Ambiente e Desenvolvimento

URI Permanente para esta coleção

Navegar

Submissões Recentes

Agora exibindo 1 - 5 de 62
  • Item
    Acesso Aberto
    O modelo cooperativo na construção das condições para a sustentabilidade
    (2022-06) Büttenbender, Bruno Nonnemacher; Barden, Júlia Elisabete; http://lattes.cnpq.br/2618070777171361; Cyrne, Carlos Cândido da Silva; Feil, Alexandre André; Forgiarini, Deivid Ilecki
    As preocupações relativas aos impactos causados pelas atividades humanas e suas formas de organização nos mais diversos aspectos têm dado ênfase à perspectiva coletiva que busca a viabilidade econômica de sua realização ao passo em que agregam-se observações acerca dos aspectos ambiental, institucional e social destas atividades, consolidando um ideal de sustentabilidade pautado nas dimensões social, econômica, ambiental e institucional. Em vistas a novas formas de interação e gestão da sociedade, de modo mais equitativo e inclusivo, somando-se à realidades ambientalmente mais amigáveis, a proposição do modelo cooperativo como opção de um capitalismo voltado ao stakeholder surge como alternativa que norteia a busca pelas condições da sustentabilidade. Uma vez observada esta lacuna teórica, a presente tese teve como objetivo analisar a construção das condições para a sustentabilidade por meio do modelo cooperativo. Para tanto, desenvolveu-se uma pesquisa de natureza aplicada, que pode ser considerada quanto aos meios exploratória-descritiva e de método indutivo. Foi conduzido um levantamento bibliográfico e documental, de caráter quali e quantitativo. As etapas do estudo consistiram em identificar um conceito de sustentabilidade que permitisse observar a perspectiva do modelo cooperativo em sua construção, posteriormente o mesmo foi relacionado à este ideal de forma a analisar de que maneira participa da construção das condições para a sustentabilidade e, por fim, foi criada uma matriz de indicadores que permite à organização cooperativa gerir suas atividades de modo a contemplar cada uma das dimensões envolvidas no processo. Como resultado, observou-se que a dimensão institucional destaca-se das demais dimensões – social, econômica e ambiental – de modo que constitui a ferramenta por meio da qual o modelo cooperativo interage com o território e os agentes que compõe esse território. Da mesma forma, afirma-se que o modelo cooperativo é capaz de promover institucionalmente mudanças e melhorias nas dimensões social, econômica e ambiental, de modo a representar o interesse coletivo dos envolvidos pavimentando o caminho para uma condição mais sustentável. É por meio da fidelidade para com os princípios e valores norteadores do modelo, e acima de tudo, do vínculo para com a comunidade, que o cooperativismo é capaz de participar da construção das condições para a sustentabilidade, transitando institucionalmente entre suas dimensões, e reforçando o elo de pertencimento local e de capital social entre os agentes do território em que atua. Por fim, articulou-se uma matriz de indicadores para que a participação do modelo na construção das condições para a sustentabilidade pudesse ser observado e gerido de maneira efetiva nos territórios e comunidades onde atuam as cooperativas. A atuação institucional do modelo cooperativo é o que permite que sejam geridas e administradas as dimensões social, econômica e ambiental, além de fomentar o pertencimento local e o capital social nos territórios em que este atua.
