Na Teia de Negócios: suporte para superar a crise

Postado as 17/04/2020 17:09:02

Por Lucas George Wendt

Às 14h do dia 14 de abril, de sua casa, em Venâncio Aires, Paulo Bohn e Joseline Both, sua esposa, compartilhavam uma videochamada com os professores da Universidade do Vale do Taquari - Univates Bruno de Medeiros Teixeira e Marlon Dalmoro, e com o estudante do curso de Administração e presidente da Empresa Jr. Pablo Vinícius Träsel. Além das telas compartilhadas, eles dividiam angústias que o período da pandemia de Covid-19 trouxe à tona para os micro e pequenos empresários.

Divulgação

 

Paulo (foto) tem negócio em Venâncio. Sua empresa, criada há alguns anos, promove a limpeza, a higienização e impermeabilização de estofados, carpetes e tapetes. Com os reflexos econômicos da crise provocada pela pandemia ele já começa a sentir as consequências. Para contornar a situação decidiu procurar ajuda e encontrou o projeto Teia de Negócios, que tem como participantes membros da Empresa Jr. e professores do Centro de Gestão Organizacional (CGO), além de contar com alunos de cursos da área de gestão interessados no tema. O projeto Teia de Negócios, criado em 1º de abril de 2020, tem como objetivo oferecer mentorias para micro e pequenos empresários da região, visando diminuir os impactos econômicos da pandemia.

“Trabalho na área há uns 12 anos e estou estabelecido com local e infraestrutura e equipamentos há quase três anos. Nossa preocupação é como vai ser daqui pra frente. Paramos por duas semanas, no início e decidimos retomar às atividades há duas semanas”, explica o empresário. Com a retomada, surgem as dúvidas. As preocupações, no período de incertezas, dizem respeito ao que pode acontecer nos próximos meses e até mesmo aos aspectos práticos do cotidiano da empresa — que precisam ser repensados e adequados às condições estipuladas por decretos municipais e estaduais. 

O professor mestre em Ciências Contábeis Bruno de Medeiros Teixeira é o tutor dos estudantes engajados com o Teia de Negócios. Partiu dele o convite ao professor doutor em Administração Marlon Dalmoro para a participação na mentoria ao empreendimento de Paulo. O doutor revela que, no momento, o objetivo do projeto se tornou auxiliar o empresariado e os estudantes a superarem o desafio da pandemia. Os primeiros lidam com as incertezas do mercado, enquanto que aos estudantes é posto o desafio de adaptar os conhecimentos obtidos em seus estudos às realidades vivenciadas na prática. 

O acadêmico e os professores conversaram com o empresário tendo como ponto de partida questionamentos que nortearam o trabalho, como “Qual é a reserva de caixa?”; “Quantos funcionários você tem?”; “O que é possível adaptar na oferta de seus serviços para evitar parar?”; “Como vai ser a continuidade das tarefas?” e “Qual é o planejamento operacional?”. As primeiras sugestões surgiram já durante a conferência virtual.

Tuane Eggers

Ao fim da conversa, recomendações foram feitas, entre elas, a de criação, pelo empresário, de um plano operacional para dar conta dos primeiros 90 dias a partir de abril. Quatro esferas de trabalho foram indicadas pelo professor Marlon Dalmoro para que Beto mapeasse perspectivas em diferentes cenários. “Como continuar operando, como comunicar neste período, como ampliar a oferta de serviços e como equilibrar o fluxo de caixa”, relata o docente. A partir destes norteadores, o empresário deve pensar em um planejamento administrativo-financeiro para aplicação. 

Paulo Roberto avalia o primeiro encontro como muito positivo.

Já estamos pondo em prática (o que é possível, em termos de operacionalização no momento), começando pela questão da segurança e proteção dos funcionários e, ao mesmo tempo, demonstrando nossa preocupação com os clientes (melhoria no uso de equipamentos de proteção, organização da logística dos serviços)
Paulo Bohn

O empresário comenta que já iniciou pesquisa, seguindo as sugestões da equipe da Univates, para alternativas de diversificação de serviços. “Atividades que podem ser agregadas ao que já fazemos, levando em conta a preocupação de todos com a saúde. Além disso, estamos avaliando maneiras de melhorar nossa comunicação com os clientes, por meio das redes sociais”, comenta.

O Teia de Negócios

Interessados em receber a orientação devem enviar e-mail para empresajr@univates.br. A mentoria acontece de forma individualizada. Estudantes interessados em ser voluntários podem se candidatar pelo e-mail cgo@univates.br

A Empresa Jr.

A Empresa Júnior é organizada pelos alunos participantes, que fazem o planejamento do projeto e preparam os serviços que serão ofertados. A iniciativa, que nasceu antes da pandemia, encontra convergência com outro projeto do CGO, o Teia de Negócios e, agora, neste período, tem sido fundamental. “Muitos empresários estão entrando em contato. O que temos percebido é que as pessoas estão necessitando desse tipo de trabalho”, afirma Pablo.

Enquanto equipe de trabalho, com a supervisão do professor Bruno, algumas adequações foram necessárias para dar conta da demanda gerada pelo período, como aumento da frequência dos encontros virtuais do grupo. “A prática é um ponto positivo: além das aulas on-line temos a oportunidade de ter o contato com o empresário e, de certa maneira, ele abre as portas da empresa pra gente”, destaca o estudante. “A confiança que ele tem na gente é um ponto muito importante. É fundamental”, diz.