Univates

Carga horária:

3.200h - 4 anos

Turno:

EAD

Modalidade:

A Distância

Atos legais

Início de funcionamento: A/18

Autorização: Resolução 016-2/Consun/UNIVATES, de 29/08/17

Projeto Pedagógico do Curso

Objetivos do curso

O curso de História, licenciatura, da Universidade do Vale do Taquari - Univates na modalidade EAD pretende formar profissionais nessa área do conhecimento com capacitação para o exercício de atividade docente e preparados para atuar em outras áreas para suprir as necessidades do mercado de trabalho.

Perfil do Egresso

O curso de História, licenciatura, da Universidade do Vale do Taquari, na modalidade EAD pretende formar profissionais nessa área do conhecimento com capacitação para o exercício da atividade docente e preparados para atuar em outras áreas para suprir as necessidades do mercado de trabalho.

Competências

 O formando deste curso deve ter as seguintes competências:
 
- análise e relação do conhecimento adquirido com os paradigmas e a realidade sociocultural de seu tempo e seu espaço;
- assunção de postura de compromisso sócio-ético-profissional, nas relações interpessoais e institucionais, assim como nas funções, tarefas e competências que lhe cabem;
- consciência da dinamicidade do processo histórico e, consequentemente, da necessidade de permanente atualização profissional;
- correlação dos conceitos fundamentais de sua área com os da educação na construção de propostas de ensino e de aprendizagem;
- identificação da pesquisa histórica e produção do conhecimento como inerentes a sua atuação profissional, e com diálogo interdisciplinar;
- identificação da produção teórico-metodológica como base do conhecimento histórico, encontrado nas fontes e na historiografia;
- produção do conhecimento histórico pautado nas teorias, métodos e fontes da história e áreas afins;
- trânsito nas diversas áreas do conhecimento, utilizando-as para possibilitar e/ou enriquecer o conhecimento histórico, como na educação básica, no patrimônio histórico cultural, na organização de arquivos e museus e demais atividades pertinentes.

Matriz Curricular

O aluno pode verificar a matriz curricular do curso para conhecer as disciplinas, ter acesso ao código, às horas-aula e aos créditos de cada uma.

Proficiências

EM ELABORAÇÃO

Estágio Curricular Supervisionado

O estágio curricular supervisionado caracteriza-se como atividade didático-pedagógica obrigatória a ser realizada pelo estudante na área de História, em horário compatível com: o plano de desenvolvimento dos estudos acadêmicos do estudante, da organização curricular do curso e da organização da instituição concedente de estágio. O estágio supervisionado, que se constitui em um processo de aquisição e aprimoramento de conhecimentos e de habilidades essenciais ao exercício profissional, integrando teoria e prática, tem como objetivos:
I - aprofundar os conhecimentos adquiridos nos diversos componentes curriculares;
II - conhecer a realidade escolar;
III - aplicar conceitos e metodologias compreendidos nos componentes curriculares de formação específica e de formação pedagógica.
É obrigatória a realização de Estágio Supervisionado em História I - Metodologia do Ensino de História - Ensino Fundamental, Estágio Supervisionado em História II - Ensino Fundamental - Regência,  Estágio Supervisionado em História III - Patrimônio Histórico Cultural, Estágio Supervisionado em História IV - Metodologia do Ensino de História - Ensino Médio e Estágio Supervisionado em História V -  Ensino Médio - Regência. 
Para se matricular em Estágio Supervisionado em História II - Ensino Fundamental, o estudante deve ter cursado, obrigatoriamente, o Estágio Supervisionado em História I - Metodologia do Ensino de História - Ensino Fundamental.
 
