A INVESTIGAÇÃO-AÇÃO NA DOCÊNCIA UNIVERSITÁRIA

Altair Alberto Fávero, Marta Marques

Resumo


A expansão da Educação Superior, ocorrida nas últimas décadas, fez com que o magistério nas universidades passasse a ser exercido por profissionais das mais diversas áreas do conhecimento. Com isso, muitos profissionais acabaram se tornando docentes universitários de forma improvisada e, por consequência, tornando precária sua função docente. O presente artigo tem por objetivo analisar de que forma a utilização da metodologia investigação-ação pode contribuir para identificar os limites e potencialidades da docência universitária no contexto da improvisação docente. Tornar a prática docente objeto de investigação-ação possibilita o exercício metodológico qualitativo onde os próprios sujeitos se tornam parte da investigação. O presente estudo parte do pressuposto de que a modificação das práticas educativas somente se efetiva se os atores envolvidos forem capazes de olhar para sua própria ação com a intenção de analisá-la, compreendê-la e ressignificá-la. Para o êxito de tal processo, é imprescindível a utilização de uma metodologia adequada: trata-se da metodologia qualitativa da investigação-ação. O presente artigo é um resultado parcial do projeto de pesquisa “Improvisação docente no contexto da expansão da educação superior: o problema da identidade docente”.

Palavras-chave


Docência universitária. Metodologia qualitativa. Investigação-ação.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Altair Alberto Fávero, Marta Marques

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Tradução automática: