AVALIAÇÃO DA PERMEAÇÃO E DA RETENÇÃO DA CAFEÍNA ASSOCIADAS AO ULTRASSOM TERAPÊUTICO

João Alberto Fioravante Tassinary, Laís Bresciani, Paula Bianchetti, Claudete Rempel, Bárbara Schmitt, Simone Stülp

Resumo


O ultrassom (US) terapêutico é empregado na prática clínica com a finalidade de promover analgesia e tratar lesões musculoesqueléticas e dos tecidos moles. A cafeína é um princípio ativo dermatológico que exerce ação no tecido adiposo subcutâneo, através da inibição da fosfodiesterase, tendo um efeito lipolítico. O objetivo deste artigo foi avaliar a permeação e a retenção da cafeína quando adicionada a um hidrogel, com e sem aplicação do US. As análises foram realizadas em uma célula de difusão vertical, com solução receptora de água e álcool etílico com proporção de 1:1, e uma biomembrana de muda de pele de cobra. Ocorreu permeação e retenção da cafeína in vitro, porém, quando associada ao US, a permeação foi maior. Foi concluído que há aumento na permeação e na retenção na biomembrana de cafeína com a aplicação do US terapêutico.

Palavras-chave


Ultrassom terapêutico, cafeína, permeação.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 João Alberto Fioravante Tassinary, Laís Bresciani, Paula Bianchetti, Claudete Rempel, Bárbara Schmitt, Simone Stülp

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Tradução automática: