Um olhar fashion para desenvolver soluções

Postado as 2018-09-13 14:30:43

Por Ágatha Strapasson

Você já se perguntou se, no século XXI, ainda existe exclusão? Nascemos com características físicas distintas uns dos outros. A inclusão social está diretamente ligada a todas as pessoas que não têm as mesmas oportunidades dentro da sociedade devido a  deficiências físicas e mentais, que deveriam ser entendidas como características únicas e não restrições.

No mundo de hoje, tentar disfarçar ou esconder as diferenças para ser inserido na sociedade é fugir do incluir, do aceitar e, principalmente, do entendimento de que existe espaço para todos. No mercado da moda, a deficiência física não significa limitação, mas sim oportunidade.

Ricardo Horn

No Brasil, o olhar inclusivo da moda teve início a partir do 1º Concurso de Moda Inclusiva, realizado pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Governo de São Paulo, em 2009. Com o objetivo de estimular estudantes de moda a lançarem um olhar fashion e a desenvolverem soluções que facilitem o cotidiano da pessoa com deficiência, o ponto alto do concurso é o desfile de moda inclusiva - uma prática que já foi adotada em diversas cidades do Brasil e do mundo.

Desfile Inclusivo

Ana Amélia Ritt

 

A Univates abraçou a ideia lançando o evento Desfile de Moda Inclusiva, que é realizado pelos cursos de Design de Moda e Fisioterapia da instituição desde 2016. Em parceria com a empresa Mercur, modelos com deficiências desfilam peças produzidas especialmente para elas por estudantes do curso.

O objetivo do evento, que acontece em alusão à Semana Nacional da Pessoa com Deficiência, não é apenas representar a beleza, mas também contribuir para o bem-estar, a independência e a funcionalidade no dia a dia das pessoas. As peças apresentadas no desfile são pensadas e desenvolvidas pelas formandas durante o semestre em que ocorre o evento.

Nicole Morás