Estudo identifica que a maioria das gestantes com hipertensão tem o problema associado a outras patologias

Postado as 25/11/2020 12:52:30

Por Laura Mallmann

A diplomada do curso de Nutrição da Universidade do Vale do Taquari - Univates Daniela Müssnich realizou em seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) uma pesquisa sobre a relação entre os dados sociodemográficos, clínicos e de recordatório alimentar com o desenvolvimento da hipertensão em gestantes. A diplomada identificou que, em sua maioria, as gestantes encaminhadas para tratamento tinham o diagnóstico de hipertensão associado a outras patologias. 

 

Participaram da pesquisa, intitulada “Perfil sociodemográfico e consumo alimentar de gestantes hipertensas”, 96 pacientes atendidas em um Ambulatório de Gestação de Alto Risco (Agar), do interior do Rio Grande do Sul, no período de setembro de 2016 a maio de 2017.

Acervo pessoal

Conforme Daniela, identificou-se, por meio do perfil clínico, que a maioria das gestantes foi encaminhada com diagnóstico de hipertensão associada a outras patologias, como obesidade, depressão, toxoplasmose e diabetes mellitus gestacional. “O resultado reforça a importância da assistência no pré-natal e do incentivo a medidas de prevenção do desenvolvimento dessas patologias, como alimentação variada, segura e de qualidade para evitar a hipertensão”, avalia. 

 

Daniela explica que o estudo também revelou que, ao analisar o recordatório alimentar, comparando o consumo de macro e micronutrientes, a ingestão de carboidrato e sódio foi significativamente superior e a de cálcio e potássio, consideravelmente inferior ao recomendado para as gestantes no período de 24 horas. 

Peso x pressão arterial

Na pesquisa, Daniela verificou que gestantes que consomem mais carboidratos e menos proteínas apresentam maior ganho de peso em relação às que consomem mais proteína e menos carboidratos. “O dado pode estar associado ao fato de o estado nutricional pré-gestacional de obesidade ser o mais prevalente na população estudada”, esclarece.

 

“A baixa ingestão de cálcio e a alta ingestão de sódio contribuíram para o aumento da pressão arterial, já que ambos estão envolvidos na regulação da pressão sanguínea”, explica.

Dados da pesquisa

As variáveis referentes ao perfil sociodemográfico incluíam idade, raça, escolaridade, estado civil e atividade laboral. Quanto aos dados clínicos, foram verificados o motivo do encaminhamento, idade gestacional, pressão arterial sistólica e diastólica e estado nutricional. 

 

A diplomada não identificou associação significativa entre a faixa de idade, etnia, estado civil, escolaridade e atividade laboral com o estado nutricional. No entanto, conforme Daniela, a faixa etária das gestantes (entre 30 e 39 anos) e o consumo de sódio acima do recomendado podem ter contribuído para o diagnóstico de hipertensão gestacional.

Vestibular recebe inscrições

O curso de Nutrição é um dos 29 cursos de graduação presenciais da Univates que recebem inscrições. Os candidatos podem se inscrever gratuitamente no vestibular, que está sendo realizado de forma on-line, em www.univates.br/vestibular. Para participar, o candidato seleciona a modalidade e o polo, quando for curso EAD, e preenche um formulário com seus dados. Ao finalizar a inscrição, é enviado e-mail com uma senha para acessar o ambiente virtual de prova em univates.br/startunivates.

 

A prova pode ser realizada a qualquer momento e tem duração de até duas horas a partir do momento do sorteio do tema da redação. A correção das provas acontece em até 48 horas, e o resultado é enviado para o e-mail do candidato, que, se aprovado, pode realizar sua matrícula de forma on-line em univates.br/startuivates

Notícias Relacionadas