Notícias

03 Maio de 2018

Com a preferência, o pedestre

Todos os dias, mais de 8.500 pessoas circulam pela Univates. Já o número de carros e motos, somados, que acessam o campus é de 2.900, ou seja, 2,9 vezes menor. Sem contar que todo motorista também é pedestre em algum momento, mas nem todo pedestre é motorista. Por isso, e atendendo a demandas da comunidade acadêmica, a Univates tem investido cada vez mais em facilitar o deslocamento a pé pelo campus e sua proximidade. Exemplo disso é a instalação das faixas elevadas.

Elas começaram a ser instaladas em 2015, depois que lombadas eletrônicas foram removidas da rua Avelino Talini e a velocidade dos carros aumentou consideravelmente. Com isso, além de reduzir a velocidade dos veículos para entrada e saída no campus e aumentar a segurança dos pedestres, as faixas elevadas também contemplam uma rota de acessibilidade para os cadeirantes, integrando as calçadas dos dois lados da pista. A elevação facilita que os cadeirantes ingressem na calçada e tenham espaço para manobra, garantindo a segurança no percurso.

De acordo com o gerente do setor de Engenharia e Manutenção, Robledo Müller, após a instalação das faixas elevadas, a iniciativa foi bastante elogiada na reunião da Reitoria com os representantes de turma para as devolutivas da Avaliação Institucional. “Os estudantes apontaram dificuldade em atravessar a rua Alberto Müller nas proximidades do Prédio 16, motivo pelo qual foram instaladas travessias elevadas também naquele local”, explica.

A iniciativa deu tão certo que os estudantes solicitaram, por meio da Avaliação Institucional e de outros canais de comunicação, a instalação das faixas elevadas em frente ao Prédio 1, o que ocorreu recentemente. “Como a norma não permite a instalação em curvas, precisamos de um planejamento maior para as que foram instaladas em frente ao Prédio 1, todas executadas pela própria Univates, diferentemente das que foram colocadas na avenida Alberto Pasqualini, executadas pela Prefeitura de Lajeado”, informa o gerente.

Robledo explica que as faixas elevadas mostram ao motorista que ele está invadindo um espaço do pedestre. “Estudos feitos em outras cidades que adotam as faixas elevadas mostraram que as faixas de segurança pintadas na pista sugerem que o local é prioritariamente do motorista, quando, na verdade, o pedestre é quem tem a preferência”, analisa Müller. Essa preferência é prevista, inclusive, no Código Brasileiro de Trânsito.

A preferência do pedestre pode ser verificada também nas vias internas do campus, onde há redutores de velocidade e sinalização. “A tendência é que haja cada vez mais espaços de convivência e para pedestres. A ideia é que os estacionamentos sejam direcionados para as extremidades”, antecipa Müller.

Como ocorre a instalação de faixas elevadas?

A instalação das lombadas acontece após pesquisas e planejamento a partir de resoluções nacionais e do Manual Brasileiro de Sinalização de Trânsito do Conselho Nacional de Trânsito, além das normas ABNT NBR 9050 e ABNT NBR 16537, que regulamentam a construção desse tipo de recurso e a questão da acessibilidade. O projeto também é analisado e aprovado pela Prefeitura de Lajeado para que possa ser executado. Müller salienta que nada é realizado sem a aprovação do Executivo e que ambas as instituições trabalham em parceria.

Clique para ampliar