Utilizamos cookies neste site. Alguns são utilizados para melhorar sua experiência, outros para propósitos estatísticos, ou, ainda, para avaliar a eficácia promocional do nosso site e para oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para mais informações sobre os cookies utilizados, consulte nossa Política de Privacidade.

Univates

Carga horária:

4.120h - 5 anos

Turno:

EAD

Modalidade:

A Distância

Atos legais

Início de funcionamento: A/2020

Autorização: Resolução 035/Consun/UNIVATES, de 23/04/19

Projeto Pedagógico do Curso

Objetivos do curso

O curso de Engenharia de Produção na modalidade EAD, bacharelado, visa a formar engenheiros capacitados a exercer as atribuições profissionais de sua atividade, contribuindo para o bom exercício da profissão e o desenvolvimento da região e do país. 
Objetiva-se formar um profissional que integre conhecimentos técnico-científicos de engenharia e que seja capaz de compreender, propor e aplicar novas tecnologias na identificação e resolução de problemas da área. Além disso, é objetivo do curso preparar o estudante para a profissão de engenheiro de produção consciente de seu papel na sociedade, com comportamento ético, crítico e profissional adequados, exercendo a cidadania e a participação social.

Perfil do Egresso

Considerando os atuais cenários nacional e internacional, o egresso do curso de Engenharia de produção da Univates é um profissional com visão sistêmica e holística, o que compreende pensar globalmente e agir localmente, com competências voltadas para a contemporaneidade. Dessa forma, o profissional deverá estar preparado para desempenhar as funções que envolvem  projetar,  modelar, implementar os sistemas de produção de bens e operações de serviços, integrando  recursos humanos,  financeiros, materiais e tecnologia, os quais representam um sistema sociotécnico. Compete ainda especificar, prever e avaliar os resultados obtidos nestes sistemas para a sociedade e o meio ambiente, recorrendo a conhecimentos especializados da matemática, física, ciências humanas e sociais, conjuntamente com os princípios e métodos de análise e projeto da engenharia, atuando com ética, responsabilidade social e cidadania.  O engenheiro de produção formado pela Univates é um profissional com formação generalista, apto a atuar nas diversas áreas da Engenharia de Produção.

Competências

1. Busca de novos conhecimentos de forma autônoma
Autonomia para busca de atualização constante;
Desenvolvimento da autonomia e da comunicação;
Leitura de textos técnicos na língua inglesa;
Reconhecimento da necessidade de atualização constante;
Raciocínio lógico, crítico e analítico;
Identificação, análise e compreensão de variáveis relevantes à resolução e à modelagem de problemas de ordem quantitativos e qualitativos baseados em situações concretas e experimentos.
 
2. Expressão de ideias de forma clara, empregando técnicas de comunicação adequadas para cada situação
Análise da realidade a partir do diálogo argumentativo coerente;
Aplicação de diferentes formas de representação gráfica;
Aplicação do gênero adequado à situação comunicativa;
Aplicação e interpretação de diferentes formas de representação gráfica;
Atuação com ética e responsabilidade, visando a uma relação dialógica;
Compreensão da comunicação e do comportamento organizacional;
Compreensão e uso dos mecanismos de coesão e de recursos de coerência na construção do texto e na produção de sentidos;
Conhecimento de técnicas de mediação, negociação de conflitos e liderança;
Desenvolvimento da autonomia e da comunicação;
Desenvolvimento de produções escritas em forma de textos científicos, relatórios e resumos;
Domínio dos recursos e ferramentas de comunicação;
Emprego de diferentes estratégias de leitura adequadas ao contexto textual, aos objetivos de leitura e às intenções comunicativas;
Escrita com ênfase na coesão e na coerência;
Leitura de textos técnicos na língua inglesa;
Leitura e interpretação conceitual de questões fundamentais nas diversas ciências;
Percepção da leitura e da escrita como processo de construção e de produção de sentidos na interação autor-texto-leitor;
Uso da variedade linguística adequada ao gênero e à situação comunicativa, tanto na linguagem oral quanto na escrita, com foco na linguagem formal.
 
3. Supervisão e liderança de equipes de trabalho
Ação colaborativa em harmonia com o interesse coletivo;
Aplicação de planos de manutenção;
Ação colaborativa na definição, apresentação e execução de soluções;
Compreensão dos fatores que interferem no relacionamento interpessoal;
Conhecimento de técnicas de mediação, negociação de conflitos e liderança;
Demonstração de capacidade de trabalhar em grupo, de ser proativo e de cumprir prazos e acordos;
Desenvolvimento de atitudes adequadas ao trabalho em equipe;
Gerenciamento de rotinas operacionais;
Organização e planejamento de rotinas de manutenção;
Reconhecimento das limitações individuais e da necessidade de cooperação.
 
4. Atuação social, ambiental e profissional de forma ética
Análise crítica do resultado dos processos produtivos nos contextos social e ambiental;
Aplicação dos princípios de mediação ambiental;
Atuação com ética e responsabilidade, visando a uma relação dialógica;
Avaliação crítica da relação homem-ambiente;
Compreensão da interdisciplinaridade socioambiental;
Construção de posicionamento crítico sobre os valores ambientais;
Identificação das características ambientais regionais e globais;
Questionamento de conceitos preestabelecidos;
Reconhecimento dos princípios, valores, costumes e hábitos da sociedade;
Reflexão acerca dos pressupostos teóricos da ação científica e social;
Reflexão sobre os processos socioambientais;
Responsabilidade socioambiental;
Tratamento e tematização de problemas morais e éticos;
Conhecimento e escolha de métodos, técnicas, estratégias e ferramentas para resolução de problemas.

5. Atuação em diferentes níveis de responsabilidade dentro de uma organização
Compreensão da comunicação e do comportamento organizacional;
Compreensão da cultura organizacional;
Compreensão da evolução tecnológica, de metodologias de trabalho e de dispositivos legais
do exercício profissional;
Compreensão da multidisciplinaridade existente nas relações de trabalho;
Gerenciamento de rotinas operacionais;
Identificação dos elementos que integram o planejamento;
Planejamento, organização, direção e controle;
Aplicação de ferramentas de apoio, técnicas de análise e modelagem à resolução de problemas;
Atuação com ética e responsabilidade, visando a uma relação dialógica;
Condução de desenvolvimento de produto ou processo com definição de prazo.
 
6. Assessoria e consultoria a empresas nas áreas de formação do curso
Compreensão da cultura organizacional;
Compreensão da evolução tecnológica, de metodologias de trabalho e de dispositivos legais
do exercício profissional;
Gestão de recursos, riscos e qualidade;
Identificação de falhas e proposição de ações corretivas;
Identificação dos elementos que integram o planejamento;
Planejamento, organização, direção e controle;
Questionamento de conceitos preestabelecidos;
Reconhecimento da necessidade de atualização constante;
Reconhecimento dos requisitos para a elaboração de planos.

7. Dimensionamento e integração de recursos físicos, humanos, tecnológicos e financeiros para a produção de bens e serviços
Análise crítica de processos e sistemas;
Análise econômica para implementação de sistemas, produtos e processos;
Análise técnica para implementação de sistemas, produtos e processo;
Aplicação de ferramentas de apoio à concepção de sistemas, produtos e processos;
Avaliação crítica da relação homem-ambiente;
Concepção de modelos reais ou abstratos para desenvolvimento de artefatos;
Identificação e seleção dos recursos necessários para desenvolvimento de sistemas, produtos e processos;
Identificação e seleção dos recursos necessários para execução de projetos e serviços;
Utilização de ferramentas de apoio à concepção de sistemas, produtos e processos.
 
8. Utilização de ferramental matemático e estatístico para otimizar sistemas de produção e o processo decisório
Análise crítica de processos e sistemas;
Análise econômica para implementação de sistemas, produtos e processos;
Análise técnica para implementação de sistemas, produtos e processo;
Aplicação de ferramentas de apoio à concepção de sistemas, produtos e processos;
Avaliação crítica da relação homem-ambiente;
Concepção de modelos reais ou abstratos para desenvolvimento de artefatos;
Identificação e seleção dos recursos necessários para desenvolvimento de sistemas,
produtos e processos;
Identificação e seleção dos recursos necessários para execução de projetos e serviços;
Utilização de ferramentas de apoio à concepção de sistemas, produtos e processos.

9. Projeção de produtos (bens e serviços) e seus processos de produção
Análise econômica para implementação de sistemas, produtos e processos;
Análise técnica para implementação de sistemas, produtos e processos;
Aplicação de diferentes formas de representação gráfica;
Aplicação de ferramentas de apoio à concepção de sistemas, produtos e processos;
Aplicação de normas técnicas e padrões de operação;
Aplicação e interpretação de diferentes formas de representação gráfica;
Avaliação crítica da relação homem-ambiente;
Compreensão das variáveis que influenciam na tomada de decisões;
Concepção de modelos reais ou abstratos para desenvolvimento de artefatos;
Condução de desenvolvimento de produto ou processo com definição de prazo;
Conhecimento de métodos, técnicas, estratégias e componentes para resolução de
problemas;
Escolha e aplicação da metodologia adequada para a condução de experimentos;
Identificação dos requisitos do sistema, produto ou processo;
Identificação e compreensão das características de processos e sistemas;
Organização dos métodos e recursos necessários para execução de projetos e serviços;
Utilização de ferramentas de apoio à concepção de sistemas, produtos e processos.
 
10. Aplicação de conceitos e de técnicas da qualidade aos sistemas de produção
Aplicação de métodos de controle da execução de projetos e serviços;
Aplicação de normas técnicas e padrões de operação;
Compreensão das variáveis que influenciam na tomada de decisões;
Compreensão de normas técnicas e padrões de operação;
Conhecimento e escolha de métodos, técnicas, estratégias e ferramentas para resolução de
problemas;
Conhecimento e interpretação de normas técnicas;
Escolha e aplicação da metodologia adequada para a condução de experimentos;
Gestão de recursos, riscos e qualidade;
Identificação de falhas e proposição de ações corretivas;
Investigação de alternativas para resolução de problemas;
Reconhecimento de recursos, riscos e qualidade;
Utilização de ferramentas de apoio à análise de dados.
 
11. Desenvolvimento de sistemas de avaliação de desempenho e de custeio
Avaliação crítica dos resultados alcançados;
Avaliação de resultados do uso de novas ferramentas e técnicas em relação às existentes;
Análise econômica para implementação de sistemas, produtos e processos;
Compreensão das variáveis que influenciam na tomada de decisões;
Identificação, análise e interpretação de variáveis relevantes à compreensão e modelagem de
problemas quantitativos.

