PROBABILIDADE DE CONTAMINAÇÃO DO CORONAVÍRUS: EFEITO DO USO DE MÁSCARAS SOBRE A CONTAMINAÇÃO NO SETOR DE SERVIÇOS

Autores

  • Rodrigo Monteiro da Silva Universidade Estadual de Maringá
  • Wilian Barbosa Travassos Universidade Estadual do Paraná - campus de Paranavaí
  • Luciana Aparecida Bastos Universidade Estadual do Paraná - campus de Campo Mourão

DOI:

https://doi.org/10.22410/issn.1983-036X.v29i3a2022.3098

Palavras-chave:

Coronavírus. Setor de serviços. Medidas Restritivas

Resumo

Desde o surgimento do SARS-Cov-2 o mundo se viu em uma pandemia que mudou sua realidade social, econômica e sanitária, motivo pelo qual órgãos de saúde estabeleceram medidas com o propósito de diminuir a expansão da contaminação. Uma medida amplamente defendida foi o uso de máscaras, por bloquear gotículas em momentos de contato entra contaminados e não contaminados. Diante disso, o objetivo desta pesquisa foi avaliar se as máscaras reduziram a probabilidade de contaminação do coronavírus entre trabalhadores do setor de serviços nas regiões brasileiras. O setor é importante para economia nacional e sofreu de forma mais intensa as medidas restritivas adotadas, quando comparado aos demais setores. Os dados utilizados foram obtidos na Pesquisa Nacional de Amostra Domiciliar Covid (PNAD) e a metodologia utilizada foi a razão de chances para o Brasil e suas regiões. Dentre os principais resultados, observou-se que, para o caso brasileiro, o uso de máscaras reduziu em 55,17% as chances do indivíduo ser contaminado, sendo que no sul e sudeste a redução dessa probabilidade de contaminação foi ainda maior em 77,39% e 72,46%, respectivamente. De forma geral, a pesquisa indica que, de fato, a utilização das máscaras teve um efeito preventivo para os trabalhadores com grande exposição a contaminação.

Biografia do Autor

Rodrigo Monteiro da Silva, Universidade Estadual de Maringá

Bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR) Historiador pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) Especialista em Administração Financeira pelo Centro Universitário de Maringá (UNICESUMAR) Especialista em Perícia Contábil pelo Centro Universitário de Maringá (UNICESUMAR) Mestre em Teoria Econômica pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) Doutorando em Teoria Econômica pela Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Wilian Barbosa Travassos, Universidade Estadual do Paraná - campus de Paranavaí

Matemático pela Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR) Mestre em Educação Matemática pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) Doutorando em Educação Matemática pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) Professor substituto na Universidade Estadual do Paraná - campus de Paranavaí

Luciana Aparecida Bastos, Universidade Estadual do Paraná - campus de Campo Mourão

Economista pela Universidade Estadual de Maringá Mestra em História Econômica pela Universidade de São Paulo Doutora em História Econômica pela Universidade de São Paulo Professora Associada da Universidade Estadual do Paraná-Campus de Campo Mourão, lotada no Colegiado de Ciências Econômicas

Downloads

Publicado

07-10-2022

Como Citar

SILVA, Rodrigo Monteiro da; TRAVASSOS, Wilian Barbosa; BASTOS, Luciana Aparecida. PROBABILIDADE DE CONTAMINAÇÃO DO CORONAVÍRUS: EFEITO DO USO DE MÁSCARAS SOBRE A CONTAMINAÇÃO NO SETOR DE SERVIÇOS. Revista Estudo & Debate, [S. l.], v. 29, n. 3, 2022. DOI: 10.22410/issn.1983-036X.v29i3a2022.3098. Disponível em: https://www.univates.br/revistas/index.php/estudoedebate/article/view/3098. Acesso em: 20 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos