Sábado para fomentar investimentos em startups

Postado em 08/10/2016 15h18min e atualizado em 26/02/2018 14h09min

Por Camille Lenz e Artur Dullius

“Qual o seu propósito ao investir em uma startup?”. Com esta frase, o empreendedor e investidor-anjo João Kepler iniciou sua palestra no último dia de atividades do CRIExp, nesta sábado, 8. Em um primeiro momento, compartilhou suas experiências como empreendedor e como aprendeu a investir em startups a partir de uma viagem para o Vale do Silício, nos Estados Unidos. Segundo Kepler, para investir em um negócio é necessário observar algumas características, como o propósito do produto e qual será seu valor agregado no mercado. É preciso entender sobre o ramo de negócio, para que não haja surpresas no futuro. “O investidor-anjo não é somente aquele que investe, mas sim que contribui para o crescimento da startup, aconselhando e prestando consultoria”, cita Kepler.
 
O empreendedor alerta que o risco de investimento sempre existe, e que o retorno financeiro demora a vir. Por isso, é necessário filtrar bem as oportunidades que surgem. “Uma boa startup é aquela que enxuga seu trabalho, tem um propósito definido, tem condições de aumentar o faturamento sem aumentar a infraestrutura e os custos e procura estar sempre se reinventando. A moeda mais valiosa do mercado hoje é a atenção; o dinheiro é consequência”, enfatiza.
 
Segundo Kepler, o que define uma startup de sucesso é organização de seu trabalho. “O mercado tradicional trabalha primeiro com o que fazer, depois em como fazer e por fim, porquê fazer. Uma startup, em sua essência, deve seguir o porquê de criar, o que criar e como fazê-lo”, finaliza. 
 
Em 2015, cerca de R$ 18 bilhões foram aplicados em negócios inovadores no Brasil, líder em investimento na América Latina. Nesse contexto, apenas 5% dos investidores são mulheres. Um dos exemplos de quem vem tentando mudar essa realidade é o de Milena Fernandes, que possui uma loja de moda feminina. A iniciativa da jovem de 22 anos e de sua mãe surgiu para atender uma demanda cada vez mais crescente: a de consultoria de moda. Aplica o que aprende nas aulas de Design de Moda da Univates e nos três empregos em que atua. “O objetivo da loja é atender as pessoas conforme suas necessidades e seu tempo. Dessa forma, temos nossa loja fixa, mas a maioria de nosso trabalho é feito a partir do deslocamento até nossas clientes”, cita. Essa, segundo Milena, é uma maneira interessante de fidelizar o público. 
 
 
Demoday coloca startups na vitrine
 
A tarde do sábado foi marcada pelo DEMO DAY- Investor Day. A atividade é voltada para a apresentação de startups da região (aquelas que foram preparadas no workshop desta sexta-feira) para uma banca de investidores locais e nacionais para investimento real. Durante o evento, Kepler escolheu a startup com o melhor conjunto de equipe capacitada e destinada a receber investimento.
 
Janaína Pasin e Laís Ribeiro são sócias em uma startup que trabalha com marcas de vestidos de noivas para casamentos simples. Os produtos são disponibilizados apenas pela internet, e o site está no ar há cerca de dois anos. “A nossa marca tem o propósito de utilizar a mão de obra brasileira e nós ouvimos isso em diversas palestras do evento. Então, ficamos felizes em saber que estamos no caminho certo”, afirmam.
 
As representantes vieram de Porto Alegre para participar do CRIExp. “O evento como um todo foi muito interessante para validar nossas ideias. Com certeza superou as nossas expectativas. A gente não tinha conhecimento que Lajeado tinha uma Universidade tão grande e tão bonita”, concluem Janaína e Laís.
 
Texto: Camille Lenz e Artur Dullius
 
Laís Ribeiro e Janaína Pasin

Artur Dullius

 João Kepler

Artur Dullius

Artur Dullius

Milena Fernandes

Camille Lenz