12. Avaliação da viabilidade técnica, econômica e financeira de projetos
Análise econômica das alternativas de implementação de projetos;
Análise econômica para implementação de sistemas, produtos e processos;
Avaliação crítica dos resultados alcançados;
Conhecimento e aplicação das técnicas de análise econômica de projetos;
Identificação das variáveis econômicas de uma atividade de engenharia;
Identificação, análise e interpretação de variáveis relevantes à compreensão e modelagem de problemas quantitativos.

13. Emissão de laudos e pareceres
Desenvolvimento da autonomia e da comunicação;
Gestão de recursos, riscos e qualidade;
Leitura e interpretação conceitual de questões fundamentais nas diversas ciências;
Compreensão da evolução tecnológica, de metodologias de trabalho e de dispositivos legais
do exercício profissional;
Uso da variedade linguística adequada ao gênero e à situação comunicativa, tanto na linguagem oral quanto na escrita, com foco na linguagem formal;
Leitura de textos técnicos na língua inglesa;
Aplicação de normas técnicas e padrões de operação.

14. Realização de pesquisa científica e tecnológica
Análise crítica sobre informações provenientes de diferentes fontes;
Conhecimento de métodos de pesquisa científica e tecnológica;
Desenvolvimento de produções escritas, em forma de textos científicos, relatórios e resumos;
Escolha e aplicação da metodologia adequada para a condução de experimentos;
Identificação do problema de pesquisa e formulação de hipóteses;
Identificação dos elementos constitutivos e relevantes do problema a ser resolvido;
Identificação, análise e compreensão de variáveis relevantes à resolução e modelagem de problemas quantitativos baseados em situações concretas e experimentos;
Identificação, compreensão e aplicação de técnicas de abordagem numérica à modelagem de problemas quantitativos;
Investigação de alternativas para resolução de problemas;
Leitura e interpretação conceitual de questões fundamentais nas diversas ciências;
Uso da variedade linguística adequada ao gênero e à situação comunicativa, tanto na linguagem oral quanto na escrita, com foco na linguagem formal;
Utilização de instrumentos de laboratório.

15. Atuação como empreendedor
Análise econômica para implementação de sistemas, produtos e processos;
Iniciativa e atitude empreendedora;
Planejamento, organização, direção e controle;
Questionamento de conceitos preestabelecidos;
Raciocínio lógico, crítico e analítico;
Reconhecimento dos requisitos para a elaboração de planos;
Aplicação de ferramentas de apoio, técnicas de análise e modelagem à resolução de problemas;
Atuação com ética e responsabilidade, visando a uma relação dialógica;
Identificação de oportunidades;
Responsabilidade socioambiental.

Matriz Curricular

O aluno pode verificar a matriz curricular do curso para conhecer as disciplinas, ter acesso ao código, às horas-aula e aos créditos de cada uma.

Proficiências

No decorrer do curso é necessário que o estudante comprove proficiência em Língua Inglesa,
uma vez que o domínio de um idioma adicional, para além de um diferencial, se mostra, cada vez
mais, fundamental para o exercício profissional.
A proficiência em Língua Inglesa é requisito para conclusão do curso, sendo exigida para
realização do trabalho de conclusão, e não computa carga horária na matriz curricular. A
comprovação da condição de proficiente segue regulamentação específica para a matéria.
Fica facultado ao estudante o aproveitamento de um componente curricular de língua inglesa, em nível de graduação (80 h), como forma de obter a dispensa da prova de proficiência.

Estágio Curricular Supervisionado

O Estágio Supervisionado é obrigatório no curso de Engenharia de Produção da Univates e se caracteriza como um processo de aquisição e aprimoramento de conhecimentos e de habilidades essenciais ao exercício profissional, integrando teoria e prática, ensino, pesquisa e extensão. Buscando contribuir para o desenvolvimento das habilidades dos estudantes e também para sua empregabilidade, o estágio objetiva proporcionar-lhes a oportunidade de ampliar seus conhecimentos, oferecendo possibilidades de prática nas áreas profissionalizantes da Engenharia de Produção.
A duração do estágio supervisionado é de 160 (cento e sessenta) horas obrigatórias, distribuídas em quatro componentes curriculares de 40 (quarenta) horas cada um.
 
Os objetivos específicos do Estágio Curricular Supervisionado são:
-  contribuir para a formação profissional, técnica e humanística do estudante e para o
aprofundamento de conhecimentos técnico-científicos de Engenharia de Produção;
- possibilitar ao estudante o desenvolvimento de práticas direcionadas a assuntos inerentes à
profissão do engenheiro de produção em situações que permitam o contato com a realidade das organizações;
- interagir com situações reais da profissão que façam a relação entre o domínio de
conhecimento e de aplicação;
- perceber o contexto de uma organização permitindo o entendimento da inovação e da
criatividade dentro da perspectiva de negócios;
- proporcionar situações que permitam o desenvolvimento das habilidades e competências
previstas no PPC.

Da organização
O estágio supervisionado desenvolve-se após cursadas, no mínimo, 2.000 (duas mil) horas da matriz curricular, obedecendo aos pré-requisitos específicos necessários. 
No Estágio Supervisionado Obrigatório, o estudante deve, primeiramente, conhecer a rotina da organização concedente para, então, propor um plano de estágio, considerando as necessidades dessa organização. Em seguida deverá realizar as atividades previstas no plano e, no final, gerar um relatório do estágio.
O estágio é atividade de competência do curso e deve ser desenvolvido pelos estudantes sob supervisão.

