Use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10737/3070
Title: Avaliação da atividade antioxidante DPPH e quelante da farinha e extrato do pseudofruto de Hovenia dulcis Thunberg obtido por ultrassom
Authors: Viciniescki, Renata Pelin
Keywords: Hovia dulcis Thunberg;polissacarídeos;ultrassom;DPPH;quelante
Date of Defense: 26-Nov-2020
Issue Date: Nov-2020
Citation: VICINIESCKI, Renata Pelin. Avaliação da atividade antioxidante DPPH e quelante da farinha e extrato do pseudofruto de Hovenia dulcis Thunberg obtido por ultrassom. 2020. Monografia (Graduação em Engenharia Química) – Universidade do Vale do Taquari - Univates, Lajeado, 26 nov. 2020. Disponível em: http://hdl.handle.net/10737/3070.
Abstract: A árvore Hovenia dulcis Thunberg (H. dulcis Thunb.), conhecida popularmente como uva japonesa, é um vegetal invasor que possui densa população na região sul do Brasil. Esta planta possui um pseudofruto rico em carboidratos e detentor de sabor doce, que pode ser utilizado na alimentação humana e animal, porém pouco explorado no país para fins alimentícios. Visando o proveito destes pseudofrutos, este trabalho busca extrair polissacarídeos que possam ser empregados em aditivos para a indústria alimentícia, apresentando atividade antioxidante DPPH (2,2-difenil-1- picrilhidrazila) e quelante. Para o estudo, os pseudofrutos foram obtidos na região serrana do Rio Grande do Sul, devidamente sanitizados e caracterizados de maneira físico-química. A extração do extrato foi realizada por método de ultrassom na condição de 550 W de potência, frequência do equipamento a 20 kHz, tempo de exposição de 50 minutos e temperatura de 60 oC no sonicador de ponteira. O material obtido na extração sofreu purificação por filtração. Com o extrato devidamente purificado, seus constituintes foram caracterizados bem como suas propriedades bioativas de antioxidante DPPH e quelante de Fe+2, análises igualmente realizadas para a farinha do pseudofruto. O extrato não apresentou polissacarídeos, apenas os monossacarídeos glicose e frutose, o que demonstra que a técnica de ultrassom nas condições utilizadas não foi eficiente na extração de polissacarídeos, já as análises de antioxidante DPPH e quelante Fe+2 também não apresentaram essas atividades bioativas. Já a farinha do pseudofruto apresentou atividade em ambas análises de antioxidantes, com IC50 (concentração do analito que induz metade do efeito máximo) de 3,36 (±0,01) mg.mL-1 para DPPH e 2,00 (±0,01) mg.mL-1 para quelante, valores próximos aos encontrados em literatura. Assim conclui-se que apesar do método e as condições de extração neste trabalho não resultarem na extração de polissacarídeos a farinha de pseudofruto da H. dulcis Thunb., apresenta atividade antioxidante DPPH e quelante de Fe+2.
URI: http://hdl.handle.net/10737/3070
Appears in Collections:Engenharia Química

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2020RenataPelinViciniescki.pdf1,01 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons