Grande do Sul, has had its human occupation registered for at least a thousand years, until the middle of the seventeenth century the occupation of the areas in the river environments was done through space logic , predominantly indigenous. From the second half of the seventeenth century with the arrival of the European element, such as Jesuits and bandeirantes, this indigenous occupational structure underwent transformations. However, it is in the second half of the eighteenth century that these changes accelerate mainly through the establishment of sesmarias and farms in the surroundings of the Taquari River Basin that are turned to economic activities, which extend during the first half of the nineteenth century and entail changes in the environment. In view of the above, the objective of this study was to understand and analyze the consequences of the establishment of sesmarias and farms in the second half of the 18th century and the first half of the 19th century, related mainly to conflicts between members of the sesmarias, farms and Kaingang Indians in the surroundings of the Taquari River Basin, the implantation of productive activities from an economy characterized by agriculture, extraction of natural resources and the possession of land. The methodology was qualitative and the methodological procedures consisted in the survey and analysis of bibliographical and documentary sources, searched in the Historical Archive and Public Archive of Rio Grande do Sul, in Porto Alegre. As results, based on the analysis of the theoretical contributions of Environmental History and Agrarian History, it was evidenced that the intensification of the advance of the expansion front and pioneer Portuguese in the Taquari River environments in the second half of the eighteenth century and first half of the nineteenth, by means of the establishment of sesmarias and establishment of farm, brought economic transformations through the agriculture and extraction of the natural resources in the surroundings of the river, mainly of the wood. Also, new ethnic elements such as sesmeiros / estancieiros, Azorean couples, caboclos ervateiros, poor farmers and enslaved negroes, who brought with them a new material apparatus like water mills, tools and constructions, and possibly natural as animals and floristic elements inserted through agricultural activity. These processes and practices represented a rupture in the management of the territorial areas of the Taquari River Basin, mainly in relation to the privatization of the land, since before the arrival of the Portuguese front and the establishment of sesmarias, farms and demarcation of these areas, management of these spaces followed the indigenous logic, therefore represented a first economic stage of the colonization project for the region, inserting these areas in the economy of the Province of São Pedro do Rio Grande do Sul.
URI: http://hdl.handle.net/10737/2469
Appears in Collections:Ambiente e Desenvolvimento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018MoisesIlairBlumVedoy.pdf4,04 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons