Design de Moda

Um olhar fashion para desenvolver soluções

Postado por Ágatha Strapasson

compartilhe

Você já se perguntou se, no século XXI, ainda existe exclusão? Nascemos com características físicas distintas uns dos outros. A inclusão social está diretamente ligada a todas as pessoas que não têm as mesmas oportunidades dentro da sociedade devido a  deficiências físicas e mentais, que deveriam ser entendidas como características únicas e não restrições.

No mundo de hoje, tentar disfarçar ou esconder as diferenças para ser inserido na sociedade é fugir do incluir, do aceitar e, principalmente, do entendimento de que existe espaço para todos. No mercado da moda, a deficiência física não significa limitação, mas sim oportunidade.  

No Brasil, o olhar inclusivo da moda teve início a partir do 1º Concurso de Moda Inclusiva, realizado pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Governo de São Paulo, em 2009. Com o objetivo de estimular estudantes de moda a lançarem um olhar fashion e a desenvolverem soluções que facilitem o cotidiano da pessoa com deficiência, o ponto alto do concurso é o desfile de moda inclusiva - uma prática que já foi adotada em diversas cidades do Brasil e do mundo. 

Desfile Inclusivo

Ricardo Horn

Ana Amélia Ritt

A Univates abraçou a ideia lançando o evento Desfile de Moda Inclusiva, que é realizado pelos cursos de Design de Moda e Fisioterapia da instituição desde 2016. Em parceria com a empresa Mercur, modelos com deficiências desfilam peças produzidas especialmente para elas por estudantes do curso

 

O objetivo do evento, que acontece em alusão à Semana Nacional da Pessoa com Deficiência, não é apenas representar a beleza, mas também contribuir para o bem-estar, a independência e a funcionalidade no dia a dia das pessoas. As peças apresentadas no desfile são pensadas e desenvolvidas pelas formandas durante o semestre em que ocorre o evento.

Nicole Morás

E-book

[E-BOOK] Com que curso eu vou?

Receba este e-book gratuitamente.

quero esse e-book
Fale com a gente