Estudante de Biomedicina tem trabalho premiado no XXIII Congresso Brasileiro de Reprodução Animal

Postado as 03/06/2019 09:27:58

Por Laís Pontin Matos

A graduanda do curso de Biomedicina da Universidade do Vale do Taquari - Univates Anna Flávia Tischer da Silva teve um de seus trabalhos de iniciação científica premiados no XXIII Congresso Brasileiro de Reprodução Animal. O evento mais tradicional do Brasil na área, sediado este ano na cidade de Gramado, contou com a presença de veterinários, zootécnicas, agrônomos, pecuaristas e empresas de agronegócios. O Congresso, organizado pelo Colégio Brasileiro de Reprodução Animal, reúne trabalhos científicos sobre a reprodução de animais domésticos, de produção e de companhia, silvestres e exóticos.

Anna atualmente é estagiária do Laboratório de Ensino em Biologia Molecular da Univates. Ela conta que pôde participar, durante quase dois anos, de um projeto de iniciação científica na Instituição.

“Fiz parte do grupo de pesquisa intitulado ‘Aplicação de marcadores moleculares no estudo da saúde reprodutiva animal e humana’, coordenado pelo professor Ivan Cunha Bustamante Filho”. Quando soube do Congresso, a estudante resolveu inscrever dois resumos de trabalhos realizados durante o período de sua iniciação científica. “Decidi submeter minhas pesquisas para levá-las adiante e divulgar os resultados encontrados. Como o evento estava relacionado à reprodução animal, achei que os trabalhos poderiam se encaixar perfeitamente”, afirma.

Graduanda realizou pesquisa sobre inseminação artificial suína

A pesquisa premiada, realizada por Anna, buscou avaliar a toxicidade da adição de microcápsulas de soro de queijo em diluente de sêmen suíno refrigerado. “O trabalho investigativo iniciou com uma parceria de dois projetos dos professores Ivan Bustamante e Claucia Volken. O sêmen suíno refrigerado é amplamente  utilizado em inseminações artificiais, necessitando sempre ser melhorado para garantir altas taxas de fertilidade. “Partindo dessa realidade, elaboramos microcápsulas a partir de soro de queijo. Adicionamos, então, as microcápsulas ao diluente e, a partir daí, começamos a observar a ocorrência de possíveis danos nos espermatozoides contidos na dose”, conta a estudante.

Ela acrescenta que foram avaliados ainda parâmetros de motilidade e dados de citometria de fluxo relacionados à integridade celular.  Futuramente os pesquisadores utilizarão as microcápsulas para veicular outras biomoléculas ao sêmen suíno, buscando aumentar sua viabilidade e tempo de preservação.

A pesquisa sobre inseminação artificial suína foi apresentada oralmente para especialistas em biotecnologias reprodutivas, numa palestra de cerca de dez minutos. “Uma banca de jurados, composta por pesquisadores de todo o Brasil, indicou este estudo como sendo o melhor na espécie suína”, destaca Anna. O segundo trabalho inscrito no Congresso foi apresentado em formato de pôster e objetivou verificar o efeito do efluente de curtume na fisiologia reprodutiva de camundongos, empregando o método de citometria de fluxo.

Bustamante Filho foi quem orientou as pesquisas de Anna durante o período em que ela participou de projetos de iniciação científica. O professor observa que “prêmios e reconhecimentos em eventos científicos são importantíssimos para a construção de carreiras acadêmicas”. Ainda de acordo com o docente, o curso de Biomedicina da Univates alia aprendizados teóricos e práticas profissionais, oportunizando, assim, a máxima absorção de conhecimento nos diferentes ramos da especialidade. “No caso da Anna, por exemplo, o estudo da reprodução em modelos animais a qualifica para a área de reprodução humana assistida”, explica.