Agenda

Encontros Científicos do PPGBiotec - 2018B

O evento é composto por seminários proferidos por professores e pesquisadores de áreas correlatas ao Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia da Univates.

A relação de datas e assuntos pode ser conferida na tabela abaixo. São convidados graduandos e graduados de áreas correlatas a Biotecnologia. Interessados e entusiastas em ciência e tecnologia também bem vindos.

São oferecidas 120 vagas para cada atividade. O evento acontece na sala 406 do Prédio 3, das 13h30min às 15h.

 

Relação de datas e conteúdos

Mês/Dia

Ministrante

Instituição

Conteúdo

Agosto

31

Fernanda Majolo

PUCRS

Experiência no desenvolvimento de mini-brains

Setembro

14

Victor Hugo Valiati

Unisinos

Evolução, Ecologia e Genética da Conservação: a história de um grupo de pesquisa contada pelas moléculas

 

28

Alexandro Cagliari

UERGS

A definir

Outubro

5

Fernanda Lazzarotto

UFRGS

APx-R no metabolismo antioxidante vegetal

 

19

Carlos Graeff Teixeira

PUCRS

Reviver do diagnóstico parasitológico na era dos diagnósticos moleculares

 

26

Luciane M. P. Passaglia

UFRGS

Fatores Nod: por que eles são tão importantes na interação entre a soja e Bradyrhizobium?

Novembro

9

SIlvia Dias de Oliveira

PUCRS

Persistência: estratégia de sobrevivência na presença de antimicrobianos

 

30

Elke Bromberg

PUCRS

Estresse crônico, envelhecimento e declínio cognitivo

 

Certificação

O certificado de participação no evento é gratuito e liberado mediante o registro de presença durante a realização das atividades. O documento é disponibilizado online, em até 14 dias úteis após a última data de realização do evento.

 

Informações: mais informações podem ser obtidas pelo telefone (51) 3714-7000, ramal 5053.

 

Confira os currículos dos palestrantes:

Nome

Resumo das qualificações

Fernanda Majolo

Possui doutorado em Medicina e Ciências da Saúde com área de concentração em Clínica Médica/Neurociências pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, mestrado em Biologia Celular e Molecular pela mesma universidade e graduação em Ciências Biológicas/Bacharel e Licenciatura pela Universidade do Vale do Taquari - UNIVATES. Durante o doutorado, realizou um período sanduíche no Neurodevelopment and Regeneration Laboratory da University of Michigan Medical School, aprofundando seus conhecimentos com os ?Mini brains?, modelos vivos de tecidos cerebrais derivados de pacientes acometidos pela epilepsia, sendo fundamental para avançar o tratamento de diversas doenças. Foi selecionada para participar do curso prático Regenerative Medicine: from Stem Cells to Organs na Universidade Federal do Rio de Janeiro e Instituto D'Or de Pesquisa e Ensino, IDOR, Brasil organizado por Stevens Rehen. Atualmente atua junto ao Laboratório de Neurociências e Centro de Terapia Celular do Instituto do Cérebro (InsCer) da PUCRS. Tem experiência na área de Terapia Celular, atuando principalmente nos seguintes temas: Biologia Molecular, Cultivo celular e Reprogramação celular a nível de Células-tronco pluripotentes induzidas (iPSCS).