O estágio somente é desenvolvido:
I. em unidades que apresentam as condições necessárias e adequadas para a sua realização
- caso a empresa concedente não tenha profissional com formação na área solicitada, o professor supervisor avaliará a possibilidade de aceitar outra formação e a experiência profissional em área de conhecimento do curso, desde que esta fique comprovada no Termo de Compromisso de Estágio ou no protocolo de Autorização/Aproveitamento de atividades profissionais como atividades para o estágio curricular - graduação;
II. se tiverem sido cumpridas as exigências relacionadas com o instrumento jurídico entre a
Univates e demais integrantes, conforme regulamentação interna da IES;
III. se atendidas as exigências do presente Regulamento.

a) Dos componentes curriculares
Os Estágios Supervisionado são oferecidos nos módulos 15, 16, 17 e 18, conforme os objetivos a seguir:
Estágio Supervisionado I:
- desenvolver a base teórica dos métodos e dos recursos necessários para execução futura do estágio prático;
- elaborar um questionário a partir da base teórica, com o objetivo de conhecer o campo profissional em que será realizado o estágio.
Estágio Supervisionado II:
- aplicar o questionário desenvolvido no Estágio I em uma organização;
- reconhecer e resumir as atividades realizadas em uma organização;
- elaborar um plano de estágio.
Estágio Supervisionado III:
- acompanhar as atividades realizadas em uma organização;
- propor aplicações de técnicas próprias da Engenharia de Produção;
- vivenciar a realidade do profissional engenheiro de produção.
Estágio Supervisionado IV:
- acompanhar as atividades realizadas em uma organização;
- propor aplicações de técnicas próprias da Engenharia de Produção;
- vivenciar a realidade do profissional engenheiro de produção;
- elaborar um relatório sobre o estágio.

b) Da coordenação e orientação
As atividades de coordenação e de orientação, compreendidos o acompanhamento, a supervisão e a avaliação dos trabalhos desenvolvidos pelo estudante durante o Estágio Supervisionado, são de responsabilidade do curso e exercidas pelo seu coordenador ou por professor por ele nomeado como coordenador de estágio supervisionado.
Cabe ainda ao coordenador zelar pelo cumprimento integral das premissas determinadas pelo PPC e, quando requerido:
- aprovar o plano de trabalho do estágio sob sua responsabilidade que, obrigatoriamente, deve estabelecer carga horária, duração, descrição das atividades e roteiro de elaboração do relatório de estágio;
- acompanhar e supervisionar as atividades desenvolvidas pelos professores orientadores no
estágio;
- acompanhar, supervisionar e avaliar o desenvolvimento das atividades dos estudantes no
estágio;
- zelar para que seja atendido o trâmite do Termo de Compromisso com a unidade concedente do estágio;
- deliberar sobre assuntos inerentes ao estágio.
O coordenador do estágio supervisionado obrigatório destinará carga horária semanal para realizar as atividades supramencionadas, conforme previsto no Regimento Interno da Univates, ou o equivalente à carga horária destinada a um componente curricular de carga horária equivalente, quando este for omisso.
 
c) Do professor orientador
O professor orientador do Estágio Supervisionado é o responsável pelas atividades de orientação dos estudantes nas práticas investigativas necessárias para o desenvolvimento do estágio, pelo controle das orientações e pela autorização da entrega do relatório final. Nos casos em que o professor orientador julgar que o trabalho escrito não está em condições de ser apreciado pelos avaliadores, deve notificar o estudante e o coordenador do estágio, apresentando por escrito as justificativas que levam a essa decisão.
Além disso, é responsável por:
- acompanhar, supervisionar e avaliar o desenvolvimento das atividades do estudante no
estágio;
- elaborar problemas que envolvam conhecimentos técnico-científicos e que permitam avaliar o desenvolvimento das habilidades e competências previstas no PPC;
- avaliar o Relatório de Estágio elaborado pelo estudante contendo a proposta de solução para os problemas apresentados;
- efetuar os registros acadêmicos referentes à realização do estágio;
- deliberar sobre assuntos inerentes ao estágio.

d) Do estagiário e suas atribuições
Somente o estudante regularmente matriculado no curso e que cumpriu os pré-requisitos exigidos tem direito de realizar o estágio. O horário e o número total de horas semanais para o desenvolvimento do estágio devem ser compatíveis com o horário dos componentes curriculares em que o estudante estiver matriculado no módulo de sua realização e com o horário da unidade
concedente do estágio.
São atribuições do estagiário:
- planejar as atividade a serem desenvolvidas no estágio por meio de um plano de estágio;
- desenvolver as atividades programadas para o estágio;
- cumprir integralmente o total de horas previstas para o estágio;
- ser assíduo e pontual tanto no desenvolvimento das atividades quanto na entrega dos relatórios exigidos;
- portar-se de forma ética e responsável;
- redigir o relatório final de forma clara, coerente, com linguagem adequada e cumprir o prazo de entrega estipulado.

e) Da produção dos relatórios
O estudante deve entregar no ambiente virtual do Estágio Supervisionado o relatório final dos seus estudos dentro do prazo determinado pelo cronograma. Para tanto, receberá suporte técnico de seu professor orientador e, quando necessário, do professor coordenador.
O relatório final obedecerá à estrutura de relatório prevista no Manual da Univates para Trabalhos Acadêmicos ou, em casos omissos neste, às normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

f) Da avaliação
A avaliação obedece ao previsto no Regulamento da Univates para cursos EAD e no plano de ensino dos estágios oferecidos. Compreende o acompanhamento e a verificação do desempenho do estudante nas atividades propostas no estágio, envolvendo:
I - cumprimento das atividades programadas, em que a participação e o desenvolvimento são obrigatórios;
II - execução de todos os trabalhos e tarefas, cuja realização é obrigatória.
Avaliados os instrumentos de acompanhamento elaborados pelos professores orientadores
do estágio, o estagiário é considerado aprovado quando atendidos os mesmos critérios de aprovação dos demais componentes curriculares que compõem o currículo do curso.

g) Da indicação para publicação
O relatório final aprovado com nota igual ou superior a oito, desde que de acordo com o grau
de sigilosidade das informações nele contidas, poderá ser indicado para:
- publicação em revistas e periódicos em formato de artigo;
- fazer parte do acervo da Biblioteca da Univates;
- apresentação na Mostra de Ensino da área de gestão organizacional;
- apresentação na Semana Acadêmica do Curso ou em outros eventos da Univates;
- outros eventos indicados pela Univates.

h) Dos documentos de controle e execução dos estágios
Os documentos de controle e execução dos estágios estão disponíveis em meio físico ou
eletrônico, publicados preferencialmente no ambiente virtual do Estágio Supervisionado. São
documentos de controle e execução dos estágios:
- termo de compromisso com a unidade concedente de estágio;
- termo de consentimento livre e esclarecido.
 
i) Das disposições finais
Qualquer omissão do presente Regulamento será encaminhada ao Núcleo Docente Estruturante do curso, responsável por solucioná-la ou encaminhá-la ao órgão competente da Univates.
O regulamento de estágio do curso entra em vigor na data da publicação da aprovação do PPC.

Estágio Não Obrigatório

Da caracterização do estágio
O estágio, segundo o art. 1º da Lei 11.788/2008, caracteriza-se como "um ato educativo escolar supervisionado" que tem como finalidade a preparação para o trabalho e para a vida cidadã dos estudantes que estão regularmente matriculados e frequentando curso em instituição superior.
O estágio não obrigatório que deve integrar o projeto pedagógico de cada curso é uma atividade opcional acrescida à carga horária regular e obrigatória do curso, não se constituindo, porém, um componente indispensável à integralização curricular.
 
Dos objetivos
Geral

Oportunizar ao estudante ampliar conhecimentos, aperfeiçoar e/ou desenvolver habilidades e atitudes necessárias para o bom desempenho profissional, vivências que contribuam para o adequado relacionamento interpessoal e a participação ativa na sociedade.

Específicos
Possibilitar ao estudante matriculado e que frequenta o curso de Engenharia de Produção, bacharelado, da Universidade do Vale do Taquari - Univates:
- vivenciar situações que ampliem o conhecimento da realidade na área de formação do
estudante;
- ampliar o conhecimento sobre a organização profissional e o desempenho profissional;
- interagir com profissionais da área em que atuar, com pessoas que direta ou indiretamente
se relacionam com as atividades profissionais, com vistas a desenvolver e/ou aperfeiçoar habilidades e atitudes básicas e específicas necessárias para a atuação profissional;
- vivenciar experiências profissionais de forma integrada com o aprendizado.

Das exigências e critérios gerais de execução
A realização do estágio não obrigatório deve obedecer às seguintes determinações:
I - o estudante deve estar matriculado e frequentando regularmente curso de educação superior da Universidade do Vale do Taquari - Univates;
II - obrigatoriedade de concretizar a celebração de termo de compromisso entre o estagiário, a parte concedente do estágio e a Univates antes do início das atividades;
III - as atividades realizadas pelo estudante em estágio devem compatibilizar-se com o horário de estudos e aquelas previstas no termo de compromisso;
IV - a carga horária máxima da jornada de atividades do estudante estagiário será de seis horas diárias e de 30 (trinta) horas semanais;
V - o período de duração do estágio não obrigatório não pode exceder dois anos, exceto quando se tratar de estudante com deficiência;
VI - o estágio não obrigatório não cria vínculo empregatício de qualquer natureza, devendo o estudante receber bolsa ou outra forma de contraprestação das atividades que irá desenvolver. A
eventual concessão de benefícios relacionados a transporte, alimentação e saúde, entre outros,
também não caracteriza vínculo empregatício;
VII - se houver alguma forma de contraprestação ou bolsa de estágio não obrigatório, o pagamento do período de recesso será equivalente a 30 (trinta) dias sempre que o estágio tiver duração igual ou superior a um ano, a ser gozado preferencialmente durante as férias escolares. No caso de o estágio ter duração inferior a um ano, os dias de recesso serão concedidos de maneira proporcional;
VIII - a unidade concedente deve contratar em favor do estagiário seguro de acidentes pessoais, cuja apólice seja compatível com valores de mercado, conforme consta no termo de compromisso;
IX - as atividades de estágio não obrigatório devem ser desenvolvidas em ambiente com condições adequadas e que possam contribuir para aprendizagens do estudante estagiário nas áreas social, profissional e cultural;
X - cabe à Univates comunicar, quando solicitada, à unidade concedente ou ao agente de integração (se houver) as datas de realização de avaliações escolares acadêmicas;
XI - segundo o art. 14 da Lei 11.788/2008, "aplica-se ao estagiário a legislação relacionada à saúde e segurança no trabalho, sendo sua implementação de responsabilidade da parte concedente do estágio". 

