O DESIGN DE TEXTOS MULTISSEMIÓTICOS: IMPLICAÇÕES PARA O PROCESSO DE PRODUÇÃO DE SENTIDOS

Helena Maria Ferreira, Guilherme Melo, Taísa Rita Ragi

Resumo


Este artigo tem por objetivo precípuo analisar os efeitos de sentido decorrentes das escolhas quanto à seleção, à apresentação e à disposição dos componentes e dos recursos integrantes de textos imagéticos. Para fundamentar a discussão, o artigo apresenta um compilado teórico acerca da multimodalidade, bem como um panorama dos princípios basilares da Gramática do Design Visual, proposta por Kress e van Leeuwen (2006). Este trabalho conta, ainda, com uma análise de uma campanha ambiental, em que são observados aspectos relativos à organização composicional das imagens, bem como os efeitos de sentido decorrentes das escolhas feitas pelo produtor da mensagem. A partir do trabalho empreendido, foi possível constatar que a leitura de imagens se reveste de complexidade, o que demanda uma fundamentação teórica sólida para a implementação de práticas metodológicas capazes de propiciar novas incursões sobre os modos imagéticos para um dimensionamento das questões culturais, estéticas, científicas, técnicas e artísticas integrantes dos textos multissemióticos, visando minimizar leituras realizadas de modo intuitivo ou ingênuo. A consideração das relações estabelecidas entre os elementos constitutivos permite um enfrentamento da complexidade inerente ao processo de leitura de imagens, viabilizando a formação de um leitor mais crítico e ampliando os multiletramentos.

Palavras-chave


Leitura. textos multissemióticos. Gramática do Design Visual.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22410/issn.1983-0378.v41i2a2020.2586

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Helena Maria Ferreira, Guilherme Melo, Taísa Rita Ragi

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Tradução automática: