Goalball: inclusão social na educação física

Postado as 03/07/2019 14:29:00

Por Elise Bozzetto e Vinicius Mallmann

Elise Bozzetto

A Univates, por meio da disciplina Esporte Adaptado, dos cursos de Bacharelado e Licenciatura em Educação Física, levou a inclusão social para além da sala de aula. Um projeto multidisciplinar, que envolveu o curso de Engenharia Mecânica, confeccionou goleiras para a prática de Goalball, esporte criado para pessoas com deficiência visual. 

Elise Bozzetto

O responsável pelo projeto foi o estudante Gabriel Luis Diehl. Na época secretário do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS) da instituição e hoje diplomado em Engenharia Mecânica, Diehl avalia sua experiência como responsável pelo projeto. “A ideia surgiu em uma conversa com o professor Leonardo de Ross Rosa, que demonstrou interesse em a Univates possuir esse material. O projeto contou com a participação da equipe da Serralheria da Univates, comandada pelo Claudio Semmler, o Claudinho. Foi necessário consultar as dimensões da goleira conforme os órgãos regulamentadores. Após realizamos um detalhamento com as dimensões necessárias para a produção da goleira, juntamente com a estimativa de material necessário. A parte final foi acompanhar a construção para validar todas as configurações projetadas”, explica Diehl.

Elise Bozzetto

Para o diplomado, ter participado do projeto foi uma vivência importante na sua trajetória acadêmica. “É muito importante a integração das áreas de engenharia com as áreas humanas e da saúde. O projeto das goleiras me possibilitou esse contato. É gratificante poder utilizar os conhecimentos aprendidos nas áreas exatas para fazer as pessoas se sentirem melhor e incluídas”, analisa.

 

Coordenador dos cursos de Educação Física da Univates, Leonardo de Ross Rosa comenta a importância do projeto para o curso.“A construção das goleiras representa a conexão entre centros e serviços da Univates para sanar demandas, neste caso, internas, mas que poderão ter reflexo na comunidade. Essas goleiras, originalmente, têm nove metros de comprimento, são pesadas, de difícil manejo e necessitam de muito espaço para serem armazenadas. O modelo criado é de fácil utilização e necessita de menor espaço para serem guardadas.”

Leonardo ainda afirma que este é apenas o primeiro passo da Univates para a implementação de esportes adaptados na instituição. “Ainda estamos a passos lentos, mas o paradesporto brasileiro é absolutamente vencedor no contexto mundial, e isso deve chegar a mais regiões, não ficando restrito aos grandes centros. Temos basquete sobre rodas de alto nível com os Blindados do Vale atendendo aos deficientes físicos e temos que pensar em oportunidades para portadores de outras deficiências.”

Rafael Racorto Reisdorfer é aluno do terceiro semestre do curso e elogia a iniciativa. “Esse tipo de iniciativa, que visa à inclusão no esporte, é muito importante, principalmente porque no esporte todos são iguais, não existe uma diferenciação. Todos podem se unir por meio do esporte, o que não acontece muitas vezes na sociedade”, analisa. Para ele, a formação que a Univates oferece é essencial para a inclusão nas escolas. “A nossa formação é muito importante. Falando das minhas vivências na escola enquanto estudante, não se tinha tanto cuidado em incluir a alguns anos atrás. Hoje se tem muito mais cuidado em relação à inclusão. Nossa formação aqui é de suma importância pois todos devem ser inclusivos e é isso que cada vez mais precisamos nas escolas”, defende Reisdorfer. 

Elise Bozzetto

Sobre o Goalball

O goalball foi criado em 1946 pelo austríaco Hanz Lorezen e o alemão Sepp Reindle, que tinham como objetivo reabilitar veteranos da Segunda Guerra Mundial que perderam a visão. O primeiro campeonato brasileiro de Goalball foi realizado em 1987. Ao contrário de outras modalidades paralímpicas, o Goalball foi desenvolvido exclusivamente para pessoas com deficiência visual. De cada lado da quadra tem um gol com nove metros de largura e 1,2 de altura. Os atletas são, ao mesmo tempo, arremessadores e defensores. O arremesso deve ser rasteiro e o objetivo é balançar a rede adversária.

A bola tem um guizo em seu interior que emite sons – existem furos que permitem a passagem do som – para que os jogadores saibam sua direção. O Goalball é um esporte baseado nas percepções tátil e auditiva. Por isso não pode haver barulho no ginásio durante a partida, exceto no momento entre o gol e o reinício do jogo. Hoje o goalball é praticado em 112 países nos cinco continentes. 

Vestibular

Os cursos de Educação Física estão recebendo inscrições no Vestibular Agendado da Univates. As inscrições podem ser realizadas em univates.br/vestibular/. Além disso, a Instituição conta com 17 cursos a distância (EAD). É possível ingressar em curso presencial ou EAD por meio da nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2009 ou aproveitando o resultado de um vestibular anterior da Univates. Os que desejam realizar um curso EAD podem se inscrever em univates.br/ead/inscricao.

 

Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail vemprauni@univates.br ou pelo telefone 0800 7 07 08 09.