PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS: UMA ANÁLISE PARA O JARDIM BOTÂNICO BENJAMIM MARANHÃO, JOÃO PESSOA (PB)

Josimar Vieira dos Reis, Jadson Freire da Silva, Antonio Helton Vasconcelos dos Santos, Elisabeth Regina Alves Cavalcanti Silva

Resumo


Este artigo versa sobre a análise da à Lei nº 10.165/2013 que é a legislação estadual para o Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) do Estado da Paraíba, demonstrando as possibilidades de um subprograma de PSA para o Jardim Botânico Benjamim Maranhão, na Cidade de João Pessoa – PB. Mostrando o potencial do PSA que estão em execução no Brasil, como também programas que já tiveram seus términos. Por meio de pesquisa bibliográfica e documental sobre os serviços ambientais; economia ecológica/ambiental, e PSA. O mecanismo de comando e controle como o PSA, pode ser promissor para o Jardim Botânico Benjamin Maranhão e consequentemente a conservação da fauna e flora da Mata do Buraquinho, um importante ecossistema urbano que faz parte da Mata Atlântica. Por fim, ressalto que o PSA como uma contrapartida financeira para o protetor em troca da conservação da natureza, pode trazer benefícios socioeconômicos, resgatar a dignidade social e trazer valores e saberes da natureza, muitas vezes esquecidos pelo homem, quando este enxerga os ecossistemas meramente como forma de capital e não de proteção ou conservação para a sua subsistência.

Palavras-chave


Biodiversidade; Legislação; Mata atlântica.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22410/issn.1983-036X.v25i3a2018.1739

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Josimar Vieira dos Reis, Jadson Freire da Silva, Antonio Helton Vasconcelos dos Santos, Elisabeth Regina Alves Cavalcanti Silva

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Tradução automática: