Utilizamos cookies neste site. Alguns são utilizados para melhorar sua experiência, outros para propósitos estatísticos, ou, ainda, para avaliar a eficácia promocional do nosso site e para oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para mais informações sobre os cookies utilizados, consulte nossa Política de Privacidade.

Intercambista da Univates em Portugal

Chanalisa Salvi - Engenharia Civil

 

 

“Viajar é trocar a roupa da alma!”

Inicio meu relato com uma frase de certa forma clichê, mas que melhor define a incrível experiência que vivi. Há um ano dei início a um dos momentos mais especiais e indescritíveis da minha vida, o intercâmbio. Ao partir para essa aventura, não imaginava que isso poderia me transformar de forma a engrandecer tanto a minha vida. Isso é uma das únicas coisas que nos torna verdadeiramente mais ricos, ricos de viagens, lugares, pessoas e culturas fantásticas. Muitas mudanças ocorrem e, com certeza, a experiência é muito enriquecedora e válida.

Se pudesse escolher palavras para descrever essa vivência, diria que amadurecimento e descobertas foram palavras-chave nesse roteiro. Afinal, você se permite conhecer pessoas novas, que, por fim, tornam-se uma família. Permite-se estudar, viajar e conhecer culturas ímpares. Aprende que independência e coragem são essenciais, porque, além de o fazer crescer e ter responsabilidades, é o momento que você verdadeiramente se conhece, se descobre. É o momento em que você se coloca na frente da história e escreve o seu próprio roteiro, da forma que quiser.

Como a tudo que é diferente, novo, é preciso se adaptar. No início há percalços, algumas dificuldades aparecem, mas nada disso supera a emoção e a felicidade de estar em um lugar totalmente diferente, podendo descobrir novas emoções e, no final, fazendo tudo valer a pena.

Escolhi um lugar cuja língua se assemelha a nossa, Portugal, especificamente a cidade do Porto. Confesso que na primeira semana de aula parecia que falavam outra língua que não o português, mas em poucos dias a gente se acostuma com o sotaque e com as gírias de lá. Quanto à cidade, o Porto é encantador, inspirador e muito seguro. Além disso, há vários pontos turísticos e também aeroporto, o que facilita a possibilidade de se deslocar.

No que se refere ao estudo, frequentei a FEUP, Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, classificada entre as 100 melhores universidades do mundo na área de Engenharia Civil e de Estruturas. Conhecer outra instituição e outra forma de ensino é de grande valia. Os feriados e intervalos possibilitam que, além de estudar, você consiga viajar, conciliando facilmente os dois. Em seis meses pude conhecer 10 países e 22 cidades.

Encerro com uma frase que gosto: “Viajar, não importa para qual destino, sempre vai lhe ensinar algo diferente que não se aprende em uma sala de aula”.

Por isso digo aos que hoje estão indo: aproveitem tudo, sem medo, se arrisquem, porque, com certeza, esse é um momento inigualável na vida de cada um; e aos que, como eu, puderam descobrir e explorar um pouco desse grande mundo, continuem com a essência na qual esse sonho nos transformou.

 
Clique para ampliar

Diários Relacionadas