Estágio Supervisionado em História I - Metodologia do Ensino de História - Ensino Fundamental: visitas e observações nas escolas com o objetivo de analisar o Projeto Pedagógico, o Plano de Estudo e o Plano de Trabalho no ensino e na aprendizagem de História em escolas, a partir de referenciais teóricos e metodológicos do componente História no Ensino Fundamental. Discute o contexto educacional brasileiro do ensino de História e as metodologias para os processos de ensino e de aprendizagem de História, apresenta planos de ensino e planos de aula para a disciplina de História.
Estágio Supervisionado em História II - Ensino Fundamental - Regência: cabe ao estudante estagiário realizar observações de, no mínimo, 15 (quinze) horas em aulas de História e regência de classe de, no mínimo, 20  (vinte) horas nos anos finais do Ensino Fundamental. As observações envolvem aspectos relacionados com o desenvolvimento e aplicação de conceitos, metodologias e técnicas nas aulas de professores que ministram a disciplina de História nos anos finais do Ensino Fundamental. As informações coletadas nas observações são registradas sob forma de relatório, seguindo orientações do supervisor de estágio. Cabe também ao estudante planejar e ministrar a regência de classe no Ensino Fundamental, tendo como base os fundamentos teórico-metodológicos discutidos ao longo do curso. O estudante deve observar, no mínimo, duas aulas na turma em que atuará e participar de pelo menos uma reunião pedagógica ou conselho de classe na escola. O estágio prevê a socialização das experiências em seminários coordenados pelo professor supervisor de estágio. A avaliação envolve organização dos relatórios das observações, observação das aulas ministradas pelo estagiário, sua participação nos seminários e elaboração de relatórios das atividades, de acordo com o roteiro proposto pelo professor supervisor do estágio e outras atividades propostas pelo professor supervisor.
 
Estágio Supervisionado em História III - Patrimônio Histórico Cultural: cabe ao estudante estagiário identificar e analisar os procedimentos relacionados à organização e preservação de acervos, assim como a sua utilização como recurso didático no ensino básico e no turismo cultural. O estudante deve realizar, no mínimo, 30 (trinta) horas de prática e socializar as informações por meio de seminários coordenados pelo professor supervisor. A avaliação é realizada pela apresentação de projeto para aproveitamento do acervo existente no local escolhido para o estágio (museus, arquivos e centros de memória) e projeto de educação patrimonial, vinculando à educação básica.

Estágio Supervisionado em História IV - Metodologia do Ensino de História - Ensino Médio: compreende visitas e observações nas escolas com o objetivo de analisar o Projeto Pedagógico, o Plano de Estudo e o Plano de Trabalho no ensino e na aprendizagem de História em escolas, a partir de referenciais teóricos e metodológicos do componente História no Ensino Médio. Discute o contexto educacional brasileiro do ensino de História e as metodologias para os processos de ensino e de aprendizagem de História. Apresenta planos de ensino e planos de aula para a disciplina de História.
 
Estágio Supervisionado em História V - Ensino Médio - Regência: cabe ao estudante observar a realidade escolar enfocando conceitos, metodologias e técnicas utilizadas pelos professores nas escolas de Ensino Médio, na disciplina de História, tanto da parte específica da disciplina quanto da formação pedagógica, e realizar interação com o sistema escolar, conhecendo a realidade da escola: filosofia, planejamento e reuniões pedagógicas. Os estudantes devem observar, no mínimo, 15 (quinze) horas de aula. Além da observação, o estagiário deve planejar e ministrar a regência de classe no Ensino Médio, na disciplina de História, com base nos fundamentos teórico-metodológicos discutidos ao longo do curso. O estudante deve observar, no mínimo, duas aulas na turma em que atuará e participar de pelo menos uma reunião pedagógica ou conselho de classe na escola. A socialização de experiências ocorre em seminários específicos, coordenados pelo professor supervisor de estágio. Os estudantes devem ministrar, no mínimo, 20 (vinte) horas de aula. Avaliação: envolve os relatórios das observações conforme roteiro proposto pelo professor supervisor de estágio, observação das aulas ministradas pelo estudante estagiário, participação nos seminários e realização de relatório das atividades.

Estágio Não Obrigatório

Das disposições gerais
O estágio não obrigatório fundamenta-se na Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008, que dispõe sobre o estágio dos estudantes; na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Lei Federal nº 9.394/96, e nas Diretrizes Curriculares dos cursos de ensino superior.

Da caracterização do estágio
O estágio, segundo o art. 1º da Lei 11.788/2008, caracteriza-se como "um ato educativo escolar supervisionado", que tem como finalidade a preparação para o trabalho e para a vida cidadã dos estudantes que estão regularmente matriculados e frequentando curso em instituição superior. O estágio não obrigatório integra o projeto pedagógico do curso e é uma atividade opcional acrescida à carga horária regular e obrigatória do curso, não se constituindo, porém, um componente indispensável à integralização curricular.

