17 de janeiro: Um dia especial para a educação no Vale do Taquari

Postado as 16/01/2021 16:30:39

Por Nicole Morás

Nicole Morás

Foi no dia 17 de janeiro de 1969 que o cenário da educação ganhou novo significado no Vale do Taquari com o início das atividades do Ensino Superior na região, por meio das atividades do que hoje é a Universidade do Vale do Taquari. Desde lá, muitas transformações ocorreram, não apenas na paisagem do Vale do Taquari e no desenvolvimento regional, mas também nos processos de ensino e aprendizagem e na educação.

Depois de um ano desafiador por conta da pandemia com medidas de isolamento, virtualização das aulas e de muitos aprendizados sobre o fazer educação, os 52 anos do Ensino Superior no Vale do Taquari podem ser comemorados olhando-se para o futuro que 2021 trouxe consigo. Essas perspectivas ganham ainda mais contorno com o início das atividades da nova Reitoria, eleita para o mandato de 2021-2024.

De acordo com a Reitora Evania Schneider, a Univates construiu um grande legado nos últimos 52 anos de história no Vale do Taquari que é resultado do trabalho de muitas pessoas que estiveram à frente da Instituição e vislumbraram oportunidades.

Entramos, agora, num momento de importantes mudanças, em que precisamos ter a capacidade de nos adaptar a uma nova estrutura, novos fluxos, novos espaços, novos cenários e possibilidades e, ao mesmo tempo, ter firme a essência do que somos e clareza de nosso propósito como Universidade
Reitora Evania Schneider

Nicole Morás

Reitora (e) e vice-reitora (d) da Univates

Reitora (e) e vice-reitora (d) da Univates

Evania acrescenta que a Univates segue comprometida com os princípios de pluralidade, a natureza comunitária da Instituição, a responsabilidade social, a sustentabilidade financeira, a excelência acadêmica e a transparência. “Entendemos que são as bases que fizeram a Univates ser o que é hoje e o que nos permite olhar para os próximos 52 anos com otimismo, força e coragem”, acrescenta.

Nesse sentido, a Aula+, modelo de ensino híbrido da Univates, aparece como resultado de um pensar a educação a partir de novos contextos, com mais inovação, experiência e conhecimento. Conforme a vice-reitora e pró-reitora de Ensino, Fernanda Storck Pinheiro, essa proposta é um exemplo da adaptação da Universidade ao longo do tempo.

"Historicamente viemos de um modelo de ensino transmissivo, centrado na figura do professor como detentor do conhecimento. Essa proposta não se sustenta no século XXI, diante da evolução tecnológica,  da proliferação de fontes de informação e de uma geração que já nasceu numa realidade que é, ao mesmo tempo, instantânea e em constante alteração”, analisa.

Fernanda entende que o papel do professor hoje, portanto, é apontar um caminho, mostrar ao estudante onde e como buscar conhecimento, quais fontes são fidedignas e auxiliá-lo a encontrar alternativas para esta realidade que está sempre mudando. “Nesse sentido, o Aula+ vem com uma proposta curricular que se propõe a romper com a disciplinaridade (o saber em caixinhas), uma proposta transdisciplinar que conduza o estudante a experimentar, a criar, a aprender e isso tudo com um olhar para o outro e para o mundo. E disso foram surgem os cinco princípios pedagógicos que nos norteiam: transdisciplinaridade, criação, experimentação, aprendizagem e alteridade. É uma proposta potente e inovadora em termos de educação, que rompe com a separação entre a teoria e a prática porque, na vida, elas andam juntas", finaliza.