Victor Hugo Valiati

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Santa Maria (1989), mestrado em Genética e Biologia Molecular pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1993) e doutorado em Genética e Biologia Molecular pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1999). Estágio em 2001 na University of Arizona, Arizona, Estados Unidos com o tema Evolução de Elementos Transponíveis em Drosophila. Atualmente é Professor Adjunto da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Biologia: Diversidade e Manejo de Vida Silvestre, da Unisinos. Orientador de mestrado e doutorado nas linhas de Pesquisa Sistemática e Filogenia e Conservação e Manejo da Biodiversidade. Tem experiência na área de Genética, com ênfase em Genética de Populações e Evolução, Genética da Conservação atuando principalmente nos seguintes temas: Evolução, Ecologia e Comportamento de espécies do subgrupo willistoni de Drosophila; Diversidade de Wolbachia (Rickettsiae) e efeitos biológicos da associação deste endoparasita com espécies neotropicais de Drosophila, sistemática molecular e filogeografia de roedores, planárias, peixes, mamíferos marinhos, aves e anfíbios. Avaliação da biodiversidade bacteriana de solo, água e bioprospecção de bactérias com potencial para biorremediação. Já publicou 43 artigos científicos e 3 capítulos de livros. Orientou e ou/coorientou 31 teses e dissertações pelos programas de pós-graduação em Biologia (Unisinos) e Genética e Biologia Molecular (UFRGS). Coordenador dos Laboratórios de Biologia Molecular, Microbiologia e Toxicologia, presidente da Comissão Interna de Biossegurança (CIBio) da Unisinos e líder do Grupo de Pesquisa Evolução, Ecologia e Genética da Conservação no CNPq.

Alexandro Cagliari

Possui Licenciatura e Bacharelado em Ciências Biológicas pela Universidade do Contestado Campus de Concórdia (2006), Mestrado em Genética e Biologia Molecular pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2009) e Doutorado em Genética e Biologia Molecular pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2013). Realizou Doutorado sanduíche (2012-2013) na Universidade da Califórnia-Davis sob orientação do Dr. John Jiro Harada. Tem experiência na área de Biologia Molecular, com ênfase em Genômica Funcional e Bioinformática, atuando principalmente nos seguintes temas: biossíntese de triglicerídeos, fatores de transcrição envolvidos no processo de síntese de lipídeos, morte celular programada e apoptose em resposta a condições de estresse biótipo e abiótico. Atualmente é Professor Adjunto em Biotecnologia na Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs). É membro da comissão de Pesquisa e Pós-graduação e vice-coordenador do curso de Especialização em Ensino de Ciências da Natureza e Matemática na Unidade da Uergs em Santa Cruz do Sul. Atua como co-orientador de alunos mestrado e doutorado no Programa de Pós-graduação em Genética e Biologia Molecular da UFRGS e do Programa de Pós Graduação em Biologia Celular e Molecular da UFRGS. É docente permanente do Programa de Mestrado Profissionalizante em Ambiente e Sustentabilidade da Uergs.Foi coordenador do curso de Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia (UERGS-Santa Cruz do Sul) (2014-2016), membro do Conselho Consultivo Regional (Região V) (2014-2016) e representante docente da região V (2014-2016) no Conselho Superior da Universidade (CONSUN). Atualmente exerce função na Reitoria da Uergs, como Coordenador da Área das Ciências da Vida e do Meio Ambiente, sendo responsável pela supervisão dos cursos de Agronomia, Ciências Biológicas, Gestão Ambiental, Ciências Agrárias, Ciência e Tecnologia de Alimentos oferecidos na Uergs.

Fernanda Lazarotto

Graduada em Biomedicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Mestre e Doutora pelo programa de Pós-Graduação em Genética e Biologia Molecular da mesma Universidade. Membro do Núcleo de Genômica Funcional de Plantas do Laboratório de Genética Vegetal da UFRGS desde 2007, onde venho desenvolvendo trabalhos com enfoque na área de estresse oxidativo em plantas.

