Curso de Engenharia de Produção da Univates é o segundo melhor do RS

Postado as 21/01/2019 11:08:42

Por Natália Bottoni

Tuane Eggers

Ofertado desde 2001 pela Univates, o curso de Engenharia de Produção foi considerado o segundo melhor do Estado e o sexto mais bem avaliado do Brasil, conquistando nota máxima (5), considerada excelente, no Conceito Preliminar de Curso (CPC) do Ministério da Educação (MEC). Entre outros fatores, o CPC é calculado a partir das notas obtidas no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade).

De acordo com o coordenador do curso na Univates, Manfred Costa, a Engenharia de Produção se aplica a todas as áreas produtivas: indústria, comércio, prestação de serviços e agricultura. O profissional formado nessa área tem como característica principal a visão sistêmica de uma empresa. “Ele reconhece todos os setores de uma organização, a importância de cada um e como eles se ligam para gerar sistemas produtivos mais eficazes e com melhores resultados”, afirma.

Tuane Eggers

Na Univates, os estudantes são preparados para desenvolver habilidades para identificar oportunidades de melhorias nas organizações, tomar decisões por meio de técnicas adequadas, gerir com competência, ser empreendedor e ter uma visão que combina tecnologia e gestão aplicada. Segundo Costa, já se formaram em torno de 150 engenheiros de produção na Universidade. Desses, alguns atuam em empresas na região do Vale do Taquari, outros em diferentes estados do Brasil e em outros países. Mesmo na faculdade, há muitos estudantes que exercem funções relacionadas à área no mercado de trabalho.

“O resultado é importante para os profissionais formados, estudantes e professores, pois confirma o esforço de todos, os métodos de ensino do curso na Instituição e a ótima colocação profissional dos acadêmicos e diplomados”, justifica Costa. Conforme ele, a Engenharia de Produção, se comparada com outros cursos de engenharia mais tradicionais, é jovem e cresceu no Brasil nos últimos 20 anos, sendo ainda desconhecida por muitos. “Na Univates, o curso foi consolidado com o passar dos anos. A cada reformulação do seu projeto pedagógico cresceu o quadro de professores com formação específica na área, a infraestrutura oferecida melhorou e o aumento de cursos de Engenharia ofertados pela Universidade colaborou para fortalecer as Ciências Exatas e Tecnológicas na Instituição e no Vale do Taquari”, conclui.

“Curso de ampla abrangência”

Divulgação

O diplomado no curso da Univates Guilherme Ricardo Bohnert se formou no primeiro semestre de 2018 e trabalha na Fruki, empresa brasileira fabricante de bebidas, no setor de Planejamento e Controle da Produção. Com a “Engenharia na veia” desde sempre, conforme ele refere, escolheu Engenharia de Produção por já estar atuando na área no mercado de trabalho. “Na faculdade descobri que a área não trata apenas de processos produtivos em uma organização, mas também da produção de serviços. É um curso de ampla abrangência, pois posso trabalhar em empresas de manufatura ou de serviços, como bancos, hospitais e prefeituras. Isso gera um leque de possibilidades no mercado de trabalho”, explica.

No decorrer do curso, Bohnert pôde analisar as tendências de mercado e verificou qual delas se encaixava melhor em seu perfil profissional. “Aprendi métodos e conceitos úteis para garantir a obtenção de grandes resultados para qualquer nicho de negócio”, afirma. Na graduação, também se aperfeiçoou no seu trabalho e conquistou promoções por seu desempenho profissional.

“Estou sempre em busca do meu crescimento profissional. Por isso digo que, apesar de estar trabalhando em um setor estratégico que está entrelaçado com o curso, ainda não estou realizado profissionalmente, pois não quero parar por aqui. Pretendo chegar a um cargo de analista de produção, e até a um cargo de gestão”, declara. Segundo ele, o foco é se manter na área, capacitar-se na prática em conceitos já estudados e visar ao crescimento pessoal almejando níveis superiores de atuação no mercado de trabalho.