A IMPORTÂNCIA DA APOSENTADORIA RURAL PARA AGRICULTORES FAMILIARES SEM SUCESSORES NO NORTE DO RIO GRANDE DO SUL: O CASO DO MUNICÍPIO DE FREDERICO WESTPHALEN

Mariele Boscardin, Rosani Marisa Spanevello

Resumo


A migração campo cidade, especialmente nas últimas décadas, tem sido cada vez mais marcada pela saída da população juvenil em detrimento das demais faixas etárias. Como resultado deste processo, muitos agricultores, com destaque para os agricultores familiares, encontram dificuldades de garantir a sucessão geracional das suas propriedades. A permanência dos pais nas propriedades sem a perspectiva da sucessão dos filhos sugere a redução das atividades produtivas e da renda agrícola, ganhando destaque os ingressos de renda através de benefícios sociais como é o caso da aposentadoria rural. O presente artigo objetiva analisar as funções e contribuições da aposentadoria rural na reprodução econômica dos agricultores familiares sem sucessores, considerando as famílias que apresentam este benefício. O estudo foi realizado em 23 propriedades familiares no município de Frederico Westphalen, norte do estado do Rio Grande do Sul. De modo geral, os resultados apontam que a aposentadoria rural tem papel fundamental na composição de renda destas famílias chegando a representar a totalidade dos ingressos monetários em algumas situações, o que demonstra que os ingressos monetários gerados pelas atividades agrícolas são consideravelmente baixos. Ou seja, as aposentadorias são responsáveis pela manutenção de parcela importante da população vivendo no meio rural, mas não necessariamente da agricultura.

Palavras-chave


Agricultores familiares; Aposentadoria rural; Autoconsumo.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22410/issn.1983-036X.v26i2a2019.1944

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Mariele Boscardin, Rosani Marisa Spanevello

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Tradução automática: