Virtualização das aulas I: novos aprendizados para professores

Postado as 22/04/2020 14:06:16

Por Júlia Amaral

Disciplina e capacidade de se adaptar. Talvez esses sejam os comportamentos essenciais para quem, em tempos de pandemia, não pode sair de casa, mas segue cumprindo seus deveres. As aulas da Universidade do Vale do Taquari - Univates, por exemplo, se tornaram virtualizadas, para evitar a propagação da Covid-19, a partir do dia 16 de março. A possibilidade de participar das atividades no conforto do lar requer muita disciplina e comprometimento, tanto quanto as aulas presenciais exigem. O desafio dos professores é tão grande quanto o dos alunos: como fazer com que as aulas se mantenham atrativas, sem perder a qualidade?

Professor da Univates há sete anos, Cristiano Zluhan Pereira, coordenador do curso de Arquitetura e Urbanismo, diz que o período de isolamento social também tem sido uma experiência enriquecedora. Isso porque as aulas precisam ser pensadas de outra forma, muitas vezes mais minuciosa.

A adaptação nos possibilitou, em pouquíssimo tempo, descobrir outras ferramentas que até então não usávamos, talvez por comodidade, e abriu um campo enorme de alternativas. As aulas seguem com o mesmo nível de exigência e comprometimento, mas os instrumentos e a forma de participação mudaram
Cristiano Zluhan Pereira

 

Conforme o professor, as aulas seguem os cronogramas inicialmente previstos, sem grandes mudanças. Ele está transmitindo as aulas pelo Google Meet, tendo intensificado o uso do Classroom e demais ferramentas como Google Docs e Planilhas. 

O home office não é exatamente uma novidade para alguns profissionais. Há seis anos Vagner Zarpellon, professor do curso Técnico em Comunicação Visual, é sócio de um estúdio de design, no qual realiza diariamente a gestão de projetos. Segundo Zarpellon, há algum tempo o trabalho remoto está sendo uma prática comum. “Mas para o home office funcionar de forma que consigamos juntar os benefícios de estarmos remotamente com as vantagens que teríamos presencialmente, é preciso ter ferramentas adequadas e criar certas rotinas remotas, assim como teríamos rotinas presenciais”, explica. O professor tinha apresentado aos alunos o Trello, site para gestão de projetos, antes mesmo da virtualização das aulas. 

“No Google Meet criei uma sala, que nomeei de Sala do Professor, em que fico à disposição para tirar dúvidas. Como criei as salas de cada equipe, tenho acesso aos grupos, nos quais entro durante a aula para verificar o andamento do projeto e validar a presença dos alunos”, conta. 

Neste semestre, Zarpellon tem um aluno surdo, o Gustavo Vargas de Souza. “Com a sala do Google Meet, os próprios alunos descobriram uma forma de conectar o estudante surdo com a intérprete e seus colegas”. Dessa forma, os estudantes estão conseguindo desenvolver virtualmente um trabalho em grupo. Gustavo mantém no seu monitor o vídeo da intérprete, que traduz, na Língua Brasileira de Sinais - Libras, o que o grupo está conversando e também comunica aos colegas a opinião de Gustavo. 

A professora do curso de Direito Giovana Beatriz Schossler também transmite suas aulas por videoconferência e permanece com os estudantes, de forma on-line, durante todo o período da aula. “O planejamento das aulas exigiu a utilização de ferramentas que anteriormente não eram utilizadas em sala de aula. Por meio de videoconferência faço a explanação do conteúdo. Se a matéria comporta, utilizo vídeos de correlação, assim como jogos interativos de quiz (kahoot.it – ótima dica!), utilizo textos para aprofundamento dos assuntos, resolução de exercícios e questões do Exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Com a necessidade de aproximá-los da prática jurídica, disponibilizo processos findos para análise e elaboração de peças jurídicas com base em situações hipotéticas”, conta.

Entenda por que as aulas virtualizadas do período de quarentena não são como as aulas da EAD

Apesar de ambas não acontecerem de forma presencial, existem algumas diferenças entre as aulas da Educação a Distância (EAD) e as virtualizadas. Na EAD as videoaulas são gravadas, as atividades e o material são padronizados, assim como avaliações e testes, e o calendário é unificado. Nas aulas virtualizadas são mantidos os mesmos horários e dias das aulas presenciais, o que possibilita a interação com o professor da disciplina, responsável por montar o material personalizado e dinâmico.