UM MÉTODO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO: CARTOCULINAR

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22410/issn.1983-0378.v44i2a2023.3602

Palavras-chave:

Cartografia, Coordenação pedagógica, Metodologia de pesquisa em educação.

Resumo

Como se movimenta o cartoculinar como método de uma pesquisa? Essa questão, cerne do presente texto, provoca os processos inventivos no campo da metodologia de pesquisa em Educação. O cartoculinar, como parte de uma pesquisa cartográfica de mestrado, tem como chave pós-estrutural o movimento junto a conceitos de autores, tais como: os brasileiros Costa (2014) e Corazza (2020), os franceses Guattari (1987) e Barthes (1984), e trabalha no intuito da possibilidade inventiva de um método de pesquisa estabelecido no território cartográfico da escrita em meio à culinária baiana, roubada da obra literária de Jorge Amado (2012). Essa cartografia entra pelo tema de pesquisa tensionando a escrita da função de uma coordenação pedagógica baiana, em meio a vieses da Educação e do texto institucionalizado que rege suas práticas. Indica-se o método cartoculinar como possibilidade de constituição de metodologias de pesquisa pensadas de modo insurgente e autoral, a fim de potencializar textos com fluidez e explorar intensidades da escrita extraída do fazer literário.

Biografia do Autor

Patrícia dos Santos Costa de Oliveira, Universidade de Caxias do Sul Secretaria Municipal de Educação de Lauro de Freitas/BA

Patrícia dos Santos Costa de Oliveira é Mestra em Educação pela Universidade de Caxias do Sul. Pedagoga pela Universidade Estadual Vale do Acaraú. Bacharel em Direito pela Universidade UNIME. Especialista em Educação Integral pela Universidade Federal da Bahia; e em Coordenação, Gestão e Orientação Educacional pela Faculdade Visconde de Cairú. É Coordenadora Pedagógica da Rede Municipal de Ensino em Lauro de Freitas/BA.

Sônia Regina da Luz Matos, Universidade de Caxias do Sul - UCS

Pesquisadora do PPGEDU/UCS, Professora do PROFOR, Membro da Sociedade Brasileira de Filosofa da Educação (Sofie), Associação Brasileira de Alfabetização (Abralf); Grupo de Pesquisa CNPq: Educação, Filosofia e Multiplicidade Contemporaneidade/UCS) e Observatório de Educação/UCS. Gestão científica esteve na Coordenação Pibid Institucional-UCS, Pibid Pedagogia-UCS, Linha de Formação de Professores. Formação acadêmica: Estágio. Pós-Doutorado (2016), Université Paris 10 - Nanterre, Laboratório de filosofia.

Verônica Domingues Almeida, Universidade Federal da Bahia- UFBA

Graduada em Pedagogia (1997), mestre (2010) e doutora em Educação (2017) pela Universidade Federal da Bahia. Durante 15 anos atuou na Educação Básica, em redes públicas e privadas de ensino, exercendo as funções de professora, coordenadora pedagógica e gestora escolar. Foi docente no curso de Licenciatura em Computação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia - IFBA. Atualmente é professora Adjunta da Universidade Federal da Bahia, atuando na Faculdade de Educação, no curso de Pedagogia, na área de Estágio Supervisionado. Coordenou o núcleo do curso de Pedagogia no Programa Residência Pedagógica entre os anos de 2018 e 2023. É docente dos Programas de Pós-graduação em Educação (PPGEDU) e do curso de Mestrado Profissional em Educação do Programa de Pós-Graduação em Currículo, Linguagens e Inovações Pedagógicas (PPGCLIP-MPED); neste último atuou como coordenadora durante o biênio 2021-2022. É líder do grupo de estudos e pesquisas em Filosofia, Arte e Educação (FIARe/FACED-UFBA/CNPQ). Desenvolve pesquisas e publica artigos, capítulos de livros e livros sobre os seguintes temas: formação de professores, currículo, experiência, inovações pedagógicas e sensibilidades e educação.

Downloads

Publicado

29-12-2023

Como Citar

OLIVEIRA, Patrícia dos Santos Costa de; MATOS, Sônia Regina da Luz; ALMEIDA, Verônica Domingues. UM MÉTODO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO: CARTOCULINAR. Revista Signos, [S. l.], v. 44, n. 2, 2023. DOI: 10.22410/issn.1983-0378.v44i2a2023.3602. Disponível em: https://www.univates.br/revistas/index.php/signos/article/view/3602. Acesso em: 19 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos