Estudante de Ensino Médio experimenta a pesquisa científica na Univates

Postado as 19/06/2020 11:36:07

Por Júlia Amaral

Quem está no Ensino Médio e deseja estar em contato com a universidade, em especial com as pesquisas científicas produzidas na academia, pode viver essa experiência na Univates. A estudante Bruna Guedes Weber, de 17 anos, matriculada no terceiro ano do Ensino Médio do Colégio Estadual Presidente Castelo Branco, participa como bolsista, desde janeiro de 2019, do projeto de pesquisa “Aprendizagem e ferramentas digitais no Ensino Superior”, coordenado pelo professor Dr. Rogério Schuck. Ela soube do projeto por meio da divulgação feita em sua escola, então se inscreveu para participar, fez a entrevista e foi aprovada como bolsista. A motivação para se voluntariar para a bolsa de pesquisa foi a vontade de sempre descobrir coisas novas.

“Eu fiquei interessada pois gosto muito de aprender coisas diferentes, e com a bolsa eu tinha certeza de que eu iria aprender bastante. Além disso, a bolsa pode me ajudar bastante no futuro, com os artigos científicos”, conta Bruna. Dentro da proposta da pesquisa do professor Schuck, a bolsista desenvolveu um projeto chamado “Ensino e Aprendizagem Significativa Mediante a Produção de Vídeos para um Canal do YouTube”, que também faz parte da proposta de trabalhar com Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDICs). As atividades foram desenvolvidas com os professores de sua escola, que, separadores em grupos, tiveram que criar um vídeo de no máximo 4 minutos em 14 dias.

Bruna lembra que primeiro foi necessário descobrir o que os professores entendiam de tecnologias e produção de vídeo e, posteriormente, criar diários de bordo de cada reunião com os professores. Os resultados do trabalho, necessários para a produção dos artigos científicos, ainda estão em andamento.

“Eu participo da coleta de dados, do levantamento de materiais que são interessantes para pesquisa”, explica. Conforme o professor Schuck, a estudante tem demonstrado grande interesse na pesquisa. Além disso, o trabalho desenvolvido por Bruna traz benefícios para todos, professores da escola, pesquisadores universitários e estudantes.

Para Schuck, a atuação de bolsistas de Ensino Médio nas pesquisas acadêmicas é, em primeiro lugar, um diferencial para os alunos que participam, pois já começam a circular no ambiente universitário e têm a experiência de iniciação à pesquisa, que é distinta das suas experiências no Ensino Médio. “Os alunos aprendem os caminhos da pesquisa e também colaboram na coleta e análise dos dados, culminando com a produção científica e intelectual. Além disso, é uma forma de interação da Universidade com o seu entorno, especialmente com as instituições de ensino do Vale do Taquari”, destaca. 

A pesquisa do professor Schuck não tem relação direta com a profissão que Bruna deseja seguir depois do Ensino Médio, a de ilustradora. Ainda assim, é uma forma de estar desde já conectada com a academia e aprendendo tanto quanto pode. Quando o pesquisador necessita de um bolsista, a divulgação de oportunidades para participar das pesquisas é feita nas escolas. Depois disso, os interessados são entrevistados pelos pesquisadores para serem selecionados no processo seletivo.