PERCEPÇÕES DE UMA PROFESSORA DE LÍNGUA PORTUGUESA EM SITUAÇÃO DE AUTOCONFRONTAÇÃO SOBRE O TRABALHO COM O TEXTO MULTISSEMIÓTICO NO ENSINO MÉDIO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22410/issn.1983-0378.v44i1a2023.3355

Palavras-chave:

Análise Dialógica do Discurso, Trabalho Docente, Autoconfrontação, Texto multissemiótico.

Resumo

Este artigo analisa percepções de uma professora de língua portuguesa do Ensino Médio da rede pública cearense sobre o ensino com o texto multissemiótico, deflagradas por uma sequência formativa, disparada pelo dispositivo da autoconfrontação. Esse método de geração de dados é tomado como um instrumento motriz para o desenvolvimento de uma Sequência Formativa (SF) (RIBEIRO; BASTOS, 2019), que contemple demandas genuínas do coletivo de professores sobre o trabalho com o texto multissemiótico. Tomamos, como corpus de análise, cenas elucidadas no âmbito da autoconfrontação, apontadas como relevantes pela professora-protagonista. Recorre-se, como arcabouço teórico, à noção de enunciado concreto cunhada pela Teoria Dialógica do Discurso (BAKHTIN, 2011, 2014, 2015, 2018; VOLOCHINOV, 2017). Adota-se, ainda, a perspectiva dos Multiletramentos (ROJO; MOURA, 2012; ROJO; BARBOSA, 2015; ROJO; MOURA, 2019); e a do trabalho prescrito, realizado e real (CLOT, 2006). Constatamos que, além de estimular a discussão sobre demandas legítimas do coletivo de trabalho, visto que a professora-protagonista assume a condição de membro, a SF proposta, a partir do dispositivo da autoconfrontação, fomenta a valorização das experiências dos professores, da reflexão e da (re)criação da prática.

Biografia do Autor

Samya Semião Freitas, Universidade Federal do Ceará

Doutora em Linguística pelo Programa de Pós-graduação em Linguística da Universidade Federal do Ceará (UFC). Professora efetiva da Secretaria de Educação do estado do Ceará (SEDUC-CE).

Pollyanne Bicalho Ribeiro, Universidade Federal do Ceará

Doutora em Linguística pelo Programa de Pós-graduação em Linguística da PUC Minas. Professora associada do Departamento de Letras da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Fernanda de Castro Modl, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Doutora em Linguística pelo Programa de Pós-graduação em Linguística da PUC Minas. Professora Titular B do Departamento de Estudos Linguísticos e Literários (DELL)/Área de Metodologia e Prática de Ensino (AMPE) e do Programa de Pós-Graduação em Letras: Cultura, Educação e Linguagens (PPGCEL), Linha de pesquisa Linguística Aplicada.

Downloads

Publicado

13-07-2023

Como Citar

FREITAS, Samya Semião; RIBEIRO, Pollyanne Bicalho; MODL, Fernanda de Castro. PERCEPÇÕES DE UMA PROFESSORA DE LÍNGUA PORTUGUESA EM SITUAÇÃO DE AUTOCONFRONTAÇÃO SOBRE O TRABALHO COM O TEXTO MULTISSEMIÓTICO NO ENSINO MÉDIO. Revista Signos, [S. l.], v. 44, n. 1, 2023. DOI: 10.22410/issn.1983-0378.v44i1a2023.3355. Disponível em: https://www.univates.br/revistas/index.php/signos/article/view/3355. Acesso em: 24 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos