Grupo de pesquisa da Univates realiza educação ambiental com municípios do G8

Postado as 30/04/2019 15:02:36

Por Natália Bottoni

Divulgação

A Lei nº 12.305/10 institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). A partir dela, os municípios devem ter um plano de gerenciamento de resíduos. A gestão do G8 formatou o projeto e a organização de como ele seria posto em prática nas cidades de Forquetinha, Marques de Souza, Santa Clara do Sul, Cruzeiro do Sul, Boqueirão do Leão, Canudos do Vale, Sério e Progresso. Por meio de convênio, a formação para a educação ambiental para a separação de resíduos ficou sob a responsabilidade da Univates. O trabalho será realizado pelo grupo de pesquisa Comunicação, Educação Ambiental e Intervenções (Ceami), vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Ambiente e Desenvolvimento (PPGAD).

O Ceami tem a tarefa de formar multiplicadores de educação ambiental que disseminem conhecimentos sobre a separação dos resíduos nas comunidades do G8. Na Univates, esse papel está sendo desempenhado pela coordenadora do Ceami, a professora Jane Márcia Mazzarino, a docente e pesquisadora Luciana Turatti e a doutora e ex-aluna do PPGAD Laura Barbieri de Oliveira, com o apoio dos bolsistas de pesquisa Bruno Ehrenbrink Petter, Denise Bisolo Scheibe e Lilian Zanatta.

Para a execução do plano de gerenciamento de resíduos serão realizados cinco encontros por município - o primeiro ocorre em Santa Clara do Sul na sexta-feira, dia 3 de maio. Neles serão abordados assuntos como ética ambiental, separação dos resíduos, formas de multiplicar esse conhecimento e como planejar a ação de  multiplicação. Poderão participar líderes e pessoas de cada município que tenham sensibilidade para as questões ambientais. Após o quarto encontro e a partir do que aprenderam, os participantes terão um mês para realizar uma ação de multiplicação com algum grupo social do município. No último encontro, será avaliado como funcionou esse processo na prática, quais os desafios e limites que surgiram.

Tuane Eggers


Jane afirma que não há uma ação parecida com essa na região. “A Univates é comunitária. Esse projeto condiz totalmente com os seus princípios, visão e missão. Produzimos conhecimento que pode ser usado em ações de desenvolvimento regional. A questão dos resíduos é fundamental, pois tem a ver com sustentabilidade ambiental e saúde pública. Se as pessoas separarem corretamente seus resíduos, o retorno será em ganhos não só ambientais, mas também sociais e econômicos para os municípios, que poderão vendê-los em vez de estarem aterrando com um custo alto”, explica.

O objetivo da formação de multiplicadores é fazer com que as pessoas comecem a separar corretamente seus resíduos dentro de casa, preparando-se para a coleta seletiva que será implantada futuramente nos municípios do G8. Até 2021 todo o resíduo produzido nos municípios do G8 deverá ser levado à unidade de triagem e aterro em construção em Progresso. “É uma preparação para um futuro próximo”, reconhece Jane.

Confira o vídeo: