Use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10737/275
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorVieira, João Carlos Carpes-
dc.date.accessioned2012-06-18T17:21:13Z-
dc.date.available2012-06-18T17:21:13Z-
dc.date.issued2012-06-18-
dc.date.submitted2012-04-10-
dc.identifier.citationVIEIRA, João Carlos Carpes. "O primeiro distrito industrial de Farroupilha/RS e suas repercussões socioambientais". 2012. Dissertação (Mestrado) – Curso de Ambiente e Desenvolvimento, Universidade do Vale do Taquari - Univates, Lajeado, 10 abr. 2012. Disponível em: <http://hdl.handle.net/10737/275>. pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10737/275-
dc.description.abstractA economia do município de Farroupilha/RS, historicamente, esteve centralizada no setor primário. Contudo, a partir da década de 1970, passou também a se voltar para a atividade industrial. Isso porque surgiu, por parte da administração municipal daquela época, uma política de desenvolvimento industrial, que concedeu incentivos à instalação de indústrias em distritos industriais. A presente dissertação buscou analisar as repercussões socioambientais decorrentes da criação do primeiro distrito industrial do Rio Grande do Sul, no município de Farroupilha, em 1969, verificar a implementação da gestão ambiental do município e por fim, analisar se a legislação contemporânea exige licenciamento ambiental para tais empreendimentos. Para tanto, foi adotado o método qualitativo, por meio de pesquisa bibliográfica e documental no exame da legislação ambiental nas esferas federal, estadual e municipal, bem como utilização de entrevistas semiestruturadas. No momento da instalação do distrito industrial, não havia previsão legal exigindo licenciamento ambiental, quer seja do próprio distrito, quer seja das empresas que foram instaladas, posto que a criação do distrito ocorreu em 1969 e a lei que o exige foi publicada em 1981. No período de sua instalação, a preocupação dos gestores públicos foi com a promoção do crescimento econômico, o qual foi alcançado. Em conseqüência desse progresso, ocorreram relevantes repercussões socioambientais, tanto positivas, quanto negativas. Dentre os aspectos positivos estão o incremento na geração de empregos e na arrecadação, o desenvolvimento do empreendedorismo local e o avanço no nível de instrução da população, bem como a miscigenação cultural. Já o surgimento de novos loteamentos habitacionais sem a devida infraestrutura, o abalo à segurança municipal, o aumento no consumo de matérias-primas e a alteração na flora e fauna locais foram apontados como alguns dos impactos negativos do distrito.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.subjectLoteamento Industrialpt_BR
dc.subjectMeio Ambientept_BR
dc.subjectSocioambientalismopt_BR
dc.subjectClusterspt_BR
dc.subjectLicenciamento Ambientalpt_BR
dc.titleO primeiro distrito industrial de Farroupilha/RS e suas repercussões socioambientaispt_BR
dc.typemasterThesispt_BR
mtd2-br.advisor.instituationUniversidade do Vale do Taquari UNIVATESpt_BR
mtd2-br.advisor.latteshttp://lattes.cnpq.br/6666207712034183pt_BR
mtd2-br.author.latteshttp://lattes.cnpq.br/7917734804206251pt_BR
mtd2-br.library.identifier232pt_BR
mtd2-br.program.namePPGAD;Ambiente e Desenvolvimentopt_BR
mtd2-br.advisor.nameMachado, Neli Teresinha Galarcept_BR
mtd2-br.co-advisor.nameRudnicki, Danipt_BR
bdu.cnpq.areaMU-
dc.rights.accessopenAccess-
Appears in Collections:Ambiente e Desenvolvimento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
JoaoCarpes.pdf42,96 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons