Cinco motivos para você realizar intercâmbio acadêmico

Postado por Ana Amélia Ritt

compartilhe

- Vivência de nova cultura;
- Ampliação de compreensão do mundo;
- Conhecimento internacional acadêmico;
- Crescimento profissional;
- Desenvolvimento de novos objetivos e visões pessoais.

Foi justamente por isso que Daniela Diesel e Jose Alberto Romaña Diaz passaram. Ela realizou mestrado sanduíche em Portugal (e atualmente realiza doutorado no país) e ele, que é da Colômbia, está realizando mestrado aqui. Conheça a história deles:

Elise Bozzetto

Passagem na mão

A diplomada do Programa de Pós-Graduação (PPG) em Ensino da Univates Daniela Diesel embarcou para Portugal em setembro de 2016. Daniela esteve na Universidade do Algarve por meio de uma bolsa de estudos do Programa do Erasmus Mundus, que oferecia apenas três vagas para toda a América Latina. Hoje, ela é doutoranda da Universidade de Lisboa.

Já Jose Alberto Romaña Diaz iniciou o intercâmbio acadêmico em 2014 no curso de Psicologia da Univates. O estudante da Corporação Universitária Minuto de Deus (Uniminuto), parceira da Instituição, concluiu o curso de graduação na Univates e, em seguida, participou da seleção para o mestrado em Ensino. 

Aproximação internacional

Até julho de 2017 Daniela buscou aproximação com projetos de pesquisas portugueses, além de realizar trabalho voluntário em uma Instituição de Trissomia 21, que atende crianças com Síndrome de Down. No local deu aulas de psicomotricidade, natação e equoterapia. Além disso, ela participou de congressos e seminários, apresentando parte da pesquisa desenvolvida ao longo do mestrado. 

Essas participações foram muito importantes para troca de conhecimentos com profissionais de outros países. Uma experiência internacional faz com que você olhe para si mesmo, como pessoa ou profissional, enxergando novas perspectivas, diferentes contextos e realidades
mestra em Ensino pela Univates Daniela Diesel

Bruna Lais Alves

Daniela também também coletou dados através de grupos focais com estudantes do Ensino Médio. “A inserção na realidade educacional portuguesa possibilitou perceber que os anseios desses jovens estudantes são muito similares aos anseios e às inquietudes apresentadas pelos participantes da pesquisa realizada no Vale do Taquari”, conta. Recentemente ela está realizando doutorado em Educação na especialidade Technology Enhanced Learning and Societal Challenges da Universidade de Lisboa, além de receber uma bolsa de estudos da Fundação de Ciência e Tecnologia de Portugal.

Novas portas

Já Diaz, durante o intercâmbio da graduação, inseriu-se no grupo de pesquisa Currículo, Espaço e Movimento (CEM) da Univates, que teve forte influência na decisão dele de ficar no Brasil. “Por meio do projeto de pesquisa realizei uma participação no Iberê Camargo em Porto Alegre e essa oportunidade me fez conhecer o Museu de Arte do Rio de Janeiro (MAR). Este espaço me chamou a atenção e tornou-se objeto de pesquisa da minha dissertação de mestrado”, conta ao explicar que analisou o local como um espaço poroso. “O MAR faz parte de uma reconfiguração urbanística. Ele fica no centro do Rio de Janeiro e quer se tornar uma marca como os demais pontos turísticos. O ambiente possui um contexto político-social importante e já na sua arquitetura sugere uma proposta educativa”, conta Diaz.

Sobre o intercâmbio, o colombiano afirma que a oportunidade surgiu como uma experiência desafiadora, principalmente na questão do idioma, mas é positiva.

Ana Amélia Ritt

O intercâmbio faz com que você veja o mundo de maneira diferente. Apesar de a pesquisa ser semelhante com relação aos autores pesquisados, o convívio com pessoas que pensam e argumentam diferente enriquece e possibilita abrangência. O seu fazer profissional é permeado pelas vivências
mestrando Jose Alberto Romaña Diaz
E-book

[E-BOOK] Mercado de trabalho

Receba este e-book gratuitamente.

quero esse e-book
Fale com a gente