COMPETITIVIDADE DAS EXPORTAÇÕES NO SETOR TÊXTIL E DE CONFECÇÕES DO BRASIL, NORDESTE E PERNAMBUCO

Autores

  • Mariana Zeferino dos Santos Estudante de Graduação em Economia na UFPE/Campus do Agreste
  • Monaliza de Oliveira Ferreira UFPE/DOCENTE

DOI:

https://doi.org/10.22410/issn.1983-036X.v26i3a2019.2103

Palavras-chave:

competitividade internacional, setor têxtil e de confecções, Nordeste brasileiro, Pernambuco.

Resumo

Em um mundo cada vez mais globalizado, o aumento da competitividade é considerado um objetivo a ser constantemente perseguido. Nesse contexto, a indústria têxtil e de confecção se destaca no Brasil por ser o 2º maior empregador da indústria de transformação. A fim de explorar essa conjuntura, o objetivo do trabalho consistiu em analisar a competitividade das exportações no setor têxtil e de confecções do Brasil, Nordeste e Pernambuco no período de 1997 a 2017, a partir de índices de competitividade como o Índice de Gini-Hirschman, o Índice de Comércio Intrasetorial, Índice de Hirschman-Herfindahl e o Índice de Vantagem Comparativa Revelada. Os resultados indicaram que apesar de ter ocorrido um aumento no poder de mercado do Nordeste e diversos estados da Região terem tido vantagem comparativa durante todo período analisado, o Estado de Pernambuco e o Nordeste como um todo não aproveitaram muito bem as oportunidades que o comércio tem a oferecer, sendo necessário expandir os investimentos no setor, para se adquirir maior produtividade e competitividade frente ao mercado internacional.

Biografia do Autor

Mariana Zeferino dos Santos, Estudante de Graduação em Economia na UFPE/Campus do Agreste

Estudante de Graduação em Economia na UFPE/Campus do Agreste

Monaliza de Oliveira Ferreira, UFPE/DOCENTE

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA - PPGECON/UFPE

Downloads

Publicado

30-09-2019

Como Citar

DOS SANTOS, Mariana Zeferino; FERREIRA, Monaliza de Oliveira. COMPETITIVIDADE DAS EXPORTAÇÕES NO SETOR TÊXTIL E DE CONFECÇÕES DO BRASIL, NORDESTE E PERNAMBUCO. Revista Estudo & Debate, [S. l.], v. 26, n. 3, 2019. DOI: 10.22410/issn.1983-036X.v26i3a2019.2103. Disponível em: https://www.univates.br/revistas/index.php/estudoedebate/article/view/2103. Acesso em: 23 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos