Utilização de Robô colaborativo permite capacitação técnica a estudantes da Univates

Postado as 25/02/2021 09:22:16

Por Vinicius Mallmann

Mesmo estando no mercado desde 2011, a indústria 4.0 ainda se mostra bastante desconhecida no Brasil. De acordo com dados divulgados pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), neste ano, menos de 2% das empresas estão equipadas com a tecnologia. A nível mundial, o estoque de robôs colaborativos operando em fábricas é o maior da história. Isso é o que revelou um estudo da International Federation of Robotics (IFR). A pesquisa também apontou que entre 2014 e 2019, impulsionado pelos sucessos das corporações que instalaram a produção inteligente e a automação, o aumento na procura pelos equipamentos foi de cerca de 85%.

Para o coordenador do curso Técnico em Automação da Universidade do Vale do Taquari - Univates, Haroldo Augusto Tonetto, estes números demonstram que o mercado brasileiro ainda precisa amadurecer quando o assunto é a aderência ao conceito da indústria 4.0. Para o futuro, no entanto, o professor projeta que essa tendência ganhe força, alinhando-se ao cenário de países em que a indústria está mais associada à tecnologia e à inovação.

Pensando nisso, a Univates adquiriu, no ano passado, um robô colaborativo capaz de interligar suas tarefas com a nuvem repassando, assim, as informações em tempo real para um receptor. O modelo, produzido pela Omron™ Collaborative Robots, está disponível aos estudantes da Instituição que, com a capacitação, encerram a sua formação com vantagens para o mercado de trabalho. “O número de robôs colaborativos é bem escasso em todos os lugares do Brasil, mas só não é mais baixo do que o número de profissionais que sabem manusear algum deles. Aprender isso dentro de um curso técnico é um grande diferencial, e capacita o aluno a alçar voos maiores”, destaca o professor. 

 

Além disso, Haroldo salienta que “os robôs colaborativos são projetados para diversas aplicações em que se faz necessária a produção de um grande volume e variedade de produtos, aplicações com ciclos curtos ou produtos que exigem mudanças rápidas na linha de montagem.”

Conheça a Indústria 4.0

 

Criado para impulsionar os avanços tecnológicos no processo produtivo das empresas, o termo Indústria 4.0 foi citado pela primeira vez na Feira de Hannover em 2011, na Alemanha. De acordo com especialistas da área, a evolução é vista como um avanço do resultado da Quarta Revolução Industrial, que deixou a aproximação entre o homem e as máquinas nas indústrias como legado.

Artur Dullius

 

Para Tonetto, a Indústria 4.0 é, hoje, o que impulsiona uma série de avanços no processo produtivo, trazendo um aspecto mais elaborado em relação ao uso da tecnologia, em virtude da abrangente relação com atributos como conectividade, inteligência artificial, IoT (“Internet of Things”, ou em português, “Internet das Coisas”), entre outros. Porém, o professor destaca que sua inserção efetiva no mercado é um fenômeno bastante amplo, transformando a maneira como máquinas se comunicam e utilizam as informações para otimizar o processo de produção, tornando-o mais econômico, ágil e autônomo.

Curso Técnico em Automação recebe inscrições

Estão abertas as inscrições para os cursos técnicos da Univates. Para o ingresso neste semestre, a Instituição está oferecendo desconto de mais de 20% para novos estudantes. A redução é válida para as mensalidades dos três primeiros meses. Além disso, ainda é oferecido desconto para pagamento até o vencimento do boleto. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo site http://www.univates.br/tecnicos ou pelo WhatsApp (51) 99626-2043.

 

Além do Curso Técnico em Automação, a Instituição oferece, no campus de Lajeado, outras 21 opções de cursos nas mais variadas áreas do conhecimento. No Polo de Carlos Barbosa são oferecidos os cursos Técnicos em Administração e em Segurança do Trabalho. Já em Veranópolis são realizados os cursos Técnicos em Edificações e em Segurança do Trabalho. 

 

Para ingressar nos cursos técnicos não é necessário ter concluído o Ensino Médio (a não ser o Técnico em Radiologia, que exige Ensino Médio concluído e idade mínima de 18 anos), mas para receber o diploma de técnico o estudante deverá ter concluído o Ensino Médio.