Dos objetivos
Geral

Oportunizar ao estudante ampliar conhecimentos, aperfeiçoar e/ou desenvolver habilidades e atitudes necessárias para o bom desempenho profissional, vivências que contribuam para um adequado relacionamento interpessoal e uma participação ativa na sociedade.
Específicos
Possibilitar ao estudante matriculado e que frequenta o curso de História, licenciatura, da Universidade do Vale do Taquari:
 - vivenciar situações que ampliem o conhecimento da realidade na área de formação do estudante;
- ampliar o conhecimento sobre a organização profissional e o desempenho profissional; 
 - interagir com profissionais da área em que atuar, com pessoas que direta ou indiretamente se relacionam com as atividades profissionais, com vistas a desenvolver e/ou aperfeiçoar habilidades e atitudes básicas e específicas necessárias para a atuação profissional;
- desenvolver habilidades para relacionar conceitos fundamentais da História com os da Educação na construção de propostas de ensino e de aprendizagem;
 - compreender e articular os múltiplos saberes abordados no curso. 

Das determinações gerais
A realização do estágio não obrigatório deve obedecer às seguintes determinações:
 I - o estudante deve estar matriculado e frequentando regularmente o curso de História, licenciatura, da Universidade do Vale do Taquari;
 II - é obrigatório concretizar a celebração de termo de compromisso entre o estagiário, a parte concedente do estágio e a Univates;
III - as atividades cumpridas pelo estudante em estágio devem compatibilizar-se com o horário de aulas e aquelas previstas no termo de compromisso;
 IV - a carga horária da jornada de atividades do estudante estagiário será de até seis horas diárias e de até 30 (trinta) horas semanais;
 V - o período de duração do estágio não obrigatório não pode exceder dois anos, exceto quando se tratar de estudante portador de deficiência;
VI - o estágio não obrigatório não cria vínculo empregatício de qualquer natureza, devendo o estudante receber bolsa ou outra forma de contraprestação das atividades que irá desenvolver. A eventual concessão de benefícios relacionados a transporte, alimentação e saúde, entre outros, também não caracteriza vínculo empregatício;
VII - O estudante em estágio não obrigatório tem direito a recesso remunerado equivalente a 30 (trinta) dias, sempre que o estágio tiver a duração igual ou superior a um ano, a ser gozado preferencialmente durante as férias escolares. No caso de o estágio ter duração inferior a um ano, os dias de recesso serão concedidos de maneira proporcional;
VIII - a unidade concedente deve contratar em favor do estagiário seguro acidentes pessoais cuja apólice seja compatível com valores de mercado, conforme consta no termo de compromisso;
IX - é da responsabilidade da unidade concedente comunicar à Central de Carreiras da Univates ou, quando for o caso, ao responsável administrativo do agente de integração a indicação do estudante que deseja contratar, bem como as atividades a serem desenvolvidas por ele;
 X - as atividades de estágio não obrigatório devem ser desenvolvidas em ambiente com condições adequadas e que possam contribuir para aprendizagens do estudante estagiário nas áreas social, profissional e cultural;
XI - cabe à Univates comunicar ao agente de integração, se houver, ou à unidade concedente, no início do período letivo, as datas de realização de avaliações escolares acadêmicas;
XII - segundo o art. 14 da Lei 11.788/2008, "aplica-se ao estagiário a legislação relacionada à saúde e segurança no trabalho, sendo sua implementação de responsabilidade da parte concedente do estágio".

Das exigências e critérios específicos
O estágio não obrigatório do curso de História, licenciatura, envolve atividades relacionadas à área educacional, pesquisa e assessorias a serem desenvolvidas em instituições educacionais e outras organizações formais ou não formais (ONGs, projetos extraclasse, museus, prefeituras, arquivos, casas de cultura etc.) que se dedicam a atividades educacionais de patrimônio histórico.
O estágio não obrigatório deve constituir-se numa oportunidade para os acadêmicos do curso de História atuarem na área educacional como colaboradores no desenvolvimento de atividades didático pedagógicas envolvendo estudantes e de outras ações relacionadas com aspectos institucionais mais amplas, que permitam o conhecimento da realidade escolar, a aplicação de conhecimentos e o desenvolvimento de competências e habilidades profissionais, sociais e culturais.
O estagiário somente pode assumir atividades com educandos se houver um professor indicado pela unidade contratante para acompanhamento. O estudante estagiário deve ter cursado ou estar cursando, no mínimo, 180 (cento e oitenta) horas no curso de História, licenciatura.
 
Das áreas/atividades de atuação
Nível de ensino ou Instituições
Atividades


Educação Infantil, Ensino Fundamental, Ensino Médio, Educação de Jovens e Adultos:
- auxiliar no planejamento de atividades para serem desenvolvidas com estudantes;
- colaborar na orientação e condução de atividades em sala de aula;
- preparar material e recursos didáticos a serem utilizados em sala de aula;
- participar de reuniões pedagógicas e/ou administrativas da instituição escolar;
- participar de visitas e entrevistas com pais ou responsáveis pelos estudantes;
- auxiliar na elaboração de relatórios, de fichas de acompanhamento e avaliação dos estudantes.

Prefeituras, Univates, casas de cultura, museus, entre outros:
- desenvolver pesquisa na área de História e arqueologia sob a coordenação de um professor ou pesquisador;
- auxiliar na organização de acervos e arquivos;
- demais atividades autorizadas pelo professor supervisor.

Das atribuições
Do supervisor de estágio

Cabe ao coordenador do curso ou de um professor indicado por ele acompanhar e avaliar as atividades realizadas pelo estagiário tendo como base o plano e o(s) relatório(s) do estagiário, assim como as informações do profissional responsável na unidade contratante.

Do supervisor da unidade concedente
 O supervisor da unidade concedente é um profissional indicado pela empresa concedente, responsável pelo acompanhamento do aluno estagiário durante o desenvolvimento das atividades. No caso de estágio desenvolvido na área de ensino, o supervisor deve possuir formação superior em História ou Pedagogia. Caso a empresa concedente não possua profissional com formação na área solicitada, o professor supervisor avaliará a possibilidade de aceitar a formação em outra área de licenciatura. No caso de atividades não docentes, o supervisor deverá possuir, preferencialmente, formação no curso de História. Caso a empresa concedente não possua profissional com formação na área solicitada, o professor avaliará a possibilidade de aceitar a formação ou o tempo de experiência profissional na área acima descrita ou na área de atuação do estágio, desde que esta fique comprovada no Termo de Compromisso de Estágio e na Declaração de Supervisão de Estágio. Cabe também ao supervisor indicado pela unidade concedente comunicar ao Núcleo de Estágios da Univates qualquer irregularidade ou, se for o caso, a desistência do aluno estagiário, assim como efetuar os registros relacionados ao desempenho do aluno.

Do estagiário
Cabe ao estagiário contratado para desenvolver estágio não obrigatório:
I - indicar a organização em que realizará o estágio não obrigatório à Central de Carreiras da Univates ou ao responsável administrativo do agente de integração;
II - elaborar o plano de atividades e desenvolver as atividades acordadas;
III - responsabilizar-se pelo trâmite do Termo de Compromisso, devolvendo-o à Central de Carreiras da Univates ou ao responsável administrativo do agente de integração, se houver, convenientemente assinado e dentro do prazo previsto;
IV - ser assíduo e pontual tanto no desenvolvimento das atividades quanto na entrega dos documentos exigidos;
V - portar-se de forma ética e responsável.

Das disposições finais
A Central de Carreiras, o Núcleo de Apoio Pedagógico e os coordenadores de curso devem trabalhar de forma integrada no que se refere ao estágio não obrigatório dos estudantes matriculados nos cursos de ensino superior da Universidade do Vale do Taquari, seguindo as disposições contidas na legislação em vigor, assim como as normas internas constantes no presente regulamento e na Resolução 129/Reitoria/Univates, de 28 de setembro de 2012. As unidades concedentes, assim como os agentes de integração, devem seguir o estabelecido na legislação em vigor, as disposições do presente regulamento e as normas e orientações da Universidade do Vale do Taquari que tratam do assunto.

