ANATOMIA DO CARVÃO DE ESPÉCIES NATIVAS DA REGIÃO DO VALE DO TAQUARI (BIOMA MATA ATLÂNTICA) – BASE DE DADOS PARA ESTUDOS ARQUEOBOTÂNICOS

Autores

  • Mariela Inês Secchi UNIVATES
  • Leonardo Fluck Mariani UNIVATES
  • Marjorie Kauffmann UNIVATES
  • Isa Carla Osterkamp UNIVATES
  • Soraia Girardi Bauermann Universidade Luterana do Brasil - ULBRA
  • André Jasper UNIVATES

DOI:

https://doi.org/10.22410/issn.1983-036X.v24i3a2017.1276

Palavras-chave:

Antracologia, Carvão vegetal macroscópico, Coleções de referência

Resumo

As análises arqueobotânicas compreendem uma vasta gama de atividades, sendo que dentre elas, o estudo de fragmentos de lenhos carbonizados é uma ferramenta importante para os estudos paleoambientais. Para entender o ambiente pretérito é importante conhecer a vegetação atual para reconstituir, fidedignamente, os paleoambientes. Dessa forma este trabalho visa contribuir para a construção de uma base de dados das características de carvões vegetais macroscópicos de espécies nativas da região do Vale do Taquari, Rio Grande do Sul. Para isso foram coletados exemplares atuais de 7 famílias, 9 gêneros e 9 espécies, cujos fragmentos foram envoltos em papel alumínio, colocados em cadinhos contendo areia e carbonizados artificialmente em forno mufla, em temperatura de 400ºC por 40 minutos. Após a carbonização, as amostras foram fotografadas e preparadas para análise em microscopia eletrônica de varredura para análise das estruturas celulares. Com as análises, foi possível perceber uma redução de, em média, 75,57% de massa das amostras após a carbonização em relação às amostras in natura. Os dados encontrados evidenciaram características anatômicas distintas entre as nove espécies estudadas. Para as duas espécies da família Moraceae, há diferença significativa para todos os parâmetros analisados, enquanto para as espécies de Myrtaceae, os parâmetros diâmetro das pontoações e altura de raios não foram significativos. Os resultados das medidas avaliadas demonstraram a necessidade de estudos detalhados de anatomia de carvão para a realização de comparações entre material atual e arqueológico para a reconstrução fiel da vegetação pretérita. Esses dados farão parte de um banco de dados antracológico regional, servindo de subsídio para estudos botânicos e arqueobotânicos. Os resultados advindos das análises comparativas futuras que utilizarem a base de dados lançada neste estudo, subsidiarão ações de gestão e planejamento ambiental que lidem com a recuperação da cobertura vegetal da região do Vale do Taquari.

Biografia do Autor

Mariela Inês Secchi, UNIVATES

Setor de Paleobotânica e Evolução de Biomas do Museu de Ciências Naturais do Centro Universitário UNIVATES

Leonardo Fluck Mariani, UNIVATES

Acadêmico do Curso de Ciências Biológicas - Bacharelado - UNIVATES

Marjorie Kauffmann, UNIVATES

Setor de Paleobotânica e Evolução de Biomas do Museu de Ciências Naturais do Centro Universitário UNIVATES

Isa Carla Osterkamp, UNIVATES

Setor de Paleobotânica e Evolução de Biomas do Museu de Ciências Naturais do Centro Universitário UNIVATES

Soraia Girardi Bauermann, Universidade Luterana do Brasil - ULBRA

Laboratório de Palinologia da Universidade Luterana do Brasil - ULBRA

André Jasper, UNIVATES

Setor de Paleobotânica e Evolução de Biomas do Museu de Ciências Naturais do Centro Universitário UNIVATES

Downloads

Publicado

28-12-2017

Como Citar

SECCHI, Mariela Inês; MARIANI, Leonardo Fluck; KAUFFMANN, Marjorie; OSTERKAMP, Isa Carla; BAUERMANN, Soraia Girardi; JASPER, André. ANATOMIA DO CARVÃO DE ESPÉCIES NATIVAS DA REGIÃO DO VALE DO TAQUARI (BIOMA MATA ATLÂNTICA) – BASE DE DADOS PARA ESTUDOS ARQUEOBOTÂNICOS. Revista Estudo & Debate, [S. l.], v. 24, n. 3, 2017. DOI: 10.22410/issn.1983-036X.v24i3a2017.1276. Disponível em: https://www.univates.br/revistas/index.php/estudoedebate/article/view/1276. Acesso em: 19 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos