Univates terá 40 leitos para atender a casos de coronavírus

Postado as 20/04/2020 10:48:22

Por Júlia Amaral

A Universidade do Vale do Taquari - Univates, em parceria com a Prefeitura de Lajeado e o Hospital Bruno Born (HBB), disponibilizará 40 leitos no Ambulatório de Especialidades Médicas, no Prédio 22, para atendimento de pacientes diagnosticados com Covid-19, em casos de menor gravidade. Os leitos serão utilizados a partir do momento em que o HBB atingir um limite de segurança no número de internações de pacientes com o novo coronavírus.  Os leitos na Univates devem ficar prontos em duas semanas.

Podendo ser chamado de Anexo do HBB, o espaço estará sob responsabilidade do governo municipal em parceria com o HBB e a Univates. O amplo espaço físico, com salas que poderão ser transformadas em quartos, é climatizado, com camas e macas hospitalares, farmácia, laboratório de apoio, raio-x e outros equipamentos. Além disso, a Univates conta com equipes de vigilância e de higienização, podendo outras equipes da própria Instituição auxiliar nas atividades corriqueiras de um hospital. Numa emergência, caso os espaços do Ambulatório de Especialidades Médicas sejam insuficientes, ainda há a possibilidade de uso dos espaços utilizados para fisioterapia no Complexo Esportivo e de outros espaços no Prédio 18.

Conforme o diretor dos Serviços em Saúde da Univates, Jairo Luís Hoerlle, toda a logística para a gestão desse espaço, maior, mais apropriado e muito mais confortável que um hospital de campanha, já foi pensada e está pronta para o funcionamento assim que for necessário. “Há questões como alimentação, lavanderia, medicamentos, softwares específicos, pessoal especializado etc. que não são de fácil solução, mas estamos com tudo isso praticamente acertado entre Prefeitura, HBB e Univates”, afirma. 

O reitor da Univates, Ney José Lazzari, comenta que a Universidade colocou sua estrutura à disposição da rede de saúde para ajudar no enfrentamento da pandemia. “A Univates é uma universidade comunitária e, como tal, sua história se entrelaça com a própria história da região. Podemos perceber isso em nossos projetos de pesquisa e de extensão, alinhados às demandas da comunidade, assim como em nossos serviços prestados. Neste momento de crise sanitária e econômica, podemos ver mais claramente o real papel que uma universidade comunitária tem em seu entorno. É isto que estamos fazendo: a gente está aqui para servir à nossa comunidade e promover qualidade de vida, desenvolvimento e segurança para todos”, analisa.