Carlos Graeff Teixeira

Graduação em Medicina pela Universidade de Passo Fundo (1980), mestrado em Doenças Infecciosas e Parasitárias pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1986) e doutorado em Medicina Tropical pela Fundação Oswaldo Cruz (1991) doutorado sanduíche no National Institute for Medical Research (NIMR-MRC, 1990) da Inglaterra. Atualmente é Professor Titular da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, membro do Comitê Interdisciplinar da FAPERGS, Coordenador do Comitê Assessor em Microbiologia e Parasitologia do CNPq (2016-2019). Tem experiência na área de Parasitologia, com ênfase em Helmintologia Humana, atuando principalmente nos seguintes temas: esquistossomose de baixa endemicidade, angiostrongilíases, diagnóstico parasitológico e molecular, reatividade cruzada humoral. Interesses recentes: desenvolvimento de instrumentos para identificação de problemas socialmente relevantes; institucionalização e promoção da interdisciplinaridade; aplicação e desenvolvimento de teorias sobre a complexidade em modelos de interação parasito-hospedeiro. Membro Fundador da Associação Brasileira de Gestores de Pesquisa (ABGEPq/ BRAMA). As principais contribuições científicas: pioneiro no isolamento em laboratório e estudos sobre angiostrongilíases no Brasil e liderou o desenvolvimento de método sorológico que é referência mundial até o presente; junto com Candida Teixeira descobriu o comportamento magnético dos ovos de Schistosoma mansoni, do que resultou uma linha de pesquisa na interface biologia-física e o desenvolvimento de um dos métodos mais sensíveis para diagnóstico da esquistossomose: Helmintex. Nos estudos epidemiológicos tem vivenciado a necessidade de integrar os estudos biomédicos com a análise e acompanhamento dos determinantes socio-políticos. Desenvolve conceitos novos para avaliação de áreas de baixa intensidade de transmissão da esquistossomose, como o de redes de contato como fonte de informação. Tem a preocupação de aprimorar os métodos de monitoramento e certificação da interrupção de transmissão nas esquistossomoses.

Luciane M. P. Passaglia

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1986), doutorado em Genética e Biologia Molecular pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1992) e pós-doutorado na Universidade Católica de Leuven, Bélgica (1996), na Universidade da Califórnia de Berkeley, Estados Unidos (1997-1999) e na Universidade de Sevilha, Espanha (2017), através do programa Estágio Sênior no Exterior com bolsa da CAPES. É professora Titular do Departamento de Genética da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Genética, com ênfase em Genética Molecular e de Microorganismos, atuando principalmente nos seguintes temas: estudo da regulação e expressão de genes relacionados aos processos de fixação biológica do nitrogênio, captação de ferro (sideróforos) e produção de hormônios e na identificação e caracterização de bactérias promotoras de crescimento vegetal visando a produção de inoculantes para diferentes espécies de importância econômica.

SIlvia Dias de Oliveira

Graduada em Medicina Veterinária pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1997), mestrado (2000) e doutorado (2003) em Ciências Veterinárias pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atualmente, é professora adjunta da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, ministrando disciplinas de microbiologia para diversos cursos. Tem experiência na área de Microbiologia,atuando principalmente na caracterização de microrganismos de relevância em saúde humana e animal através de métodos fenotípicos e moleculares, de maneira a identificar linhagens microbianas que possam estar associadas com maior virulência e/ou resistência, bem como proporcionar o estabelecimento de uma possível origem clonal entre os organismos estudados. Também se propõe a analisar microrganismos quanto a sua resistência a antimicrobianos, bem como caracterizar a capacidade de expressar o fenótipo de persistência frente a antimicrobianos em bactérias de interesse humano e animal, procurando elucidar os mecanismos envolvidos na tolerância microbiana a antimicrobianos.

Elke Bromberg

Possui graduação em Licenciatura Plena em Ciências Biológicas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1988), mestrado em Ciências (Fisiologia Geral) pela Universidade de São Paulo (1992) e doutorado em Ciências Biológicas (Fisiologia) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1997). É professor adjunto da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, onde exerce atividades docentes, de pesquisa e administrativas relacionadas a Escola de Ciências (antiga Faculdade de Biociências) e aos Programas de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecular e Gerontologia Biomédica. Tem experiência na área de Fisiologia, com ênfase em Neurociências. Suas linhas de pesquisa abordam os mecanismos envolvidos no declínio cognitivo associado ao envelhecimento, mais especificamente a relação entre fatores neurodegenerativos e neuroprotetores, assim como aspectos potencialmente relacionados à prevenção, manejo e reabilitação do declínio cognitivo no envelhecimento e em patologias associadas ao mesmo. É membro do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Medicina Translacional (INCT-TM/CNPq).

 
Apoio: Pró-Reitoria de Pesquisa, Extensão e Pós-Graduação (Propex) - Setor de Cultura e Eventos Univates (CEU) - Núcleo de Eventos.
14 de agosto de 2018 | eventos@univates.br