INDICAÇÕES GEOGRÁFICAS DA UVA GOETHE TROUXE BENEFÍCIOS PARA A REGIÃO? UM OLHAR DAS EMPRESAS QUASE 10 ANOS APÓS O RECONHECIMENTO DO PRODUTO COMO IG

Autores

  • Victoria de Pellegrin Zanatta
  • Rafael Jasper Feltrin
  • Helberte João França Almeida Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC

DOI:

https://doi.org/10.22410/issn.1983-036X.v28i2a2021.2696

Palavras-chave:

Indicação Geográfica, Vale da Uva Goethe, Desenvolvimento Regional.

Resumo

Indicações Geográficas são usadas desde o século XIX de maneira a auxiliar no desenvolvimento das regiões que obtém o selo, uma vez que este agrega valor ao produto e melhora a reputação da região. No âmbito nacional seu uso é recente, com a legislação sendo definida apenas no final do século passado, e em Santa Catarina, as únicas Indicações Geográficas são a dos Vales da Uva Goethe e da banana de Corupá. O objetivo deste estudo é identificar se após o recebimento deste selo os estabelecimentos que trabalham diretamente com o vinho identificaram uma melhora no desenvolvimento da região do Vale da Uva Goethe. Para tanto, utilizou-se de uma pesquisa de campo e foram entrevistados 20 dos 30 estabelecimentos diretamente envolvidos com a atividade. Os resultados apontam que a Indicação Geográfica contribuiu para o desenvolvimento regional, inclusive com a possibilidade da entrada de novos produtores e uma melhora na renda de todos os segmentos envolvidos na cadeia produtiva de uva e do vinho.

Biografia do Autor

Helberte João França Almeida, Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC

Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de São João Del-Rei (2009), mestrado em Economia pela Universidade Federal de Santa Catarina (2012) e doutorado em Ciências Economicas pela Universidade Federal de Santa Catarina (2016). Professor adjunto da Universidade Federal de Santa Catarina.

Downloads

Publicado

12-07-2021

Como Citar

ZANATTA, Victoria de Pellegrin; FELTRIN, Rafael Jasper; ALMEIDA, Helberte João França. INDICAÇÕES GEOGRÁFICAS DA UVA GOETHE TROUXE BENEFÍCIOS PARA A REGIÃO? UM OLHAR DAS EMPRESAS QUASE 10 ANOS APÓS O RECONHECIMENTO DO PRODUTO COMO IG. Revista Estudo & Debate, [S. l.], v. 28, n. 2, 2021. DOI: 10.22410/issn.1983-036X.v28i2a2021.2696. Disponível em: https://www.univates.br/revistas/index.php/estudoedebate/article/view/2696. Acesso em: 20 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos