Mais de 40 alunos realizam intercâmbio acadêmico no próximo semestre

Postado as 12/12/2018 14:10:05

Por Ana Amélia Ritt

Divulgação

Com viagem marcada e muita expectativa, 42 alunos da Univates já levam na bagagem a certeza de uma experiência inesquecível no primeiro semestre de 2019. Os inquietos, de diferentes cursos, realizarão intercâmbio acadêmico, proporcionado pela universidade. Dez países diferentes fazem parte dos destinos escolhidos: Alemanha, Canadá, Colômbia, Espanha, México, Portugal, Suécia, Suíça e, como novidade, Letônia e Uruguai.

Ana Amélia Ritt

Essa preocupação da Univates com a internacionalização é muito importante, recebemos cerca de 40 estudantes por semestre e enviamos 50. Esses quase 200 alunos são inseridos em lugares diferentes e vivenciam culturas distintas. Esse conhecimento é trazido para cá, o que ajuda a formar e qualificar outras pessoas. Essa ação acaba impactando também a sociedade
reitor da Univates, Ney Lazzari

Ana Amélia Ritt

Gabriel Majolo é um dos primeiros estudantes a ir para a Letônia. Junto à estudante Tammy Eduarda Corrêa, estudará na Riga Technical University, na capital do país. “A Letônia me despertou curiosidade, porque tenho interesse em conhecer uma nova cultura. Pretendo também viajar pelo leste europeu”, contou o aluno de Engenharia Mecânica. “Sou muito a favor do Gabriel fazer intercâmbio. Logo que ele demonstrou interesse já apoiamos a ideia”, afirma a mãe, Neides Majolo.

Ana Amélia Ritt

Pela primeira vez também um acadêmico do curso de Gestão Financeira da Univates realiza intercâmbio para a obtenção da dupla diplomação. Para isso, Naiaja Sulzbach estudará seis meses no Instituto Politécnico de Leiria, em Portugal. “Busco o intercâmbio acadêmico pela dupla diplomação e pelo conhecimento que vou agregar. A possibilidade do certificado válido no Brasil e na União Europeia despertou o interesse na oportunidade já quando iniciei o curso. Então desde lá venho com essa ideia”, explicou. Para os pais fica a saudade, mas também o apoio em tudo que a filha precisar.

A vivência no exterior faz com que as pessoas voltem mais tolerantes às diferenças, com uma visão de mundo ampliada. E isso também é fundamental em uma experiência de intercâmbio, a aceitação de novas culturas
Diretora de Relações Internacionais, Viviane Bischoff