Atividades Complementares

Atividades Exigências
Profissional(200 horas)
Regência de classe na Educação Básica

Desenvolver trabalho de docência com regência de classe. Apresentar atestado/declaração de autoridade competente com o período de atuação e a carga horária. Pontuação de até 30 horas por semestre de atuação.

Gestão Educacional

Apresentar atestado de atuação na gestão educacional na Educação Básica com período de atuação e carga horária. Pontuação de até 30 horas por semestre de atuação.

Estágio não obrigatório em espaços escolares e não escolares

Atender ao proposto no Regulamento de Estágio não obrigatório. Pontuação de até 30 horas por semestre de atuação.

Pesquisa(200 horas)
Premiação em trabalho acadêmico

Apresentar comprovação da premiação. Pontuação de 10 horas por prêmio. Pontuação máxima de 30 horas.

Publicação de trabalhos

Apresentar cópia da publicação. Pontuação de 20 horas por artigo em periódico; 20 horas por capítulo de livro; 10 horas por resumo expandido (duas a cinco páginas); 5 horas por resumo simples (até uma página).

Participação em atividades de iniciação científica

Apresentar atestado de participação. Comprovar que a atividade possui duração mínima de um semestre. Pontuação de até 40 horas por semestre.

Apresentação de trabalhos em eventos

Apresentar atestado com identificação do apresentador. Pontuação de 10 horas por apresentação em evento local; 20 horas por apresentação em evento regional; 30 horas por apresentação em evento nacional; 40 horas por apresentação em evento internacional. Pontuação máxima de 120 horas.

Extensão(200 horas)
Viagem de estudos organizada pelo Curso

Apresentar atestado de participação. Pontuação de 8 horas para cada dia de atividade programada. Pontuação máxima de 60 horas.

Representação estudantil em cargos eletivos do Diretório Acadêmico do Curso

Apresentar atestado com período da ocupação do cargo não inferior a um ano. Pontuação de até 20 horas por atividade/cargo eletivo.

Participação em eventos, seminários, congressos, simpósios, palestras, semanas acadêmicas, conferências, encontros, cursos ou oficinas relacionadas à área de formação presenciais ou on-line.

Apresentar atestado de participação. Pontuação máxima de 150 horas.

Intercâmbio interinstitucional de estudos promovidos pela Univates

O aproveitamento da carga horária integral do intercâmbio acadêmico interinstitucional como atividades complementares segue regulamentação específica da Univates.

Atuação como ministrante em eventos de extensão universitária

Apresentar atestado de ministrante. Pontuação referente à carga horária ministrada. Pontuação máxima de 20 horas por semestre.

Atuação em empresas incubadas na Inovates e no Tecnovates ou realização de trabalhos sociais e voluntários

Apresentar atestado de participação. Pontuação de acordo com as horas de atividades desenvolvidas. Pontuação máxima de 30 horas por semestre.

Organização de eventos de cunho acadêmico

Apresentar atestado de organização. Pontuação de 10 horas por evento. Pontuação máxima de 30 horas.

Atuação como mesário em eleições municipais, estaduais e federais

Apresentar atestado. Número de horas iguais às da atividade realizada. Pontuação máxima de 30 horas.

Ensino(200 horas)
Participação em escavação arqueológica - sítio-escola

Apresentar atestado com data. Pontuação de 8 horas para cada dia de escavação. Pontuação máxima de 40 horas.

Monitoria em componente curricular ou laboratório de ensino

Ter sido realizada na Univates. Apresentar atestado com período de realização e carga horária semanal. Ter sido realizada por pelo menos um mês com carga horária semanal mínima de quatro horas. Pontuação de até 30 horas por semestre.

Componente curricular oferecido em curso de outra IES, reconhecida pelo MEC.

Apresentar atestado de conclusão com aprovação. Número de horas iguais ao componente cursado. Valoração máxima de 80h.

Componente curricular oferecido em curso de graduação da Univates

Apresentar atestado de conclusão com aprovação. Número de horas iguais ao componente cursado. Valoração máxima de 80 horas.

