Use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10737/85
Title: Avaliação das atividades farmacológicas de extrato de Casearia sylvestris Sw.
Authors: Güntzel, Ana Rita De Castro  Lattes
Keywords: Casearia sylvestris Sw.;Atividade antioxidante;Atividade antimicrobiana;Atividade tóxica
Date of Defense: 6-Jun-2008
Issue Date: 22-Jun-2009
Citation: GÜNTZEL, Ana Rita De Castro. "Avaliação das atividades farmacológicas de extrato de Casearia sylvestris Sw.". 2008. Dissertação (Mestrado) – Curso de Ambiente e Desenvolvimento, Universidade do Vale do Taquari - Univates, Lajeado, 06 jun. 2008. Disponível em: <http://hdl.handle.net/10737/85>.
Abstract: A espécie vegetal Casearia sylvestris, popularmente conhecida como guaçatonga ou erva-de-bugre, foi escolhida para estudo considerando seu uso relevante na medicina popular, escasso material bibliográfico. Foram avaliadas as atividades farmacológicas antioxidante, antimicrobiana e a toxicidade dos extratos etanólico (EE) e aquoso (EA) de folhas, além da descrição dos constituintes de seu óleo essencial e sua atividade antimicrobiana. Para avaliação da atividade antioxidante desta espécie, realizou-se ensaio espectrofotométrico baseado no princípio de redução do radical livre 2,2-difenil-1-picrilhidrazila (DPPH). Para avaliação do potencial antimicrobiano, o ensaio da Concentração Inibitória Mínima (CIM), seguido da Concentração Bactericida Mínima (CBM) e Concentração Fungicida Mínima (CFM). A CIM foi avaliada pela técnica de microdiluição em caldo, enquanto que a CBM e CFM foram realizadas em placas de Petri. Ainda, verificou-se a atividade tóxica, através da utilização da Artemia salina (L.). Na investigação da atividade antioxidante, obtiveram-se inibições do radical livre DPPH nas concentrações de 0,1 mg. mL-1 a 0,005 mg. mL-1 para os extratos etanólico (EE) e aquoso (EA) das folhas, onde através da análise estatística ANOVA, seguida de Student-Newman-Keuls, demonstrou a potencial atividade antioxidante dos extratos ser superior aos padrões testados. Na atividade antimicrobiana, obtiveram-se valores de CIM na faixa de 2,5 mg. mL-1 a 1,25 mg.mL-1 para o EE, enquanto que para EA não verificou-se atividade. No ensaio da letalidade da A. Salina o EA não foi verificada toxicidade, e o EE apresentou, devido ao seu baixo valor encontrado no cálculo da regressão linear da DL 50, apresentou toxicidade moderada. Do óleo essencial, 97,3% dos seus constituintes foram identificados por cromatografia gasosa e espectrometria de massas, tendo como constituintes majoritários o β-elemeno (31,7%) e o α-humuleno (28,2%). A avaliação antimicrobiana, do óleo essencial, foi realizada por bioautografia, apresentando atividade bacterida para Staphylococcus aureus, Staphylococcus epidermidis e Escherichia coli e Pseudomonas aeruginosa, já para os fungos a atividade foi menor.
URI: http://hdl.handle.net/10737/85
Appears in Collections:Ambiente e Desenvolvimento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AnaGuntzel.pdf425,34 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in BDU are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.