Univates é referência no país na identificação de ácaros

Postado as 24/05/2019 08:09:55

Por Natália Bottoni

Tuane Eggers

A fim de incentivar a prática de trabalhos científicos por estudantes de graduação, o Laboratório de Acarologia da Univates capacita seus bolsistas de iniciação científica para realizar a identificação de ácaros a partir de materiais vindos de universidades e instituições do país. Esse trabalho é realizado há alguns anos, o que possibilitou à Univates obter credibilidade na sua resposta às organizações. “Hoje somos referência”, declara o coordenador do laboratório, Juarez Ferla.

Mesmo sendo uma atividade de pesquisa científica, os alunos são capacitados para resolver questões profissionais. A descrição desses organismos é uma área pouco procurada por profissionais da área, contudo é sempre solicitada por Universidades, Institutos de Pesquisa e Embrapas, por consistir muitas vezes na parte mais importante de dissertações e teses. Assim, saber realizar essa identificação em nível de espécie é um diferencial no mercado de trabalho e permite a continuidade dos estudos em instituições que trabalham com esses organismos.

 

Portas abertas para produção científica

Natália Bottoni

A biologia desperta a curiosidade de querer descobrir cada vez mais sobre essa área tão ampla. A afirmação é do estudante de Ciências Biológicas - Licenciatura da Univates Wesley Borges Wurlitzer, que trabalha há quase um ano como bolsista no laboratório, sob orientação do professor Guilherme Liberato da Silva. Dito curioso, um dia Wesley trouxe ao local uma folha de uma planta. Após análise, identificou novas espécies de ácaros. “O laboratório proporciona isto, entender e enxergar este horizonte da ciência ainda não descoberto”, declara.

Além de Wurlitzer, trabalham no laboratório quatro bolsistas de Ciências Biológicas e um da Biomedicina. Eles buscam identificar ácaros associados a plantas de materiais enviados pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Rio Branco, do estado do Acre, e Embrapa Amazônia Oriental, de Belém do Pará, pela Universidade Federal do Paraná e pelo Ministério da Agricultura dos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Antes de conhecer o Laboratório de Acarologia, Wurlitzer não tinha conhecimento sobre ácaros. Ele começou a estudar sobre a taxonomia desses animais e se identificou com essa área. “A descrição de espécies abre caminho para produção científica em uma possível pós-graduação posteriormente, ou até em um mestrado ou doutorado. Pretendo seguir na área da acarologia”, admite.

Divulgação




O estudante de Ciências Biológicas - Licenciatura Anderson de Azevedo Meira também relata a sua experiência com a produção científica no laboratório. Ele identificou ácaros predadores da família Phytoseiidae do norte de Portugal, a partir do doutorado-sanduíche que a aluna do Programa de Pós-Graduação em Ambiente e Desenvolvimento (PPGAD) Darliane Evangelho Silva realizou.

“Concluir essa tarefa foi fundamental para eu construir meu conhecimento na área da acarologia e serviu de incentivo na busca de novas aprendizagens dentro da pesquisa científica”, finaliza Meira.

“Oportunidade de se especializar em alguns grupos de ácaros plantícolas”

Natália Bottoni

A ciência dos ácaros é complexa, pois envolve organismos pequenos e estruturas difíceis de serem entendidas e visualizadas. Em 2018, os bolsistas responsáveis pelo trabalho de identificação participaram de cursos de capacitação ofertados pelo laboratório. Eles aprenderam sobre o processo de identificação e diferenciação dos grupos de ácaros plantícolas.

Orientados por especialistas da área da acarologia no laboratório, os acadêmicos realizam as identificações de cada material. Para isso, precisam entender a responsabilidade dessa tarefa e da sua participação no laboratório, além de pesquisar, fazer contatos, enfim, “criar gosto pelo serviço”, completa Ferla. O trabalho também traz aos discentes maior aproximação com a língua inglesa, já que os artigos são escritos geralmente em inglês, e maior domínio dos equipamentos utilizados no laboratório, que são de alta tecnologia. “Mesmo na graduação, eles têm capacidade e a oportunidade de se especializar em alguns grupos de ácaros plantícolas”, explica.

Essa contribuição da Universidade com outras instituições é de grande importância, conforme lembra Ferla. “Esse trabalho ativa o senso crítico dos estudantes, pois eles enfrentam o desafio de ‘ter certeza’ de que a identificação está correta. Não é uma tarefa simples, mas já é rotina para eles. Os seus nomes estarão nos artigos publicados sobre o assunto, o que vai aumentar a produção científica pessoal e ajudá-los na inserção no mercado de trabalho mais tarde”, assegura o professor.

Possibilidade profissional

Natália Bottoni

A primeira bolsista de iniciação científica capacitada para identificar ácaros plantícolas do Laboratório de Acarologia foi a Dra. Marla Maria Marchetti. Hoje ela trabalha na Agronômica - Laboratório de Diagnóstico Fitossanitário e Consultoria, de Porto Alegre. Ela é responsável por verificar a presença de ácaros nas frutas importadas da Argentina e do Chile, vindas do Centro Unificado de Fronteiras (CUF), de Santo Tomé, na divisa com o município de São Borja, no Rio Grande do Sul.

Marla é responsável por identificar em nível específico os ácaros. “Quando é encontrado um ácaro quarentenário, ou seja, ausente no território brasileiro e com potencial de se tornar praga se introduzido, a legislação autoriza o fiscal agropecuário federal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento a devolver a carga. A responsabilidade da Marla é grande”, reconhece a pesquisadora e professora Liana Johann.

Próxima capacitação

O próximo treinamento “Acarologia Médica e Veterinária - Reconhecendo os Principais Grupos de Ácaros de Importância para Saúde Humana e Animal” ocorre, de 30 de setembro a 04 de outubro, no campus Univates de Lajeado. Alunos de graduação, pós-graduação e  profissionais da área da saúde podem participar. A inscrição pode ser realizada aqui, com o investimento de R$ 50,00. Estudantes dos cursos técnicos, de graduação e pós-graduação e diplomados de graduação da Univates recebem 10% de desconto.

Demanda de ácaros por instituições de pesquisa

Por confiar no trabalho desenvolvido no Laboratório de Acarologia da Univates, muitas instituições de pesquisa solicitam ácaros para a realização de estudos científicos. Os bolsistas de iniciação científica também são responsáveis por atender a essas demandas.