METODOLOGIAS ATIVAS NO ENSINO DA TERMOQUÍMICA: UM PROCESSO FORMATIVO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22410/issn.1983-0378.v44i2a2023.3404

Palavras-chave:

Metodologias Ativas, Curso de Formação, Termoquímica, Formação Docente.

Resumo

Esta pesquisa tem objetivo duplo: i) apresentar um curso de extensão à professores de química, relacionado ao conteúdo de termoquímica, por meio de metodologias ativas; e, ii) avaliar o curso de extensão a partir das percepções do professor formador. Metodologicamente, a pesquisa, de abordagem qualitativa, procedimento participante e objetivo descritivo, ocorreu via curso formativo dividido em seis encontros, com a participação de 29 licenciandos em química, de uma instituição privada de Curitiba. Quanto aos resultados, pode-se entender que, após serem imersos na prática e não apenas na teoria das metodologias ativas, os licenciandos puderam ter um conhecimento mais claro de como utilizar Metodologias Ativas em suas futuras práticas. Além do mais, a visualização do curso, devidamente explicado, mostrando todas as etapas que foram seguidas e a forma que foi escrito, pode aprimorar o entendimento sobre o formato de um planejamento adequado. Ademais, acredita-se que uma das limitações seja o período de aplicação do curso, já que ocorreu de forma remota devido a pandemia causada pela COVID-19, bem como o baixo número de alunos, visto contemplar apenas uma turma da graduação.

Biografia do Autor

Eduardo Moraes Araujo, UNINTER

Professor da educação básica, nas disciplinas de Química, Física e Matemática com experiência ensino superior nos cursos de Bacharelado e Licenciatura em Química no Centro Universitário Uninter. Com formação ampla com graduação em Engenharia Florestal, Licenciatura em Química, Licenciatura em Matemática, Licenciatura em Física, que permite atuar em vária frentes de diferentes cursos de graduação. Pós graduação, a nível de Especialização, em Engenharia de Segurança do Trabalho, Especialização no ensino de Física e Especialização em Gestão escolar. Escritor de obra denominada Introdução a Engenharia e Segurança do Trabalho pela editora INTERSABERES .e Interdisciplinaridade no ensino de Química, pela mesma editora. Mestre em Química pelo PROFQUI- UFPR com o tema sobre metodologias ativas para o ensino de Química . Grande adepto a utilização de meios digitais em sala de aula bem como metodologias ativas, e com conhecimento em produção e edição de vídeos com objetivo de utilização em sala de aula. Possuo experiência em produção de materiais, com várias produções pela editora INTERSABERES, na área de físico-química, biofísica, química geral, história da química, química inorgânica, química orgânica, interdisciplinaridade no ensino de química entre outras diversas produções. Experiência em auxílio da coordenação dos cursos da área de exatas do Centro Universitário Uninter, tendo participado de momentos como reconhecimento dos cursos da área junto ao MEC.

Everton Bedin, UFPR

Graduado em Química Licenciatura Plena pela Universidade de Passo Fundo - UPF (2009). Especialista em Tecnologia de Informação e Comunicação na Educação - TICEDU - pela Universidade Federal de Rio Grande - FURG (2014), Gestão Educacional pela Universidade Federal de Santa Maria - UFSM (2018). Mestre em Educação em Química pela Universidade Federal de Uberlândia - UFU (2012). Doutor e Pós-Doutor em Educação em Ciências: química da vida e saúde pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS (2015). Atualmente é professor permanente no Departamento de Química da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e nos Programas de Pós-graduação em Educação em Ciências e em Matemática (PPGECM), onde atua como Vice-Coordenador, e no Mestrado Profissional em Química em Rede Nacional (PROFQUI). Possui experiência na área de Química com ênfase em Química, trabalhando, principalmente, nos temas: formação docente, ensino-aprendizagem, TICs, interdisciplinaridade e metodologias de ensino.

Artur de Medeiroz Queiroz, UFPR

Atualmente sou professor dos Anos Iniciais e da Educação Especial atuando na função de Inspeção Escolar no Estado do Rio Grande do Norte. Tenho Síndrome de Berardinelli, portanto, minhas pesquisas enveredam nas seguintes temáticas: Políticas públicas, formação docente, práticas pedagógicas, o uso das tecnologias digitais da informação e comunicação voltadas para a educação especial e inclusiva. Sou criador do canal no YouTube: PODInclusão, contendo podcasts voltados as questões sociais, saúde e educação de pessoas com deficiência na perspectiva inclusiva.

Downloads

Publicado

29-12-2023

Como Citar

ARAUJO, Eduardo Moraes; BEDIN, Everton; QUEIROZ, Artur de Medeiroz. METODOLOGIAS ATIVAS NO ENSINO DA TERMOQUÍMICA: UM PROCESSO FORMATIVO. Revista Signos, [S. l.], v. 44, n. 2, 2023. DOI: 10.22410/issn.1983-0378.v44i2a2023.3404. Disponível em: https://www.univates.br/revistas/index.php/signos/article/view/3404. Acesso em: 23 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos