A utilização do barômetro da sustentabilidade nos municípios e biomas do Rio Grande do Sul

dc.contributor.advisor-co1Silveira, Elaine Fraga da
dc.contributor.advisor1Périco, Eduardo
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/4494244221645524pt_BR
dc.contributor.referee1Costa, Arlete Eli Kunz da
dc.contributor.referee1Moreschi, Claudete
dc.contributor.referee1Quevedo Grave, Magali Teresinha
dc.creatorCampos, Jéssica Mazutti Penso de
dc.creator.latteshttp://lattes.cnpq.br/2758147131747627pt_BR
dc.date.accessioned2022-03-21T19:33:18Z
dc.date.available2022-03-21T19:33:18Z
dc.date.issued2020-12
dc.date.submitted2020-12-17
dc.description.abstractO conceito ampliado de sustentabilidade delibera sobre o equilíbrio entre a qualidade ambiental, a prosperidade econômica e a justiça social, visando assegurar a disponibilidade dos recursos naturais renováveis e não renováveis às próximas gerações. O Rio Grande do Sul apresenta limitações relacionadas ao alto percentual de áreas antropizadas, elevado índice de potencial poluidor industrial e integra o bioma menos protegido do País. O Barômetro da Sustentabilidade é um instrumento bidimensional, que mensura o grau de sustentabilidade, através da associação de indicadores ambientais, econômicos e sociais. O objetivo deste estudo foi analisar a sustentabilidade nos municípios e no estado do Rio Grande do Sul, por meio da aplicação do Barômetro da Sustentabilidade, em dois períodos temporais, 2000 e 2016. Foram calculados os indicadores de sustentabilidade e realizada a distribuição e a análise espacial, através do Índice de Moran, a fim de identificar clusters com municípios que necessitam de intervenção eficaz urgente. O Estado foi considerado com grau intermediário de sustentabilidade, nos dois períodos, e em 16 anos houve pequena elevação no indicador, apontando para pouca tendência futura à sustentabilidade. O estudo apresenta as variáveis que mais exerceram pressão negativa, e indicou que o Barômetro da Sustentabilidade foi eficiente para analisar o grau de sustentabilidade nos municípios e no estado do Rio Grande do Sul. A distribuição espacial do grau de sustentabilidade, possibilitou compreender quais são as regiões que necessitam de intervenção urgente, e aquelas que podem ser melhoradas, uma vez que nenhum município foi considerado sustentável.pt_BR
dc.identifier.citationCAMPOS, Jéssica Mazutti Penso de. A utilização do barômetro da sustentabilidade nos municípios e biomas do Rio Grande do Sul. 2020. Monografia (Doutorado) – Curso de Ambiente e Desenvolvimento, Universidade do Vale do Taquari - Univates, Lajeado, 17 dez. 2020. Disponível em: http://hdl.handle.net/10737/3278. pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10737/3278
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.publisher.programPPGAD;Ambiente e Desenvolvimentopt_BR
dc.rightsembargoedAccesspt_BR
dc.subjectIndicadores de sustentabilidadept_BR
dc.subjectÍndice de bem-estar ambientalpt_BR
dc.subjectÍndice de bem-estar humanopt_BR
dc.subjectÍndice de moranpt_BR
dc.subjectAnálise espacialpt_BR
dc.subject.cnpqCBpt_BR
dc.titleA utilização do barômetro da sustentabilidade nos municípios e biomas do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.typedoctoralThesispt_BR
Arquivos
Pacote original
Agora exibindo 1 - 1 de 1
Imagem em miniatura
Nome:
2020Jéssica MazuttiPensodeCampos.pdf
Tamanho:
2.79 MB
Formato:
Adobe Portable Document Format
Descrição:
Pacote de licença
Agora exibindo 1 - 1 de 1
Nenhuma miniatura disponível
Nome:
license.txt
Tamanho:
4.49 KB
Formato:
Item-specific license agreed upon to submission
Descrição: