Conteúdo Digital

Movimente-se hoje para garantir sua saúde amanhã

9 maio 2022

Você tem o hábito de praticar atividade física? O sedentarismo no País aumenta cada vez mais, trazendo sérios riscos à saúde, já que a falta de atividades físicas agrava o quadro de doenças crônicas e cardiovasculares. Essas patologias estão diretamente ligadas ao excesso de peso, à falta de consumo de alimentos saudáveis como frutas e verduras e ao sedentarismo, sendo também uma das principais causas de morte no Brasil.

Mas o que é sedentarismo?

A falta ou a diminuição de atividade física regular são denominadas sedentarismo. É sedentário quem apenas realiza atividades que não aumentam consideravelmente o gasto energético acima do nível de repouso. Para não ser considerado sedentário, o indivíduo precisa realizar atividades físicas de intensidade moderada pelo menos cinco vezes por semana durante 30 minutos ou exercícios físicos de intensidade vigorosa pelo menos três vezes por semana durante 20 minutos.

Atividade física pode ser definida como qualquer movimento corporal, produzido pelo músculo esquelético, que resulte em um pequeno aumento calórico acima do repouso. Já o exercício físico consiste em movimentos corporais programados, estruturados e sistematicamente repetitivo. 

Foto: Ana Amélia Ritt

Mudança de hábitos

Uma vida sedentária pode provocar o processo de regressão funcional, ocasionar a perda de flexibilidade articular, além de comprometer o funcionamento de vários órgãos, levando também à perda de fibras musculares.

Para que os hábitos sedentários sejam deixados de lado, as pessoas devem ter consciência de que a atividade física precisa ser introduzida na rotina de forma gradativa, a fim de prevenir possíveis lesões que possam acontecer no período de adaptação. Recomenda-se que as atividades sejam assistidas por um educador físico para que os movimentos sejam reeducados e executados de forma correta, sem que haja risco de lesionar alguma estrutura corporal. Além disso, é preciso seguir uma alimentação balanceada, consumindo frutas e verduras ao longo do dia.

Entre os universitários

Esse panorama é ainda mais preocupante entre os universitários. Na Bahia, 41% deles foram considerados sedentários, enquanto no Estado de São Paulo o percentual sobe para 43%. Já em âmbito nacional o número de sujeitos ativos é maior entre os homens (42,7%), ficando em 33,4% entre as mulheres. Em relação à idade, foi constatado que o número de praticantes é mais expressivo entre os mais jovens (47% entre 17 e 39 anos), diminuindo com o avançar da idade (30% com mais de 40 anos). 

Na Univates, o diplomado do curso de Educação Física (bacharelado) Luís Lansini realizou uma pesquisa sobre o sedentarismo na Instituição. Segundo o estudo, realizado em 2017, ele atinge cerca de 41% dos estudantes universitários. Dentre os entrevistados, 47,9% dos estudantes considerados acima do peso, segundo o Índice de Massa Corporal (IMC), apresentaram níveis de sedentarismo.

Os resultados também mostram que o fator se agrava conforme o tempo que o acadêmico está na Universidade. Entre os alunos que ingressaram no Ensino Superior há menos de dois anos, 36% não praticam atividades físicas, chegando a 48,8% quando analisados os estudantes que estão há mais de dois anos na graduação. Outro dado interessante do estudo constatou uma diferença de 4,1% (não significativa) em termos de sedentarismo entre os acadêmicos que trabalham (40,6%) e os que não trabalham (44,7%).

Foto: Natália Bottoni
compartilhe

Saiba tudo sobre o mercado de trabalho

Inscreva-se em nossa lista para ficar sabendo de todas as novidades

Inscreva-se
Materiais Gratuitos

Saiba tudo sobre o mercado de trabalho

Inscreva-se em nossa lista para ficar sabendo de todas as novidades

1/3
2/3