  • Item
    Acesso Aberto
    Utilização de resíduo madeireiro amazônico na produção de blocos de vedação para construção civil
    (2022-01) Viezzer, Marlize Reffatti Zinelli; Konrad, Odorico; http://lattes.cnpq.br/9946679953072196; Ethur, Eduardo Miranda; Silva, Diana Suzete Nunes da; Kuniochi, Erica Mitie Umakohi
    A exploração florestal na Amazônia abastece a indústria madeireira que ao beneficiar tora em madeira serrada gera grandes quantidades de resíduos classificados em: pedaços de madeiras, cepilhos e serragem. Eles, em sua maioria, são armazenados de forma inadequada no meio ambiente acarretando sérios problemas ambientais. Parte da madeira serrada é usada no setor da construção civil que com o desenvolvimento econômico da Região Norte de Mato Grosso tem crescido de forma significativa. Diversos estudos vêm sendo desenvolvidos acerca do potencial existente no uso de resíduos vegetais como agregado para a produção de materiais construtivos. Dentre eles está a serragem de madeira, objeto de estudo desta pesquisa. Para a elaboração deste trabalho foi realizado um diagnóstico das madeiras mais industrializadas no município de Alta Floresta - MT, identificando as espécies florestais mais exploradas e processadas nas serrarias, nomeadamente, o Cambará - Vochysia sp., o Cedrinho - Erisma uncinatum Warm. e a Garapeira. - Apuleia sp. Elas foram selecionadas e os resíduos do desdobro primário foram classificado e quantificado com a finalidade de avaliar o potencial de uso como agregado na fabricação de blocos de concreto e de tijolos de solo-cimento. Ainda para análise desta proposta foi realizado um levantamento de dados climáticos, com o intuito de produzir a carta bioclimática local. Isso proporcionou consistência e embasamento teórico para discutir as estratégias construtivas para a região e a análise do conforto térmico prestado pelos blocos de solo, cimento e serragem. Como resultados a pesquisa atestou a viabilidade da produção de blocos de alvenaria fabricados com concreto, agregados e 12% de serragem, sendo comprovado a resistência a compressão de 3,04Mpa para o Cambará - Vochysia sp., e 2,18Mpa para Garapeira. - Apuleia sp. Já a espécie Cedrinho - Erisma uncinatum Warm não apresentou resultados satisfatórios. Quanto aos tijolos de solo-cimento com 20% de serragem as três espécies apresentaram os seguintes valores Mpa: 1,70 Mpa (Cambará - Vochysia sp.), 1,26Mpa (Cedrinho - Erisma uncinatum Warm.) e 1,95Mpa (Garapeira - Apuleia sp). Os valores foram inferiores ao recomendado pela NBR 8491. No que diz respeito a produção, somente apresentaram resistência mecânica os blocos e os tijolos fabricados com a serragem tradada por lavagem e padronização granulométrica. Pela carta bioclimática o estudo avaliou que o município apresenta-se na Zona 1 - Conforto e na Zona 2 – Ventilação, onde as estratégias indicadas são ventilação cruzada e ambientes construídos mais amplos. Quando analisado o comportamento térmico dos protótipos fabricados com os materiais estudados concluiu-se que os tijolos de solo-cimento-serragem apresentaram menor amplitude térmica que os blocos de concreto-serram. Contudo ambos os materiais incorporados com serragem apresentaram temperaturas de até 2°C a menos quando comparados com os materiais convencionais demonstrando, portanto, propriedades térmicas positivas. A pesquisa comprova a possibilidade do uso de resíduos madeireiros de espécies nativas da Amazônia em blocos de alvenaria para a construção civil e ainda os benefícios térmicos proporcionados por materiais incorporados com resíduos vegetais.
  • Item
    Acesso Aberto
    A comunidade ribeirinha Santo Antônio do Rio Morais/Amazônia: história e território
    (2022-02) Ramos, Messias Barbosa; Laroque, Luís Fernando da Silva; http://lattes.cnpq.br/6550642682865922; Pinheiro, Fernanda Storck; Mourad, Leonice de Fátima Alves Pereira; Trombini, Janaíne
    O presente estudo com o título A Comunidade ribeirinha Santo Antônio do Rio Morais/Amazônia: história e território, ocorre a partir das relações ribeirinhas com o ambiente e a produção do seu território desde a sua fundação, em 1978, até o tempo presente, 2021, perfazendo pouco mais de 40 anos. Localizada na zona rural do município de Maués/Am, latitude 3°24’05”S e longitude 57°40’11”W, a 5,5 km distante do centro da cidade, o objeto da pesquisa é constituído por 56 famílias totalizando 380 moradores. Os problemas norteadores da pesquisa são: a) Como a comunidade Santo Antônio do Rio Morais foi criada? b) Que motivações levaram a isto? c) Como era a paisagem do local antes e como mudou ao longo dos quarenta e dois anos de existência do lugar? d) Quais sãos as festividades, o que teve continuidade e o que foi transformado? e) Qual é a relação do ribeirinho com a natureza, suas percepções sobre o ambiente onde vive? O objetivo geral da investigação consiste em entender a formação da Comunidade Santo Antônio do Rio Morais e suas mudanças ao longo da história, desde sua fundação pela igreja católica em 1978 até 2021, considerando suas origens e a relação de seus moradores com o ambiente. Como metodologia trata-se de um estudo de caso alinhado a pesquisa qualitativa, de caráter exploratório e natureza descritiva. Dentre os procedimentos metodológicos, destaca-se a revisão bibliográfica, a pesquisa documental e pesquisa de campo com a aplicação de entrevistas semiestruturadas, história oral e diário de campo. Como resultado aponta-se a descrição da história e da formação do território da comunidade, as transformações ocorridas ao longo do tempo, assim como as mudanças na paisagem, a cultura e as reatualizações culturais como dinâmicas sociais importantes para a permanência do ribeirinho em seu ambiente. Ao final se discute possibilidades de enfrentamento de desafios futuros com soluções voltadas ao desenvolvimento de tecnologias socias, a exploração sustentável dos recursos naturais através do ecoturismo e da organização social para beneficiar os comunitários.
  • Item
    Acesso Aberto
    A desterritorialização dos ribeirinhos do Rio Madeira no estado de Rondônia e a violação do princípio da dignidade humana: um novo olhar a partir da teoria do reconhecimento
    (2020-10) Cavalli, Kaiomi de Souza Oliveira; Moret, Artur de Souza; Turatti, Luciana; http://lattes.cnpq.br/5819588394882211; Rempel, Claudete; Dalmagro, Eleonice de Fatima; Penna, Bernardo Schmidt
    A construção da hidrelétrica Santo Antônio no Estado de Rondônia atingiu as comunidades ribeirinhas às margens do Rio Madeira, entre os anos de 2008 a 2012. O tema escolhido para presente tese “A desterritorialização dos ribeirinhos do Rio Madeira no Estado de Rondônia e a violação do Princípio da Dignidade Humana: um novo olhar a partir da teoria do reconhecimento” teve por objetivo analisar o processo de desterritorialização das comunidades tradicionais ribeirinhas do Rio Madeira, promovido por construtoras de usinas hidrelétricas no estado de Rondônia, sob a ótica do reconhecimento desses povos enquanto populações tradicionais e do respeito à dignidade da pessoa humana. O texto evidencia a implantação da Usina Hidrelétrica de Santo Antônio e a retirada dos ribeirinhos afetados pelo alagamento causado pelo reservatório, a partir da teoria do Reconhecimento produzindo assim danos ao Princípio da Dignidade da Pessoa Humana. A prospecção da pesquisa fora realizada através de entrevistas semi estruturadas e também de observações diretas, o que conduziu a produção de informações indicativas dos impactos sociais, ambientais e econômicos sofridos pela população pesquisada. Concluiu-se que os danos sofridos pelos riberinhos desterritorializados das margens do Madeira não se restringem somente aos impactos socioambientais vez que violam o princípio da dignidade humana no que se refere a aspectos como moradia, educação, cultura, lazer e economia.
  • Item
    Acesso Aberto
    Macrofauna edáfica e mirmecofauna (hymenoptera: formicidae) em diferentes paisagens e sistemas de usos do solo no bioma cerrado, Brasil
    (2020-12) Lima, Charlyan de Sousa; Silva, Edison Fernandes da; Périco, Eduardo; http://lattes.cnpq.br/4494244221645524; Silva, Guilherme Liberato da; Silveira, Eliane Fraga da; Dalzochio, Marina Schmidt
    O Cerrado segundo maior bioma Neotropical e reconhecido como um importante hotspot, sofre ameaças antrópicas causada pela exploração excessiva de seus recursos, que afeta as paisagens naturais e altera as propriedades químicas e físicas do solo. A macrofauna edáfica e a mirmecofauna são suscetíveis a variações temporais e espaciais e têm sido utilizadas como indicadores ecológicos dos efeitos antropogênicos dos sistemas de uso e cobertura do solo em regiões com alta biodiversidade e endemismo como o Cerrado. O principal objetivo desta tese foi caracterizar a macrofauna edáfica e mirmecofauna (Hymenoptera: Formicidae) em relação às alterações no uso e cobertura do solo em áreas naturais e de manejo antrópico, no bioma Cerrado. Para tanto, selecionou-se ambientes que reúnem características naturais (Cerradão e Mata dos Cocais) e formações do Cerrado que sofreram perturbações antrópicas (Corte e Queima, Eucalipto e Pastagem). Os resultados mostraram uma redução da riqueza e abundância de comunidades de invertebrados/formicídeos em áreas de perturbação antrópica. Os grupos funcionais da macrofauna edáfica como da mirmecofauna realizam diversas atividades nos ambientes que regulam os processos físicos, químicos e biológicos que ocorrem no solo, promovendo equilíbrio ecológico nessas áreas. Conclui-se que os efeitos da sazonalidade, cobertura e uso do solo, e perfil das paisagens determinam a composição taxonômica e funcional da macrofauna edáfica e a mirmecofauna. Nos ambientes antropizados os grupos funcionais generalistas são mais abundantes, enquanto que nos ambientes naturais os grupos são mais especializados. Assim, tanto a diversidade e funcionalidade da macrofauna e mirmecofauna desempenham atividades reguladoras dos processos físicos, químicos e biológicos no solo, que favorecem o equilíbrio e o funcionamento do bioma.