Das exigências e critérios específicos
I - O estágio supervisionado não obrigatório do curso de Engenharia de Produção, bacharelado, envolve atividades relacionadas aos processos gerenciais das organizações;
II - O estágio supervisionado não obrigatório oportuniza ao estudante o início da sua atuação profissional, pela realização de atividades coordenadas pelo supervisor de campo designado pela unidade concedente, as quais possibilitam o desenvolvimento dos conhecimentos, competências e habilidades profissionais, sociais e culturais;
III - Pode desenvolver atividades sob supervisão da instituição formadora e de pessoa designada pela organização concedente o estudante que estiver cursando ou tiver concluído 200 (duzentas) horas de estudos no curso.

Das atribuições do professor supervisor de estágio
A supervisão do estágio não obrigatório fica a cargo do coordenador do curso ou de um professor indicado por ele, ao qual cabe acompanhar e avaliar as atividades realizadas pelo estagiário e tendo como base o plano e o(s) relatório(s) do estagiário, bem como as informações do profissional responsável na organização concedente.

Das atribuições do supervisor da parte concedente
O supervisor da parte concedente é um profissional do quadro de funcionários indicado pela organização contratante, responsável pelo acompanhamento do estudante estagiário durante o desenvolvimento das atividades, devendo possuir formação superior na área do curso ou afim e experiência profissional na área de formação do curso, comprovada no Termo de Compromisso de Estágio e na Declaração de Supervisão de Estágio. Cabe também ao supervisor indicado pela organização concedente comunicar à Central de Carreiras da Univates quaisquer irregularidades ou, se for o caso, a desistência do estudante estagiário, assim como efetuar os registros relacionados ao desempenho do estudante.
 
Das atribuições do estagiário
Cabe ao estagiário contratado para desenvolver estágio não obrigatório:
a) indicar a organização em que realizará o estágio não obrigatório à Central de Carreiras da
Univates ou ao responsável administrativo do agente de integração;
b) elaborar o plano de atividades e desenvolver as atividades definidas;
c) responsabilizar-se pelo trâmite do Termo de Compromisso, devolvendo-o à Central de
Carreiras da Univates ou ao responsável administrativo do agente de integração, se houver,
convenientemente assinado e dentro do prazo previsto;
d) ser assíduo e pontual tanto no desenvolvimento das atividades quanto na entrega dos
documentos exigidos;
e) portar-se de forma ética e responsável.

Das disposições finais
A Central de Carreiras, o Núcleo de Apoio Pedagógico e os coordenadores de curso devem trabalhar de forma integrada no que se refere ao estágio não obrigatório dos estudantes matriculados nos cursos de ensino superior da Univates, seguindo as disposições contidas na legislação em vigor e as normas internas contidas no regulamento do estágio não obrigatório e na Resolução 042/Consun/Univates, de 2 de julho de 2018.
As unidades concedentes, assim como os agentes de integração, devem seguir o estabelecido na legislação em vigor, nas disposições do Regulamento do Estágio Não Obrigatório e nas normas e orientações da Univates que tratam do assunto.

Atividades Complementares

Atividades Exigências
Profissional(40 horas)
Estágio não obrigatório

a) comprovar que a atividade realizada está relacionada com as atribuições profissionais; b) ser executada em empresa, instituição ou outra organização, com registro; c) ter sido realizada por, pelo menos, quatro meses com carga horária semanal mínima de 12 horas; d) pontuação de até cinco horas por mês trabalhado; e) apresentar cópia do Contrato de Estágio Não Obrigatório e atestado das atividades realizadas emitido pelo concedente, atendendo as normas vigentes na Univates (Central de Carreiras).

Realização de atividades profissionais

a) comprovar que a atividade realizada está relacionada com as atribuições profissionais; b) ser executada em empresa, instituição ou outra organização, com registro; c) ter sido realizada por, pelo menos, quatro meses com carga horária semanal mínima de 20 horas; d) pontuação de até cinco horas por mês trabalhado; e) apresentar carteira de trabalho que comprove o vínculo empregatício e atestado das atividades realizadas emitido pelo concedente.

Pesquisa(80 horas)
Apresentação de trabalhos em eventos

a) apresentar atestado de apresentação; b) pontuação: até seis horas por trabalho apresentado na modalidade oral; até três horas por trabalho apresentado na modalidade de pôster.

Premiação ou mérito em trabalho acadêmico

a) apresentar comprovação da premiação com data de publicação; b) pontuação de até 10 horas por prêmio.

Autor ou coautor de capítulo de livro

a) apresentar comprovação da publicação com data de publicação; b) pontuação de até 20 horas por capítulo; c) pontuação máxima de 80 horas.

Publicação de artigos em periódicos

a) apresentar comprovação da publicação; b) pontuação de até 40 horas por publicação.

Publicação de resumos em anais

a) apresentar comprovação da publicação; b) pontuação de até 20 horas por publicação.

Publicação de artigos em anais

a) apresentar comprovação da publicação; b) pontuação de até 30 horas por publicação.

Participação como bolsista em projetos de pesquisa

a) apresentar atestado de participação com período de atuação e carga horária; b) comprovar que a atividade tem duração mínima de quatro meses; c) pontuação de até cinco horas por mês.

Extensão(80 horas)
Atuação como instrutor em cursos de extensão

a) apresentar atestado com carga horária e período de realização; b) pontuação de até 40 horas por curso ministrado.

Atuação em trabalhos sociais ou voluntários

a) serem realizados em entidade pública de qualquer natureza ou em instituição privada de fins não lucrativos que tenha objetivos cívicos, culturais, educacionais, científicos, recreativos ou de assistência social, inclusive mutualidade (Lei nº 9.608, de 18/02/1998); b) apresentar atestado de participação emitido pela instituição promotora da atividade em documento oficial com identificação e assinatura do representante legal, com período de realização e carga horária; c) se realizados na Univates, antes do início das atividades, ter preenchido o Termo de Adesão de Serviço Voluntário na Central de Carreiras e apresentar atestado emitido pela Central de Carreiras com período de realização, carga horária e atividades realizadas; e) pontuação de até 20 horas por atividade.

Representação estudantil em cargos eletivos do Diretório Acadêmico do curso

a) apresentar atestado com período da ocupação do cargo não inferior a um ano; b) pontuação de até 20 horas.

Intercâmbio interinstitucional de estudos

a) ser realizado em Instituição de Ensino Superior conveniada com a Univates; b) estar de acordo com as normas da Univates; c) se aprovado em, pelo menos, um componente curricular cursado, pontuação de até 80 horas; d) sem aprovação em componentes curriculares, pontuação de até 40 horas.

Participação como bolsista em projetos de extensão

a) apresentar atestado de participação com período de realização e carga horária; b) comprovar que a atividade tem duração mínima de quatro meses; c) pontuação de até cinco horas por mês.

Representação estudantil em reuniões do conselho do curso

a) apresentar atestado com período de participação não inferior a um ano; b) ter participado pelo menos em 50% das reuniões do ano; c) pontuação de uma hora por reunião.

Viagens de estudo

a) ser organizada pela Univates ou pelo Diretório Acadêmico do curso seguindo a regulamentação interna da Instituição; b) pontuação de até oito horas por dia útil da viagem de estudos; c) pontuação de até 40 horas por viagem.

Participação em cursos de extensão promovidos por organizações ou IES legalmente reconhecidas

a) apresentar atestado de participação com carga horária e período de realização; b) pontuação de até 30 horas por curso de extensão; c) caso seja realizado na modalidade online, serão validados 50% da carga horária total da atividade, considerando o limite máximo de 15 horas.

Participação como ouvinte em eventos: seminários, congressos, simpósios, palestras, semanas acadêmicas, apresentação de TCCs, conferências, encontros, workshop, colóquios, oficinas, fórum, minicursos etc. promovidos por organizações ou IES legalmente reconhecidas.

a) apresentar atestado de participação com carga horária e período de realização; b) pontuação de até 30 horas por evento; c) caso seja realizado na modalidade online, serão validados 50% da carga horária total da atividade, considerando o limite máximo de 15 horas.

Participação em concursos de trabalhos acadêmicos ou inovação tecnológica

a) apresentar atestado com período de realização; b) ser pertinente à formação do acadêmico; c) pontuação de até 20 horas.

Atuação em trabalhos do processo eleitoral

a) apresentar atestado com data de participação; b) pontuação de até oito horas por dia.

Ensino(40 horas)
Monitoria em laboratório de ensino

a) ter sido realizada na Univates; b) apresentar atestado com período de realização e carga horária semanal; c) comprovar que a atividade tem duração mínima de quatro meses; d) carga horária semanal mínima de três horas; e) pontuação de até 40 horas por monitoria.

Componente curricular oferecido em cursos de graduação ou pós-graduação de outra IES

a) apresentar atestado de conclusão com aprovação; b) pontuação de até 40 horas; c) ter sido cursado antes do ingresso no curso da Univates e não exceder cinco anos da conclusão do componente curricular.

Monitoria em componente curricular

a) ter sido realizada na Univates; b) apresentar atestado com período de realização e carga horária semanal; c) comprovar que a atividade tem duração mínima de quatro meses; d) carga horária semanal mínima de três horas; e) pontuação de até 40 horas.

Curso de Pós-Graduação

a) apresentar certificado de conclusão com aprovação; b) pontuação de até 40 horas; c) ter sido cursado antes do ingresso no curso de graduação da Univates e não exceder cinco anos da conclusão.

Componente curricular oferecido por outros cursos de graduação ou pós-graduação da Univates

a) apresentar atestado de conclusão com aprovação; b) pontuação de até 40 horas.

Trabalho de Conclusão de Curso

Introdução
É requisito para colação de grau como bacharel em Engenharia de Produção a elaboração de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), visando à consolidação da aprendizagem, desenvolvendo a capacidade investigativa e aprofundando um tema relacionado ao curso.
O TCC constitui-se de uma monografia ou artigo completo versando sobre uma subárea, ou um conjunto de subáreas, coerentes entre si, abordadas no curso e de interesse do estudante. As subáreas devem estar contempladas pelas diretrizes da Associação Brasileira de Engenharia de Produção (Abepro).

Mais informações
Da natureza e dos objetivos
O TCC tem como objetivos: consolidar e integrar os conhecimentos construídos ao longo do curso.

Da organização e execução
O TCC é integralizado em quadro módulos e, por razões acadêmico-administrativas, está dividido em quadro componentes curriculares: Trabalho de Conclusão de Curso - Etapas I, II, III e IV, conforme os objetivos a seguir:
 
 Trabalho de Conclusão de Curso - Etapa I
- desenvolver pesquisa bibliográfica;
- entender oportunidades de pesquisa e definir tema e objetivos de um projeto;
- definir metodologia de realização da pesquisa.
 
 Trabalho de Conclusão de Curso - Etapa II
- desenvolver pesquisa bibliográfica;
- entender, comparar e explicar conteúdos publicados.
 
 Trabalho de Conclusão de Curso - Etapa III
- realizar o estudo proposto no projeto do Trabalho de Conclusão etapas I e II, de forma a atender os objetivos propostos.
 
 Trabalho de Conclusão de Curso - Etapa IV
- finalizar o estudo ou trabalho.
 
O estudante deve cursar as Etapas em módulos consecutivos.
A execução do trabalho é orientada por um professor da Universidade do Vale do Taquari em horário preestabelecido entre o orientando e o professor orientador. Cabe ao coordenador do curso designar o professor orientador.
Havendo comum acordo entre estudante e orientador, o documento final do Trabalho de Conclusão de Curso - Etapa IV poderá ser uma monografia ou artigo completo. Não havendo comum acordo, o documento será executado na forma de monografia.
 
Da coordenação dos trabalhos de conclusão
A coordenação dos componentes curriculares de Trabalho de Conclusão é realizada por um professor indicado pela direção de Centro, podendo ser o próprio coordenador de curso. Compete ao professor coordenador instruir os estudantes quanto aos procedimentos atinentes à realização do TCC, ao cronograma e aos prazos para entrega.

Das competências do professor orientador
Compete ao professor orientador prover apoio para o desenvolvimento do trabalho, auxiliando o estudante nas práticas investigativas e na estruturação do documento.

Das competências do estudante
Compete ao estudante buscar orientação; desenvolver as atividades planejadas e indicadas pelo professor orientador; seguir as normas éticas; respeitar os direitos autorais e cumprir os prazos estipulados.
 
São atribuições do estudante:
- definir tema relacionado à área de seu interesse para elaboração da monografia ou do artigo científico;
- apresentar de forma parcial ou integral seu trabalho de conclusão ao final de cada componente curricular;
- desenvolver as atividades previstas para o TCC conforme cronograma, sob orientação do professor orientador;
- cumprir integralmente as atividades previstas para o TCC;
- ser assíduo e pontual tanto no desenvolvimento das atividades exigidas quanto na entrega dos relatórios e documentos relativos ao TCC;
- informar ao tutor ou ao professor orientador qualquer dificuldade na realização do TCC;
- comunicar ao tutor ou professor orientador quando as informações contidas no estudo necessitarem de sigilo;
- redigir a monografia ou artigo científico de forma clara, coerente, com linguagem adequada e cumprir o prazo de entrega estipulado;
- revisar e alterar a monografia ou artigo científico com as sugestões dos avaliadores, acatadas a partir da análise realizada pelo professor orientador.
 
Da avaliação
Devido à natureza das atividades que compõem o TCC, a avaliação do desempenho acadêmico do estudante nas Etapa I, II, III e IV é expressa por uma única nota, de zero a dez, não existindo recuperação. 
Os trabalhos são avaliados pelos examinadores de acordo com a coerência do texto, levando em consideração o tipo de documento produzido e a metodologia utilizada. Os critérios de avaliação são fixados nas normas complementares do TCC definidas pelo NDE, tendo como elementos norteadores a estrutura, a qualidade e a coerência do documento.
O acadêmico que incorrer em ilicitudes, como, por exemplo, a prática do plágio, na elaboração do seu TCC estará automaticamente reprovado sem prejuízo de outras providências legais e acadêmicas cabíveis. Da mesma forma, a falta de registros de pelo menos seis momentos de orientação é motivo para reprovação por infrequência.
Ao término dos componentes curriculares do Trabalho de Conclusão de Curso - Etapas I, II e III, o documento produzido será submetido a uma comissão examinadora, formada por dois professores da Universidade do Vale do Taquari, sendo um deles o professor orientador, que conferem a nota final da etapa.
O Trabalho de Conclusão de Curso - Etapa IV será avaliado por uma comissão examinadora formada por três professores da Universidade do Vale do Taquari ou profissionais convidados, sendo um deles o professor orientador. 

Serviço de Apoio à Aprendizagem

O atendimento psicopedagógico é um serviço de apoio aos estudantes com necessidades especiais e/ou dificuldades de aprendizagem, realizado por um profissional vinculado ao Núcleo de Apoio Pedagógico. O atendimento pode ser solicitado pelo professor, pelo coordenador de curso ou pelo próprio estudante, tendo como objetivo auxiliar o aluno no seu processo de aprendizagem.

Coordenação do curso

Atendimento

Quarta-feira: das 13:30 às 17:30
Quinta-feira: das 13:30 às 17:30
Terça-feira: das 08:00 às 12:00

Contato

Evandro Franzen
engenharias-ead@univates.br
(51) 3714-7000 - Ramal 5599

Localização

Sala 226 - Prédio 2

Agende seu horário previamente. Caso você não consiga contato com a coordenação de curso, contate o seu centro.