Trabalho de Conclusão de Curso

Introdução
Componentes Eletivos
Correspondem a quatro componentes curriculares de 40 (quarenta) horas cada: Eletivo I, Eletivo II, Eletivo III e Eletivo IV.
Há duas possibilidades de integralização dos Eletivos.
A primeira é escolher componentes curriculares de quarenta (40) horas da matriz curricular de outro(s) curso(s) de licenciatura EaD oferecido(s) pela instituição, os quais serão equivalentes aos Eletivos I, II, III e IV.
A segunda é escolher os componentes curriculares de Trabalho de Conclusão de Curso I, II, III e IV específicos do curso no qual o estudante está matriculado, os quais serão equivalentes aos Eletivos I, II, III e IV.
Uma vez que um ou mais Eletivos já tiverem sido integralizados com componentes curriculares de outras matrizes curriculares, não será mais possível optar por Trabalho de Conclusão de Curso.
 
Trabalho de Conclusão de Curso
O Trabalho de Conclusão de Curso é integralizado em quatro módulos, dividido em quatro componentes curriculares de 40 (quarenta) horas cada: Trabalho de Conclusão de Curso I,  Trabalho de Conclusão de Curso II, Trabalho de Conclusão de Curso III e Trabalho de Conclusão de Curso IV. 

Mais informações
Trabalho de Conclusão de Curso I
O Trabalho de Conclusão de Curso I consiste na elaboração de um projeto de pesquisa na área de História, cujo tema é de livre escolha do acadêmico, que tem a atribuição de escolher um professor orientador entre os professores do curso ou da IES. Cabe ao orientador subsidiar o referencial teórico-metodológico e acompanhar o desenvolvimento do projeto. O professor orientador avalia o desempenho do estudante por meio de uma única nota.
 
Trabalho de Conclusão de Curso II
No Trabalho de Conclusão de Curso II, o acadêmico deve desenvolver a problematização e as hipóteses da pesquisa. Cabe ao orientador acompanhar o cumprimento do projeto e a elaboração da monografia. A avaliação é feita por uma banca examinadora composta pelo orientador e mais um professor do curso, da IES ou de outra instituição. Os avaliadores conferem a nota final, que deve ser igual ou superior a 6,0 (seis) para a aprovação do acadêmico. Todos os professores do Conselho de Curso podem ser orientadores do trabalho de conclusão.
 
Trabalho de Conclusão de Curso III
No Trabalho de Conclusão de Curso III, o acadêmico deve desenvolver a pesquisa e iniciar a elaboração de um artigo científico, de acordo com o projeto desenvolvido no componente curricular de Trabalho de Conclusão de Curso I. Cabe ao orientador acompanhar o cumprimento do projeto e a elaboração da monografia. A avaliação é feita pelo professor orientador. Todos os professores do Conselho de Curso podem ser orientadores do trabalho de conclusão.
 
Trabalho de Conclusão de Curso IV
No Trabalho de Conclusão de Curso IV, o acadêmico dá continuidade ao TCC III concluindo a escrita do artigo científico. Cabe ao orientador acompanhar essa atividade. A avaliação é feita por uma banca examinadora composta pelo orientador e um professor do curso, da IES ou de outra instituição. Os avaliadores conferem nota final, que deve ser igual ou superior a 6,0 (seis) para a aprovação do acadêmico. Todos os professores do Conselho de Curso podem ser orientadores do trabalho de conclusão. Os resultados do trabalho serão apresentados em um Seminário de Apresentação dos Trabalhos de Conclusão de Curso.
 
 

Serviço de Apoio à Aprendizagem

O atendimento psicopedagógico é um serviço de apoio aos estudantes com necessidades especiais e/ou dificuldades de aprendizagem, realizado por um profissional vinculado ao Núcleo de Apoio Pedagógico. O atendimento pode ser solicitado pelo professor, pelo coordenador de curso ou pelo próprio estudante, tendo como objetivo auxiliar o aluno no seu processo de aprendizagem.

Coordenação do curso

Atendimento

Segundas, terças, quintas, sextas-feiras: 13h 30min às 18h
Quarta-feira : 8h às 12h / 13h 30min às 18h
Quinta-feira: 19h às 22h 30min

Agende seu atendimento com a coordenação através do e-mail ou telefone.

Contato

Mateus Dalmáz
licenciaturas-ead@univates.br
(51) 3714-7000 - Ramal 5649

Localização

Sala 222 - Prédio 2

Agende seu horário previamente. Caso você não consiga contato com a coordenação de curso, contate o seu centro.