POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A FORMAÇÃO DOCENTE: SABERES E PRÁTICAS DA DOCÊNCIA

Tania Micheline Miorando, Ionice da Silva Debus, Valeska Maria Fortes de Oliveira

Resumo


O artigo que ora apresentamos tem por objetivo mostrar a formação de professores, discutindo a qualificação como política de apoio à condição profissional. Os argumentos deste estudo já foram considerados principalmente por pensadores da Educação como Tardif (2012), Tardif e Lessard (2011), Nóvoa (1992; 1995; 2009) e Pimenta e Anastasiou (2010). Metodologicamente, ancoramos as considerações que trazem em narrativas de professores-cursistas do curso de Pedagogia/Parfor, Univates, que corroboram suas teses. As narrativas de formação amparam-se em autores que já versam profundamente nesta área ao tratarem das discussões que fazem-se pauta na formação de professores sobre a profissionalização docente e o desenvolvimento profissional: Delory-Momberger (2008), Chène (2010) e Josso (2004). A isso soma-se compreender as políticas que regem o aprimoramento dos estudos, possibilitando que se viabilize metas, índices e intenções de qualificar a Educação no Brasil, em nome da profissionalização do professor, por leituras e estudos da legislação nacional (BRASIL, 1971; 1996; 2007; 2014). Por fim, ressaltamos que a docência tem saberes pertinentes à profissionalização docente e está em contínuo processo de formação, cujos saberes profissionais, experienciais e pessoais se agregam ao longo da vida.

Palavras-chave


Formação de Professores. Políticas de formação docente. Saberes docentes.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22410/issn.1983-0882.v14i3a2017.1701

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Tania Micheline Miorando, Ionice da Silva Debus, Valeska Maria Fortes de Oliveira

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Tradução automática: