PPGBiotec realiza pesquisa sobre fertilidade humana e animal

Postado em 17/07/2018 08h39min e atualizado em 17/07/2018 08h44min

Por Nicole Morás

Stéfani Kummer

O projeto de pesquisa “Aplicação de marcadores moleculares no estudo da saúde reprodutiva animal e humana”, desenvolvido no Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia (PPGBiotec) da Univates, coordenado pelo professor Ivan Bustamante Filho, realiza atividades em relação à fertilidade em três linhas de trabalho: uma sobre suínos, outra sobre bovinos e uma terceira em relação ao homem. A longo prazo, o objetivo é pensar em novas ferramentas que permitam antecipar o diagnóstico ou mesmo utilizar essas proteínas como ferramenta biotecnológica no tratamento da infertilidade humana e animal. E a pesquisa já começa a dar resultados.

De acordo com Bustamante, os estudos em relação à fertilidade humana estão focados em identificar qual técnica de processamento impacta mais na qualidade dos espermatozoides. O pesquisador explica que o sêmen humano, quando coletado nos laboratórios, frequentemente não é usado in natura para procedimentos de fertilização. Ele precisa ser processado para que sejam selecionadas as melhores células com potencial de fertilizar, seja por meio de fertilização in vitro ou inseminação artificial.

Existem diferentes maneiras de se proceder em relação ao material coletado para a seleção espermática: por lavagem, gradiente de densidade e densitometria de fluxo. A ideia é desenvolver protocolos mais eficientes para selecionar células com menos danos ultraestruturais e produtoras de radicais livres
Ivan Bustamante

 

O projeto é realizado em conjunto com o Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde: Ginecologia e Obstetrícia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), envolvendo uma dissertação de mestrado e uma tese de doutorado.

Divulgação

Em relação à reprodução de suínos, Bustamante afirma que a pesquisa se direciona a identificar marcadores moleculares que apontem machos reprodutores com melhores qualidades reprodutivas. “Estamos trabalhando atualmente com a avaliação do sêmenin natura e a resistência a uma refrigeração de 17º C” . Também na espécie suína, o grupo de pesquisa do PPGBiotec da Univates é o primeiro do mundo a usar o modelo suíno como base para a pesquisa em hipogonadismo em homens, em função das semelhanças fisiológicas. “Se a gente consegue obter resultados positivos e interessantes nos suínos, abrem-se janelas para novos estudos em fertilidade em humanos”, explica Bustamante Filho. Na imagem, espermatozoide suíno analisado ao microscópio óptico.

Já a pesquisa focada na reprodução de bovinos tem testado a resistência de touros ao estresse calórico, ou seja, se há relação entre o aumento de proteínas de reprodução em casos de o animal passar por restrição de comida ou desconforto térmico. Em trabalho desenvolvido no departamento de Zootecnia da Ufrgs, no qual cursou seu mestrado e doutorado, já foram identificadas dez proteínas seminais relacionadas ao estresse térmico bovino. Novamente abrem-se portas para o desenvolvimento de novos métodos diagnósticos aplicados à andrologia animal.

Parcerias

Divulgação

A pesquisa conta com a participação de três bolsistas de iniciação científica, um bolsista de mestrado e uma de doutorado do PPGBiotec. O projeto conta ainda com a participação da Universidade de Durham, da Inglaterra, do The Scripps Research Institute, dos Estados Unidos, da  Escola de Medicina Paulista (Unifesp) e do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde: Ginecologia e Obstetrícia da Ufrgs.

Inscrições abertas

O Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia (PPGBiotec) está com inscrições abertas para vagas remanescentes de mestrado e doutorado. Com o edital de fluxo contínuo o aluno pode entrar no curso ainda neste ano. As inscrições podem ser realizadas até 31 de agosto pelo site www.univates.br/ppgbiotec/processo-seletivo. O PPGBiotec concentra-se nas áreas de Biotecnologia Agroalimentar, com linhas de pesquisa em Biotecnologia na Produção Primária de Alimentos e Biotecnologia na Produção Industrial de Alimentos, e de Biotecnologia em Saúde, com linhas de pesquisa em Detecção e Caracterização de Micro-organismos e Aspectos Moleculares em Processos Fisiopatológicos.