Estudo investiga questões de gênero na universidade

Postado as 14/12/2018 10:25:59

Por Ana Amélia Ritt

Como espaço de contemporaneidade, responsável por desenvolver conhecimento, a universidade é um local de debate e até mesmo de referência para a comunidade. Pensando nisso, a mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ensino (PPGEnsino) da Univates Inauã Weirich Ribeiro busca analisar e propor nesse espaço práticas curriculares acerca das questões de gênero. Entre as atividades realizadas até o momento, uma oficina de drag queen e drag king, que refletiu sobre o conceito de gênero. O estudo tem a orientação da professora Angélica Vier Munhoz.

Divulgação

A pergunta “De que modo as questões de gênero são pensadas na universidade?” guiou o estudo intitulado “Práticas de Gênero no Currículo do Ensino Superior”, que surgiu como uma inquietude em 2017, quando Inauã atuou como professora na educação básica de Lajeado. “Percebia no cotidiano escolar a presença de vários marcadores de gênero nas relações interpessoais e nas práticas curriculares da escola”, conta. A mestranda afirma que, em razão de sua experiência profissional, a ideia inicial era estudar o currículo escolar, mas após leituras aprofundadas percebeu a importância de discutir o tema nos cursos de Ensino Superior.

Se percebemos que profissionais das mais diversas áreas de conhecimento entendem que a sua formação não lhes possibilitou suporte para pensar questões de gênero e sexualidade, então é necessário compreender como isso perpassa a universidade. Nesse sentido, percebe-se a importância de conhecer como a universidade aborda questões de gênero
Mestranda Inauã Weirich Ribeiro

Ana Amélia Ritt

Para o início do estudo, Inauã realizou, em conjunto com  o Grupo de Estudos de Relações de Gênero (Gerg) e com grupo de pesquisa da Univates Currículo, Espaço e Movimento (CEM), encontros quinzenais de debate com pessoas que produziram nos últimos quatro anos trabalhos de conclusão de curso, artigos científicos ou práticas artísticas na Instituição voltados à questão de gênero.

Divulgação

Em meio a esses diálogos foi desenvolvida uma oficina de arte drag intitulada Corpo e Gênero: Experimentações. “A ação objetivou conhecer e experimentar elementos dessa prática artística problematizando o conceito de gênero que ela carrega”, conta Inauã, que contou com a ajuda do estudante de Psicologia Eduardo Machado para organizar a atividade.

A mestranda, que ainda está em fase de qualificação da dissertação, conta que a proximidade com o Gerg da Univates, há quatro anos, permitiu que tivesse um olhar mais amplo sobre a maneira como o gênero e a sexualidade envolvem o cotidiano das pessoas. A pesquisa de Inauã também está ligada ao grupo de pesquisa CEM, que aproxima a pesquisadora de referenciais teóricos. “As abordagens mais conhecidas sobre currículo o entendem associado sempre às documentações oficiais, por exemplo projetos político-pedagógicos, regimentos internos dos cursos e instituições, planos de estudos de conteúdos. Em outra direção, o CEM compreende que as documentações oficiais são apenas mais uma parte de tudo aquilo que é considerado como currículo, pois entendemos que o currículo de uma instituição de ensino é constituído nas mais diversas práticas que acontecem no seu espaço”, conclui. 

Inauã possui bolsa integral de estudos financiada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (Capes) e pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs).