Interação entre samambaias e ácaros é tema de pesquisa no PPGAD

Postado as 11/06/2019 09:53:45

Por Nicole Morás

Realizando estágio de pós-doutorado no Programa de Pós-Graduação em Ambiente e Desenvolvimento (PPGAD), Vinícius Leão da Silva estuda a interação entre ácaros e espécies de plantas, como as samambaias e as licófitas. Sob supervisão do doutor Juarez Ferla, a pesquisa de Silva intitula-se “Efeito de borda sobre assembleias de samambaias e acarofauna associada no Sul do Brasil”. Por se tratar de uma pesquisa sobre ácaros, parte das atividades do pós-doutorando está sendo realizada no Laboratório de Acarologia (Labacari) da Univates, que é referência no País nessa área de atuação.

De acordo com Silva, sua pesquisa relaciona como a fragmentação e o efeito de borda afetam as redes de interação entre ácaros e as espécies de plantas estudadas.

O gradiente microclimático que se forma entre a borda e o interior florestal pode influenciar a riqueza, composição e ciclo de vida das espécies. O efeito de borda é o nome técnico dado quando uma floresta sofre encolhimento e a parte que antes era um interior florestal conservado sofre efeitos de maior luminosidade, mais vento, mais calor, menos umidade
Vinícius Leão, pós-doutorando do PPGAD

Ele acrescenta que o estudo do efeito de borda sobre as samambaias e acarofauna associada pode contribuir como um indicador de descrição da paisagem, demonstrando as respostas aos efeitos das oscilações microclimáticas nas comunidades, além de indicar a existência dos fatores estressores e os que favorecem o estabelecimento da biota analisada.

“Esta pesquisa é pioneira, pois não se conhece o perfil de relação entre estes dois grupos - samambaias e ácaros - e como as ações do homem afetam esses processos”, analisa Silva. Ele acrescenta que é necessário compreender as especificidades e definir quais elementos mais afetam a biota analisada para realizar inferências sobre os processos de conservação. “Os efeitos de borda podem ser múltiplos e simultâneos. Considerar samambaias e ácaros na avaliação da qualidade ambiental pode ser uma importante ferramenta na conservação e restauração de fragmentos florestais”, argumenta.

As investigações de Silva estão relacionadas à qualidade ambiental, utilizando samambaias e licófitas como organismos bioindicadores de ambientes conservados e antropizados. A pesquisa teve início em 2018 e pode se estender por até cinco anos mediante renovação anual.

Convite para palestrar no Congresso Nacional de Botânica

Em razão da pesquisa que realiza, por estar vinculado ao Labacari e por sua produção científica na área de samambaias e das licófitas, o pós-doutorando foi convidado para palestrar no 70º Congresso Nacional de Botânica, que será realizado de 19 a 25 de outubro de 2019 no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, em Maceió. Sua fala será sobre samambaias e licófitas como indicadoras ecológicas. Silva ressalta que o interessante do evento é que é realizado há 70 anos ininterruptamente. “É um dos maiores da América Latina nessa área”, afirma.