Utilizamos cookies neste site. Alguns são utilizados para melhorar sua experiência, outros para propósitos estatísticos, ou, ainda, para avaliar a eficácia promocional do nosso site e para oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para mais informações sobre os cookies utilizados, consulte nossa Política de Privacidade.

Intercambista da Univates na Espanha

Marco Aurélio Magagnin - Administração - Espanha 2019B

"O intercâmbio é uma experiência difícil de descrever. 
Em um período curto de tempo, você abre mão de boa parte da comodidade da sua vida, do seu dia-a-dia e da proximidade física com as pessoas que você mais ama, para encarar um mundo totalmente diferente do qual está acostumado. 
 
Mesmo que ainda faltem 2 meses para o final do processo, já é possível mensurar o tamanho desse desafio. Aos poucos, percebo que a rotina de todos continua, independente da nossa presença ou não. 5 ou 6 meses depois, pouca coisa haverá mudado na nossa cidade, universidade ou trabalho. Imagino que a grande - e principal - mudança ocorrerá dentro de cada um de nós, que teve a possibilidade de encarar o mundo durante esse período.
 
Por momentos nos sentimos sozinhos, já em outros nos sentimos tão à vontade com nossos novos amigos, que parecemos carregar esses relacionamentos há muitos anos. Aprendemos a respeitar a rotina e tempo de cada um, o que nos faz valorizar mais o tempo que estamos junto com nossa nova "família". Nos tornamos menos egoístas com relação às pessoas, conscientes de que em algumas semanas cada um voltará ao seu mundo e de que mesmo assim estaremos sempre conectados, talvez com menos intensidade. 
 
Com a cabeça mais tranquila, percebemos que a saudade é um sentimento bom, que nos fará valorizar mais os momentos junto com as pessoas que queremos bem. Para sermos realmente felizes, não necessitamos muito mais do que bons relacionamentos e um lar simples, no qual nos sentiremos em casa depois de algum tempo.  
Aconselho muito, a quem tiver condições, de vivenciar essa experiência. Deixando em casa barreiras e medos, imagino que regressaremos dando mais valor às coisas básicas e às pessoas, que realmente são as coisas fundamentais em nossas vidas". 
 
Clique para ampliar

Diários Relacionadas